close
logorovivo2

INIMIGO ÍNTIMO: Pai estupra e engravida filha de 11 anos e Justiça autoriza aborto

Fruto de estupro e incesto, a gravidez já ia para o terceiro mês e foi interrompida

O LIVRE

2 de Abril de 2019 às 15:24

INIMIGO ÍNTIMO: Pai estupra e engravida filha de 11 anos e Justiça autoriza aborto

FOTO: (Divulgação)

Um homem de 35 anos foi preso nessa segunda-feira (1º) acusado de estuprar e engravidar a própria filha, uma adolescente de 11 anos. A violência sexual levou a menina a engravidar, mas a gestação foi interrompida com a autorização da Justiça.

 

Conforme informações da Polícia Judiciária Civil, a menina mora em Nova Xavantina (650 km de Cuiabá, MT) com a mãe. No final de dezembro de 2018, foi passar férias com o pai biológico em Confresa (1.160 km da Capital).

 

No começo de janeiro, quando o estupro aconteceu, ela ligou para mãe chorando e pedindo para buscá-la. A mãe denunciou o ex-marido na Delegacia de Nova Xavantina.

 

Como o abuso sexual havia acontecido em Confresa, o caso foi repassado à Polícia Civil da cidade, que deu início à investigação do caso.

 

A menina engravidou em consequência do estupro. Diante disso, foi pedida ao Poder Judiciário a autorização para que a gravidez fosse interrompida. O aborto autorizado foi realizado quando a gestação estava indo para o terceiro mês.

 

Segundo a Polícia Civil, durante o procedimento médico, foi coletado material biológico do feto para que posteriormente seja feito confronto de DNA com o do pai, para que haja a comprovação do estupro seguido de gravidez.

 

Após toda a investigação, o delegado André Rigonato, que está à frente do caso, pediu a prisão temporária do suspeito e a Justiça autorizou. O acusado foi preso na manhã dessa segunda-feira (1º).

 

Ainda conforme informações da Polícia Civil, durante interrogatório o suspeito negou ter estuprado a filha e autorizou, durante o exame de corpo de delito, a coleta de material genético para confronto de DNA com o material retirado do feto.

 

Ele foi encaminhado para a Cadeia Pública de Porto Alegre do Norte (1.140 km de Cuiabá), para cumprimento da prisão temporária de 30 dias, que poderá ser prorrogada por mais 30.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS