close

DESAPEGA: Projeto socioambiental destina 35 mil quilos de papel à reciclagem

O projeto atende a um dos seis atributos de valor do tribunal: a responsabilidade social e ambiental e está alinhado ao Plano de Logística Sustentável do Poder Judiciário de Rondônia

COMUNICAÇÃO TJ

10 de Dezembro de 2018 às 11:47

DESAPEGA: Projeto socioambiental destina 35 mil quilos de papel à reciclagem

FOTO: (Comunicação TJ)

Após o período de um ano de execução do Projeto Desapega, o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO) obteve saldo expressivo com o trabalho de coleta de resíduos de papel, o que denota o empenho da instituição por práticas socioambientais responsáveis. A iniciativa resultou na destinação de aproximadamente 35 mil quilos de resíduos de papel à reciclagem.

 

O projeto atende a um dos seis atributos de valor do tribunal: a responsabilidade social e ambiental e está alinhado ao Plano de Logística Sustentável do Poder Judiciário de Rondônia; além de cumprir a Lei 12305/10 que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos que determina a responsabilidade dos grandes geradores quanto à destinação adequada dos resíduos produzidos nas atividades-fim.

 

A coleta de papel foi implantada pelo TJRO, em janeiro deste ano, sob a coordenação do Núcleo de Gestão Socioambiental. O projeto propõe a adesão dos servidores para o descarte de papeis oriundos das atividades judiciárias realizadas nas unidades da comarca de Porto Velho, evitando o acúmulo de papel pelas áreas, setores, diretorias, secretarias e departamentos do Poder Judiciário, contribuindo para a redução do impacto ao meio ambiente.

 

Quem está engajado nesse movimento, mesmo antes da implantação do projeto, é o servidor do 2º Departamento Judiciário Criminal (Dejucri), Hernane Cardoso da Silva Junior, que considera a ideia positiva, pois acredita que promove mudança de comportamento. “Eu e os colegas aqui no trabalho já estamos envolvidos com essa atividade há tempos. Na nossa rotina sempre procuramos utilizar pouco papel, mas quando o fazemos procuramos utilizar de modo a pensar no meio ambiente, utilizamos sempre frente e verso, evitando o desperdício e colaborando com o planeta”, ponderou.

 

A sistemática do projeto consiste na disponibilização de duas caixas, uma para rascunho e outra para papel destinado à reciclagem. Os materiais que apresentam conteúdo sigilosos são também reaproveitados, desde que sejam rasgados, rasurados ou picotados.

 

O trabalho contribui para o fortalecimento de organizações que sobrevivem da reciclagem na região de Porto Velho, gerando, assim, renda para os integrantes e cooperados, bem como economia de recursos e valor compartilhado. A Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Porto Velho (Asprovel) é a entidade que recebe a doação dos resíduos.

 

Essa destinação adequada contribui para a diminuição dos impactos ambientais. Continuaremos engajados nessa atividade com o nosso público interno, reforçando sempre a importância de se compreender o real conceito de ações socioambientais. Devemos despertar espertamos, em boa parte de todos aqueles que estão em nossa volta, para o exercício de cidadania, que com simples atitudes podemos contribuir para a qualidade de vida de todos”, frisou Alexandro Pinheiro Almeida, do Núcleo de Gestão Socioambiental do TJRO.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS