close

DESESPERO: "Me falaram que ele tá morto no porta-malas de um carro”, diz irmã de desaparecido

Denunciante veio de Mogi-Mirim vender panos de prato em Vilhena

FOLHADOSULONLINE

29 de Junho de 2019 às 11:48

DESESPERO: "Me falaram que ele tá morto no porta-malas de um carro”, diz irmã de desaparecido

FOTO: (Divulgação)

Na manhã deste sábado, 29, a jovem Tamires de Lourdes Pacherotti, 22 anos, estava na Unisp de Vilhena, registrando ocorrência policial sobre o desaparecimento do irmão, Everton Henrique Ferreira, 23. O rapaz sumiu após se envolver em uma briga, durante a madrugada, numa chácara nos arredores da cidade, onde era realizado um bailão.



Conforme a denunciante, ela e o irmão fazem parte de um grupo de vendedores de panos de prato, que vieram de Mogi-Mirim, no interior de São Paulo. Ontem, a convite de uma mulher que haviam conhecido, os dois irmãos foram ao evento.



Na chácara, Everton se envolveu em uma briga com freqüentadores do local e a irmã tentou impedir. “Quando eu vi, ele estava com o pescoço ensagüentado e cortes de faca pelo corpo”, relatou Tamires na polícia.



Segundo a moça, tentando fugir dos agressores, o irmão buscou socorro segurando na porta de um carro branco, que chegou a arrastá-lo quando deixava a chácara.



A vendedora disse que pegou carona com um desconhecido e chegou até um posto na entrada de Vilhena, onde garante ter ouvido de uma pessoa que estava no bailão: “Seu irmão tá morto dentro do porta-malas de um Gol vermelho”.



Quando o veículo mencionado parou no posto, ela tentou abrir o porta-malas, a fim de confirmar a informação, mas o motorista arrancou e fugiu do local.



Ao denunciar o caso, a jovem disse temer que o irmão tenha sido assassinado e seu corpo “desovado” na área rural.



A polícia registrou o caso e vai começar a apurar o suposto crime. O FOLHA DO SUL ON LINE segue na cobertura.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS