close

AMAZONAS: Ex-governador José Melo é preso em operação da PF

A nova fase da operação foi denominada de “Estado de Emergência”.

DA REDAÇÃO

21 de Dezembro de 2017 às 13:21

AMAZONAS: Ex-governador José Melo é preso em operação da PF

FOTO: (Divulgação)

 José Melo (PROS), governador cassado do Amazonas por compra de votos na eleição de 2014, foi preso na manhã dessa quinta-feira na terceira fase da operação "Maus caminhos", que apura desvios de verba e fraudes na Saúde do Amazonas, de acordo com o G1. Segundo a Polícia Federal (PF), ainda devem ser cumpridos sete mandados de busca e apreensão, em Manaus e Rio Preto da Eva, na Região Metropolitana da capital.

O advogado de defesa do ex-governador amazonense disse que ainda não tinha sido informado da prisão, segundo o G1.

O objetivo da operação é investigar crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de capitais e de organização criminosa em suposto esquema que envolve José Melo, segundo a PF. A nova fase da operação foi denominada de “Estado de Emergência”. O nome é uma alusão à situação de calamidade pública que se encontrava a prestação de serviços de saúde no Amazonas, em 2016.

Naquele ano, o então governador do Amazonas decretou Estado de Emergência Econômica no Sistema Estadual de Saúde. O decreto foi publicado na edição do dia 31 de agosto do Diário Oficial do Estado (DOE). A medida instituiu a criação de um "gabinete de crise" composto por secretários de diferentes pastas e por uma equipe técnica. Segundo o decreto, o estado não possuia orçamento "para honrar com a totalidade do pagamento a seus fornecedores e prestadores de serviços".

OPERAÇÃO MAUS CAMINHOS

A Polícia Federal, com o apoio da Controladoria Geral da União, deflagrou na manhã dessa quinta-feira, a terceira fase da Operação Maus Caminhos, denominada Operação Estado de Emergência, que tem como objetivo investigar os crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de capitais e de organização criminosa, envolvendo o ex-governador do estado.

Nesta fase foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão temporária em Manaus e em Rio Preto da Eva/AM.

A investigação abrange os crimes praticados pelos membros da organização criminosa alvo da primeira fase que corromperam diversos agentes públicos do estado do Amazonas por meio do pagamento de propina, utilizando recursos públicos desviados do Fundo Estadual de Saúde com o fim de obter o direcionamento de contratos, acelerar a liberação de pagamentos e acobertar os ilícitos praticados.

Os fatos relacionados ao envolvimento do ex-governador do estado somente apareceram após o avanço da investigação e dão conta de que este recebia pagamentos periódicos dos membros da organização criminosa.

O nome da Operação Estado de Emergência é uma referência à situação de calamidade pública que se encontrava a prestação de serviços públicos de saúde no estado, sendo decretado pelo então governador, em 31 de agosto de 2016, o estado de emergência econômica na saúde estadual, mês anterior à deflagração da primeira fase da Operação Maus Caminhos.

Na ocasião também foi criado o Gabinete de Crise, composto pelas Secretarias Estaduais de Saúde, da Casa Civil, da Fazenda e de Administração e Gestão, cujos secretários foram presos na Operação Custo Político (2ª Fase da Operação Maus Caminhos).

*Aos leitores, ler com atenção*

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS