close

UNIRON: Acadêmicos de Engenharia Elétrica criam projetos com a plataforma Arduino

. O Arduino é uma plataforma de prototipagem eletrônica open-source que se baseia em hardware e software flexíveis e fáceis de usar

ASSESSORIA

28 de Novembro de 2019 às 12:05

UNIRON: Acadêmicos de Engenharia Elétrica criam projetos com a plataforma Arduino

FOTO: (ASSESSORIA)

Primeiramente, é preciso entender o básico sobre o que é a plataforma Arduino, até porque veremos muito sobre ela durante a leitura desta matéria. O Arduino é uma plataforma de prototipagem eletrônica open-source que se baseia em hardware e software flexíveis e fáceis de usar. O microcontrolador na placa é programado com a linguagem de programação Arduino, baseada na linguagem Wiring, e o ambiente de desenvolvimento Arduino, baseado no ambiente Processing.

 

Ops! Bugou? Sem problemas. Falando de modo simples, o Arduino é um conjunto de ferramentas de prototipagem eletrônica que visa tornar mais fácil a criação de aparelhos eletrônicos, o que a torna uma plataforma de muitas possibilidades. Para se ter uma ideia, o Arduino pode sentir o estado do ambiente que o cerca por meio da recepção de sinais de sensores e pode interagir com os seus arredores, controlando luzes, motores e outros atuadores.

 

Foi com base nessa plataforma que os acadêmicos do 3º período de Engenharia Elétrica da UNIRON, sob a coordenação do Professor Ancelmo Luiz, através da disciplina de Linguagem e Programação, desenvolveram 5 distintos criativos projetos, os quais veremos a seguir:

 

 

 

 

Ignição por Biometria –  a equipe produziu um protótipo de acionamento da partida de uma motocicleta por meio de biometria. Isso mesmo, a moto só “liga” quando reconhece a biometria que foi cadastrada nela. Uma outra característica desse projeto é que o armazenamento de dados é feito em uma biblioteca biométrica, que permite o cadastro de uma biometria mestre, que por sua vez, permite o cadastramento de outras digitais. Ah, e todo o procedimento pode ser feito diretamente na moto. Wendel é membro da equipe e disse, “o trabalho ampliou muito a visão de todos com relação à tecnologia arduino, não tínhamos conhecimento do quanto poderíamos produzir criativamente com a tecnologia. A mente se ampliou ao ponto de querermos buscar ainda mais conhecimento na área”. Pensando em aperfeiçoar ainda mais o projeto, os acadêmicos pretendem colocar um alarme para disparar, caso o sistema não reconheça a biometria cadastrada.

 

 

 

 

 

 

 

Carro Comandado por Controle Remoto – ou melhor, o carro inteligente, como preferem chamar os membros desta equipe. Trata-se originalmente de um carro que pode ser comandado por um controle remoto, à distância, sem fio! No entanto, para os idealizadores deste projeto, a ideia é facilitar o dia a dia do consumidor, em uma aplicação maior. Eduardo é membro da equipe e diz que “pode parecer simples, mas a programação que está por trás do que podemos ver, ou seja, a base do projeto, é muito complexa”. Ainda de acordo com os acadêmicos, a união do Arduino com a criatividade é suficiente para a produção de projetos incríveis, e, neste caso o conceito permite a inserção, das mesmas tecnologias utilizadas no carrinho de controle remoto, nos automóveis que utilizamos no dia a dia. “Foi prazeroso construir tudo isso, nos identificamos com o conceito. Recordo que quando eu era criança eu gostava de mexer com essas coisas, e assim que eu entrei em contato com esse conhecimento, eu descobri que podia fazer muito mais, me sinto grato ao curso e à UNIRON”, destacou Eduardo.

 

 

 

 

 

Fechadura Eletrônica – aqui temos uma fechadura eletrônica acionada por um identificador que utiliza rádio frequência, ou seja, sinais de rádio. Basicamente, é passado um cartão próximo à fechadura, que a aciona, dispensando a utilização de chaves. Sim, a programação foi feita através do Arduino. Paulo Vitor relatou que “as aulas teóricas foram de fundamental importância para o desenvolvimento da habilidade com a programação, até porque sem a base teórica nós não teríamos elaborado o projeto”. Ainda segundo a equipe, essa tecnologia que dispensa o uso de chaves, utilizando apenas um cartão, já é usualmente encontrada em hotéis.

 

 

 

 

 

Luminária Inteligente – ligados na sustentabilidade, uma das premissas educacionais da UNIRON, essa equipe teve como objetivo reproduzir o reator de Tony Stark. Sim, são fãs do personagem. Na prática, o reator é acionado através de um sensor que, basta bater palmas ou um simples estalar de dedos -  plec! plec! - e as luzes se acendem. “O projeto pode ser aplicado em infinitas possibilidades, por exemplo, em um grande sistema de luminárias, integrando desde uma casa inteligente até mesmo uma residência simples”, afirmou Sâmia, membra da equipe. Um detalhe importantíssimo, idealizando a NÃO compra de materiais novos, mas a utilização do que já possuiam, o grupo reciclou a maior parte do que foi utilizado no desenvolvimento do produto. Pedaços de tubo PVC, bastão de cola quente, fios de dobre, LED’s e os sensores reciclados formaram a luminária inteligente, construída dentro da Oficina Maker. Ah, uma curiosidade sobre o personagem inspirador deste grupo, o reator arc é um elemento extremamente importante nas histórias do Homem de Ferro. Apesar de parecer simples, o objeto é poderoso, sendo capaz de alimentar cidades inteiras.

 

 

 

 

 

 

Automação Residencial – temos aqui a “facilidade na palma das mãos”, pois trata-se de um projeto de uma casa que pode ser totalmente controlada utilizando-se apenas um smartphone. Esta equipe desenvolveu um aplicativo que se conecta, via bluetooth, com o módulo que está na estrutura, fazendo toda a comunicação com a casa. É possível ligar e desligar as lâmpadas de todos os cômodos, os aparelhos televisores, as máquinas de lavar, exaustores de ar, etc. Neste projeto, especificamente, foi desenvolvido automação para 6 aparelhos, mas pode ser automatizado 100% de uma casa, de acordo com a necessidade do morador.  Os acadêmicos destacaram que cada um deles, desempenhou uma função, indo para a área que tinha mais afinidade e domínio, dividindo-se em elaboração, desenvolvimento e programação, e montagem do projeto. “Assim como o projeto foi crescendo, nós também fomos crescendo junto com ele, desenvolvendo mais conhecimento e abrindo a mente para expansões futuras do trabalho”, destacou Jeferson, um dos integrantes. Eles disseram que há no mercado marcas que oferecem a tecnologia, mas como a procura ainda é baixa, isso acarreta um preço alto do serviço. Em Rondônia, por exemplo, não há disponibilidade do serviço. “Com o Arduino, por mais que não se possa elaborar um projeto tão complexo, ainda assim existe a possibilidade de ter muito da tecnologia à um custo baixo, e temos o maior interesse em atender uma demanda real, até porque estamos cursando Engenharia Elétrica aqui na UNIRON para entrarmos no mercado também real”, destacaram.

 

É, já deu para notar que a plataforma Arduino tem o objetivo de ser de baixo custo, porque os estudantes precisam conseguir desenvolver seus protótipos gastando o mínimo possível, se permitindo a muitas possibilidades.

 

Isso e muito mais você encontra na Engenharia Elétrica da UNIRON, onde contará com mais de 10 laboratórios altamente equipados, qualidade de ensino e excelentes professores.

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS