close
logorovivo2

GREVE – PM assume segurança nos presídios e bombas são jogadas para acalmar detentos

Uma grande preocupação é o risco iminente de rebeliões como já ocorrido no presídio Urso Branco no passado.

DA REDAÇÃO

8 de Maio de 2013 às 11:33

GREVE – PM assume segurança nos presídios e bombas são jogadas para acalmar detentos

FOTO: (Divulgação)

Na noite desta última terça-feira (07), segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários (SINGEPERON), a Secretária de Segurança Pública determinou a ocupação dos presídios pela Polícia Militar (PM) e praticamente retirou todos os agentes que trabalhavam nos presídios, incluindo as direções das unidades prisionais.

O Governo alega que o sindicato já não vinha cumprindo essa determinação.

Com isso, nesta quarta-feira (08), todos os 1.100 Agentes Penitenciários da capital foram colocados compulsoriamente em greve, descumprindo o limite de 70% estabelecido pela Justiça; sendo que no Interior a situação seria a mesma.

Durante toda a manhã informações davam conta de que supostamente pessoas ao lado de fora do presídio Urso Branco ouviram quatro disparos e logo em seguida uma ambulância, porém, tudo ainda é especulação.

Segundo a assessoria de comunicação da SEJUS (Secretaria de Justiça) a COE (Compahia de Operações Especiais) está realizando uma criteriosa revista e que bombas de efeito moral foram jogadas para amenizar a tensão entre os detentos.

Uma ambulância está no local para ser utilizada em qualquer emergência, porém, no momento a situaçao está sob controle.

De acordo com o presidente do SINGEPERON, Anderson Pereira, os agentes estão impedidos de entrarem nos presídios de Rondônia.

“Vamos informar a justiça sobre essa situação que está acontecendo em Rondônia”, disse Anderson Pereira.

Uma grande preocupação é o risco iminente de rebeliões como já ocorrido no presídio Urso Branco no passado. O motivo é que os policiais são preparados para o policiamento ostensivo e não para a guarda de presos que exige um treinamento e experiências específicas.

Outro fato grave denunciado pelo Sindicato é que as celas e alas do Urso branco estão sendo todas interligadas aumentando o risco de uma nova tragédia.

Governo e sindicato parecem cada vez mais se emaranharem em uma disputa que se não resolvida rapidamente poderá terminar com graves consequências no já combalido sistema penitenciário rondoniense.

 

*Aos leitores, ler com atenção*

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS