close

Corpo de Bombeiros simula resgate de vítima de acidente de trânsito

A equipe que realizava a simulação ficou com a 5ª colocação no Campeonato Nacional de Salvamento Veicular, realizado em São Paulo.

DA REDAÇÃO

19 de Julho de 2016 às 09:47

Corpo de Bombeiros simula resgate de vítima de acidente de trânsito

FOTO: (Divulgação)

Você já pensou no que fazer caso se depare com um acidente de carro com pessoas feridas? Primeiramente você deve ligar para o 193, se o carro não estiver apresentando riscos adicionais, como vazamento de combustível, ou se for uma batida simples. Nunca se deve mexer no acidentado. Caso seja uma situação de emergência, como um desabamento, e os bombeiros ainda não estejam no local, você pode ajudar retirando o acidentado do veículo, desde que isso não ponha sua vida em risco também. Foi o que recomendou o Corpo de Bombeiros em uma simulação realizada na tarde desse domingo (17), no estacionamento do Porto Velho Shopping.

A equipe do Corpo de Bombeiros, composta por sete militares, realizou a simulação com o uso de três veículos, sendo um para prevenção de incêndios e duas ambulâncias para atendimento de primeiros socorros. A equipe que realizava a simulação ficou com a 5ª colocação no Campeonato Nacional de Salvamento Veicular, realizado em São Paulo. Foram 22 equipes participantes, e essa posição no campeonato só demonstra que o Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia está preparado para atuar em acidente veicular de forma mais adequada para minimizar danos à vítima”, disse capitão Vandrio Bandeiras dos Anjos.

O objetivo da simulação foi demonstrar a capacidade dos bombeiros em atuação nesse tipo de ocorrência, e ressaltar o papel da sociedade civil quanto ao acontecimento. “A sociedade está bem orientada. Quando tem um acidente desse porte ou outro qualquer, eles que ligam para a central, e quando vamos ao local já vemos que a área está isolada. Essa é a conduta que esperamos da sociedade”, afirmou Vandrio.

Apesar de estar no ranking das cinco equipes mais preparadas do País, o Corpo de Bombeiros atualiza suas técnicas sempre que necessário. Uma delas é o mais novo método de salvamento, chamado de “Extração Ângulo Zero”. Até o ano passado, a regra nacional era retirar a vítima pelo local mais fácil. Agora, com a extração ângulo zero, o acidentado é retirado para onde sua cabeça aponta. Essa técnica tem como objetivo preservar o alinhamento da coluna cervical e lombar para minimizar qualquer dano à pessoa.

VEJA TAMBÉM: Simulação no Porto Velho Shopping pega clientes de surpresa e causa transtornos para alguns

Além da equipe de combate a incêndio, o Corpo de Bombeiros em Porto Velho possui mais três unidades operacionais, que são a Sessão de Resgaste, Busca e Salvamentos e a Sessão de Combate a Incêndio que faz combate preventivo no Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira.

Para Sirléia Paes de Souza, que assistia à simulação, o que lhe chamou mais a atenção foi a forma como tiraram o acidentado do carro. “Eles tiveram muito cuidado com a vítima, para não agravar mais o quadro. O Corpo de Bombeiros realmente preza pela vida das pessoas. Eu acredito que são os profissionais mais sérios com seus serviços”, argumentou.

 

O subtenente Batista, membro da equipe que fazia a simulação, explicou que todo serviço do Corpo de Bombeiros é voltado para a segurança da comunidade. “E esse apoio que as pessoas dão demonstra o quanto estamos fazendo corretamente os serviços”, disse.

Além da simulação de salvamento, o Corpo de Bombeiros também realizava exposição dos equipamentos e alguns trabalhos já realizados. “Essa exposição já é tradição do Corpo de Bombeiros, e sempre alcançamos o público esperado. A exposição tem o cunho de aproximar a instituição da sociedade e acreditamos que essas atividades, escaladas, pinturas, exposição de equipamentos e vestimentas, criam um elo entre bombeiros e a comunidade”, ponderou o tenente-coronel, Lindoval Rodrigues.

Bárbara Carla Custódio, mãe de Marcelo e Murílo, que também assistiam à simulação, considera que a interação que as pessoas têm com o Corpo de Bombeiro incentiva e orienta sobre o que se pode fazer quando a vida corre risco, e muitas vezes muda escolhas profissionais. Seus filhos Marcelo e Murilo já disseram que quando crescerem querem ser bombeiros. O que para ela é gratificante, pois sempre que precisou do atendimento dos bombeiros, segundo ela, foi atendida com eficiência.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS