close
logorovivo2

LAVA JATO – Aécio acertou R$ 50 milhões por usina de Santo Antônio, diz Odebrecht

Os pagamentos de propinas seriam vetores de aceleramento dos processos de autorização das obras, como licença ambiental entre outros trâmites que protegeriam a comunidade portovelhense e o rio Madeira.

RONDONIAOVIVO.COM - JOÃO PAULO PRUDÊNCIO

19 de Março de 2017 às 17:41

LAVA JATO – Aécio acertou R$ 50 milhões por usina de Santo Antônio, diz Odebrecht

FOTO: (Divulgação)

A homologação das deleções de Marcelo Odebrecht, ex-presidente da construtora Odebrecht, trouxe à tona diversas acusações de corrupção envolvendo políticos do alto escalão e obras relacionadas à empresa.

Entre essas obras, uma que está na mira da justiça após as delações é a construção da usina hidrelétrica de Santo Antônio, localizada no rio Madeira, dentro da área urbana de Porto Velho, capital de Rondônia.

As investigações andam apontando que houve pagamentos de propinas milionárias para a conquista do contrato. Entre os nomes citados está o do líder do PSDB e ex-candidato à presidência da república, Aécio Neves.

De acordo com Marcelo Odebrecht, Aécio Neves acertou com o grupo Odebrecht, e a, Andrade Gutierrez, o recebimento de R$ 50 milhões após a vitória do consórcio formado por essas construtoras no leilão que garantiu o inicio das obras em dezembro de 2007.

Ainda segundo o delator, o pagamento foi divido em R$ 30 milhões pela Odebrecht e R$ 20 milhões pela Andrade Gutierrez. As delações estão sendo investigadas e devem integrar o cabedal de provas da operação Lava-Jato.

Os pagamentos de propinas seriam vetores de aceleramento dos processos de autorização das obras, como licença ambiental entre outros trâmites que protegeriam a comunidade portovelhense e o rio Madeira.

Na época Aécio Neves era governador do estado de Minas Gerais, vale salientar que a CEMIG, estatal de energia mineira é acionista de 10% da hidrelétrica, os outros acionistas são Odebrecht com 18,6%; Gutierrez com 12,4% e um fundo da Caixa Econômica com 20%.

O pagamento de propina garantiria uma boa relação entre os sócios. Em nota, Aécio diz que a acusação “é absolutamente falsa”.

Em Porto Velho a construção da usina de Santo Antônio trouxe um déficit social e natural que ainda está sendo pago pela população, desbarrancamentos, desaparecimento de comunidades e mortandade de animais nativos, foram alguns dos problemas registrados e atribuídos por estudiosos à construção da hidrelétrica.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS