close
logorovivo2

Audiências na Justiça do Trabalho podem ser suspensas no terceiro dia de greve

Audiências na Justiça do Trabalho podem ser suspensas no terceiro dia de greve.

DA REDAÇÃO

26 de Novembro de 2009 às 08:38

Audiências na Justiça do Trabalho podem ser suspensas no terceiro dia de greve

FOTO: (Divulgação)

A paralisação por tempo indeterminado, que começou tímida nesta terça feira, ganhou força e mais adesão dos servidores do TRT 14 de Rondônia e Acre. Nas maiores cidades do interior a categoria está cumprindo a determinação dos 30% no desempenho das funções. Em Vilhena a greve é mais intensa e todos os serviços estarão suspensos até segunda ordem.
 
Na capital a movimentação também foi visivelmente maior nesta quarta-feira (25.11). Apenas os servidores escalados dentro dos 30% foram liberados para entrar no prédio, o restante engrossou o coro das reivindicações, tática adotada pelo comitê de greve juntamente com a diretoria do Sinsjustra (Sindicato do Servidores da Justiça do Trabalho de Rondônia e Acre).
 
Para esta quinta-feira (26.11), quando a greve entra no seu terceiro dia, as manifestações serão ampliadas. Além do prédio do Tribunal, localizado na Almirante Barroso, os grevistas se deslocarão também para o fórum trabalhista. Outro ponto de concentração é a Avenida Marechal Deodoro, no prédio que abriga a 6ª, 7ª e 8ª vara.
 
O comitê e o sindicato foram mais longe no processo de greve e encaminharam à Ordem dos Advogados do Brasil, OAB, oficio que pede a suspensão de todas as audiências marcadas e o não agendamento de outras. Outro ponto do documento é a solicitação de acesso limitado dos advogados, nos processos em andamento nas varas trabalhistas.
 
“É a forma que a categoria encontrou para pressionar de maneira incisiva. Precisamos mostrar que não estamos de brincadeira, porque a partir do momento que a greve começar a atrapalhar o andamento do judiciário nossa importância será reconhecida”, desabafou Antonio Batista, presidente do Sinsjustra.
 
Em todo o país cerca de 20 estados estão em greve reivindicando o reajuste salarial com o envio imediato do projeto ao Congresso Nacional, sem redução de direitos; equiparação salarial com o Legislativo e com algumas carreiras do Executivo; e contra o PLC 611, em tramitação no Senado Federal, que congela o salário do funcionalismo federal.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS