close

Resgate da história de Rondônia é anunciada na abertura da Semana da Pátria

Três projetos que têm por objetivo promover o resgate da história de Rondônia foram anunciados.

DA REDAÇÃO

1 de Setembro de 2017 às 17:02

Resgate da história de Rondônia é anunciada na abertura da Semana da Pátria

FOTO: (Divulgação)

Aproveitando o espírito patriótico por ocasião dos festejos dos 195 anos de independência do Brasil, representando o governador Confúcio Moura na abertura da Semana da Pátria, na manhã desta sexta-feira, 1, no Palácio Rio Madeira, em Porto Velho, o vice-governador Daniel Pereira, anunciou pelo menos três projetos que têm por objetivo promover o resgate da história de Rondônia para as novas gerações.

Trata-se da reedição do Livro No Rastro dos Pioneiros, do escritor Amizael Gomes Silva; distribuição de 1.000 exemplares da Missão Rondon, da editora do Senado; e extensão do Projeto Teixeirão, autorizado pelo governador, enquanto os dois primeiros foram solicitados pelo próprio Daniel à Assembleia Legislativa e ao senado, respectivamente.

A proposta, segundo o vice-governador, é valorizar os antepassados pelo histórico de luta em favor do Estado de Rondônia ao mesmo tempo em que atualiza o conhecimento das novas gerações inspirando-as com histórias como a do Marechal Rondon, criado pelo avô após ter ficado órfão de pai e mãe ainda criança e depois por um tio, que a duras penas conseguiu estudar e mais tarde integrar o Brasil do Rio Grande do Sul ao Amapá com a construção das linhas telegráficas, tornando-se um pacificador e patrono das comunicações, sendo indicado três vezes ao Nobel da Paz, uma delas pelo físico Albert Einstein.

O vice-governador citou o momento econômico porque passa Rondônia, que de estado “quebrado” conseguiu “virar a página”, tornando-se referência como pujante, atraindo representações de 40 nações e de vários empresários nacionais, “graças ao empenho do governador Confúcio e de todos os prestadores de serviços”. Sem mencionar nome, ele adiantou o interesse de um empresário de Minas Gerais em valorizar ainda mais o café de Rondônia, industrializando no próprio estado.

Ele ainda pediu para que a população mantenha o espírito patriótico não apenas nos festejos de 7 de setembro e na Copa do Mundo, mas todos os dias, uma prática que deveria ser alimentada a partir das escolas com alunos entoando os Hinos Nacional e da Independência.

Entre os momentos que marcaram a solenidade para a professora Eliane Freitas e o aposentado Manoel Pereira, 84 anos, ambos residentes em Rolim de Moura, foi o hasteamento das bandeiras Nacional, dos Estados e do município de Porto Velho; execução dos Hinos Nacional, da Independência e de Rondônia; oração do padre Eduardo Fabiano, da Paróquia Nossa Senhora do Amparo; e do pastor Joel Holder, da Igreja Assembleia de Deus; e a chegada dos alunos-atletas com a tocha olímpica e após saudar as autoridades civis e militares e o público presente acenderam a pira, fogo simbólico da Pátria, que permanece até a noite do dia 7 em frente ao Complexo Rio Madeira. “Como professora gostei também do resgate da história anunciado pelo vice-governador”, completou Eliane. “Tudo foi muito bonito e emocionante”, reforçou o senhor Manoel, que antes de se aposentar trabalhava na agricultura e por isso nunca havia assistido a uma solenidade cívico-militar.

Carregaram a pira olímpica, o aluno-atleta Dilan da Silva Paixão, da Escola Estadual de Ensino Médio Major Guapindaia, vice-campeão de futsal dos Jogos Escolares (Joer) de 2015 e 2016, campeão da 3ª Copa Patrulha Escolar da Polícia Militar em 2016, da Copa do Brasil adulto de futsal de 2017, Taça do Brasil Sub-20 em 2017, Estadual Sub-20 de 2017, estadual de futsal adulto de 2017 e atualmente participa dos Jogos de Intermunicipais de Rondônia pela seleção adulta de futsal; aluna-atleta Sthefany Karonina Valente Araújo, da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dom Pedro I, campeã de Katá Komite da Copa Eucatur de Karatê em Ji-Paraná, da 6ª Copa Rondônia e estreante na modalidade de ginástica nos Jogos escolares em Ji-Paraná em 2017; e Arthur da Rosa Fouchy, do Centro de Ensino Classe A, campeão dos Jogos Escolares Municipais e Estadual de 2014 e 2015 e participante dos Jogos Estudantis da Juventude em 2014 em Londrina (PR), em 2015 em Fortaleza (CE), representando o basquetebol infantil masculino de Rondônia, além de ter representado Rondônia na seleção de basquetebol sub-15 em Curitiba (PR) e atualmente joga no time da escola como amador.

Entre as autoridades civis e militares presentes estavam o general de brigada José Eduardo Leal de Oliveira, comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva; coronel Marcelo Gonçalves Vilela; capitão de corveta Alexandre Nascimento Santos, delegado fluvial de Porto Velho; coronel aviador, Célio Otávio Araújo Galvão, comandante da Base Aérea de Porto Velho; o secretário municipal de Educação, Marcos Aurélio Marques; servidores públicos e a população em geral.

HISTÓRIA

Até 7 de setembro de 1822, muitas foram as tentativas e muitos morreram na luta pelo ideal da independência. Segundo a história, ao receber uma carta da corte de Lisboa, exigindo seu retorno para Portugal, que há tempos pretendia recolonizar o Brasil, dom Pedro I respondeu negativamente afirmando que “se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, diga ao povo que fico”.

Em seguida tomou uma série de medidas que desagradaram a metrópole e determinou que nenhuma lei de Portugal fosse cumprida sem sua aprovação. Ele ainda conclamava o povo a lutar pela independência. Ao retornar a São Paulo de uma das viagens a Minas Gerais, em 7 de setembro de 1822, próximo ao riacho do Ipiranga, recebeu mais uma carta anulando a Assembleia Constituinte e exigindo sua volta imediata, foi quando então levantou a espada e gritou: Independência ou Morte, marcando, assim, a independência do Brasil de Portugal.

O desfile de 7 de setembro acontecerá na próxima quinta-feira, a partir das 17h, na avenida Migrantes.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS