close

PERÍODO CHUVOSO: Lixões a céu aberto preocupa moradores e autoridades de saúde

Em cidades onde o lixo urbano ainda não é tratado, a população sofre com o problema

DA REDAÇÃO

24 de Novembro de 2017 às 09:09

PERÍODO CHUVOSO: Lixões a céu aberto preocupa moradores e autoridades de saúde

FOTO: (Divulgação)

Uma tampinha de garrafa, pneus velhos e qualquer outro recipiente que possa acumular água parada, pode se tornar um criadouro para o mosquito "Aedes Aegypti, principal transmissor da dengue. Nos meses de novembro a abril na região norte do país, inicia-se a estação chuvosa do verão Amazônico, período em que os moradores desta região sofrem com o elevado  aparecimento do mosquito. Em cidades onde o lixo urbano ainda não é tratado, a população sofre com o problema.
 
A falta de um aterro sanitário somada ao excesso de chuva faz com que os lixões se transformem em verdadeiros "Berçários" deste inseto indesejável. Além dos objetos que acumulam água parada, por causa do índice pluviométrico, aparecem também as poças de água nesses ambientes, o que proporciona o aumento dos riscos de contaminação.
 
O lixo depositado pela população em lugares inapropriados e a falta de coleta regular em alguns bairros tornam a luta contra a dengue um desafio maior para os agentes de endemias. Em alguns bairros, de cidades que ainda aguardam a implantação do Aterro Sanitário, os moradores precisam pagar para os carroceiros retirarem o lixo da frente das casas, mas, o problema é que muitas vezes eles jogam o lixo em terrenos abandonados que acabam virando criadouros para o mosquito da dengue.
 
"É preciso mais conscientização dos gestores municipais e acabar por definitivo com os lixões a céu aberto garantindo mais saúde à população. Faça a sua parte, denuncie".

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS