close
logorovivo2

APOIO: CDL se une à bancada e entidades produtivas contra aumento de energia elétrica

A posição da CDL Porto Velho é de comum acordo com todas as entidades e instituições que estão unidas questionando esse reajuste

ASSESSORIA CDL

20 de Fevereiro de 2019 às 15:05

APOIO: CDL se une à bancada e entidades produtivas contra aumento de energia elétrica

FOTO: (Assessoria CDL)

A CDL Porto Velho está participando das reuniões que estão sendo realizadas nesta semana, em Brasília, acerca do aumento abusivo de 28% da tarifa de energia elétrica em Rondônia. Participam das reuniões os parlamentares da bancada federal, representantes do Judiciário e do Ministério Público e de outras entidades do setor produtivo de Rondônia.

 

 Na terça-feira (19), o grupo esteve na sede Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Nesta quarta (20), se reunirão com o vice-presidente do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1) Kassio Marques, e posteriormente com o Ministro de Minas e Energia, Almirante Bento Albuquerque. A CDL Porto Velho está sendo representada nessas audiências por Karoline Lima dos Santos Pereira, Relações Institucionais e Governamentais da Confederação Nacional de Dirigentes Lojista - CNDL.

 

A posição da CDL Porto Velho é de comum acordo com todas as entidades e instituições que estão unidas questionando esse reajuste. “Rondônia é um dos estados que mais produz energia elétrica no país. Energia limpa, da matriz hidráulica. Nada justifica o estado ter uma das maiores tarifas do Brasil. Portanto, não podemos aceitar essa disparidade”, defende Joana Joanora, presidente da instituição.

 

Além de todos os parlamentares da bancada federal de Rondônia e da representante da CNDL, estiverem presentes na reunião com o diretor-geral da Aneel, André Pepitone e demais integrantes da diretoria da agência, o presidente do Conselho Estadual de Defesa do Consumidor (CONDECON), Gabriel Tomasete; A juíza Euma Tourinho, do Tribunal de Justiça de Rondônia, além de outros representantes do setor produtivo e Ministério Público de Rondônia.

 

Na Aneel, a juíza, representante do TJ-RO, sugeriu que a agência suspendesse o reajuste por um período de 6 meses. Seria um tempo para que o Estado e a agência encontrassem uma solução. A diretoria da Aneel informou que o Governo do estado já protocolou um pedido de reconsideração do reajuste, em dezembro de 2018, e que esse pedido ainda será analisado. No entanto, não foi dado prazo para julgamento da reconsideração.   

 

A Diretoria da Aneel ouviu as reclamações, críticas e sugestões dos presentes, mas não apresentou alternativas. “Continuaremos a peregrinação até obtermos uma posição favorável à população do Estado de Rondônia”, garante a presidente da CDL.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS