close

REVOLTADOS: Indígenas “sequestram” máquina e exigem reparo de estrada

Mulher velou filho na estrada porque não conseguia chegar com corpo à aldeia

FOLHA DO SUL ONLINE

4 de Fevereiro de 2020 às 10:01

REVOLTADOS: Indígenas “sequestram” máquina e exigem reparo de estrada

FOTO: (Divulgação)

A prefeita de Chupinguaia, Sheila Mosso (DEM), enfrenta um impasse que já dura uma semana: uma máquina do município foi confiscada por indígenas da etnia Aikanã, que prometem só devolver o equipamento quando a reivindicação deles fora atendida.


Dias atrás, dois postes de energia caíram e, como o caminhão da Energisa não conseguia chegar à terra indígena para trocar os artefatos, a prefeitura mandou uma máquina para deixar o acesso ao local transitável.
 


Os indígenas, que há anos pedem que a prefeitura faça reparos num trecho de 20 quilômetros de estradas, resolveram “sequestrar” a máquina até que o problema seja resolvido. A esposa de um aikanã disse ao Folha do Sul On Line que as crianças da aldeia estão andando a pé pelo meio do mato para chegar à escola, por falta de estradas.
 


Meses atrás, a dificuldade de acesso provocou um episódio doloroso: uma mãe, que levava o corpo de uma criança morta para ser velada na terra indígena, teve que pernoitar na estrada, porque não conseguia chegar em casa. Só no outro dia, com a ajuda dos companheiros, o corpo seguiu para o sepultamento, sem velório. “Ela velou o filho sozinha, à noite, por falta de estradas”, disse a entrevistada.
 


PEDALA, PREFEITA!


Ontem, a prefeita foi ao local tentar “resgatar” a máquina, mas os índios bateram o pé. O secretário de Obras, que acompanhava a mandatária, disse que seria possível arrumar apenas 5 quilômetros da estrada. Os indígenas prometem não liberar o equipamento se os 20 quilômetros não forem recuperados.
 
 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS