close

TRANSPORTE ESCOLAR: Operação recolhe “sucatões” enviados por Hildon Chaves à Ponta do Abunã

Os veículos estavam sem as devidas vistorias e documentações necessárias para esse tipo de atividade

DA REDAÇÃO

28 de Agosto de 2019 às 10:03

TRANSPORTE ESCOLAR: Operação recolhe “sucatões” enviados por Hildon Chaves à Ponta do Abunã

FOTO: (Divulgação)

Uma ação do DETRAN/RO no distrito de Vista Alegre do Abunã, localizado há aproximadamente 260 quilômetros da área urbana de Porto Velho, capital de Rondônia, apreendeu três ônibus escolares durante esta última terça-feira (27).

 

VEJA MAIS

 

TRANSPORTE ESCOLAR: Comunidade se revolta com sucatão e decide fechar escola na capital

 

TRANSPORTE ESCOLAR: Comunidade de União Bandeirantes pode bloquear BR-364 por direito à escola

 

SUCATÃO: Imagens apontam condição perigosa de ônibus escolar na Ponta do Abunã

 

CRISE NA EDUCAÇÃO: Estudantes de 12 comunidades estão sem transporte escolar em PVH

 

Os veículos que realizavam o transporte escolar de crianças que moram ao entorno dos ramais Goobi, Jequitibá e Balsa, estavam sem as devidas vistorias e documentações necessárias para esse tipo de atividade, eles foram recolhidos ao pátio do DETRAN/RO na região.

 

 

Essas apreensões integram a operação Lei Seca, deflagrada na Ponta do Abunã em parceria com o Batalhão Militar de Trânsito, que vem fiscalizando a situação desses ônibus escolares.

 

 A prefeitura de Porto Velho chegou a ser notificada para cobrar da empresa responsável pelo serviço à apresentação das devidas documentações dos veículos, porém o DETRAN/RO não recebeu nenhuma resposta das autoridades competentes.

 

Ônibus velhos

 

Esses veículos chegaram até a região após uma intensa manifestação da comunidade da Ponta do Abunã, que bloqueou o acesso da BR-364 logo após a balsa do rio Madeira  por mais de 48 horas.

 

 

Na época o prefeito Hildon Chaves foi até o pátio onde estavam os ônibus que seriam enviados a essa região, entrou em um deles e chegou a tirar uma foto no banco do motorista e garantiu que os veículos estavam prontos para atender à comunidade.

 

Porém, bastou poucos dias depois para que esses veículos começassem a apresentar falhas mecânicas e deixar novamente os estudantes da região com o acesso à sala de aula prejudicado.  Houve registros de casos em que a comunidade local teve de fazer uma “vaquinha” para comprar uma peça de ônibus a fim de evitar que o transporte paralisasse.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS