close

EXPEDIÇÃO BR 319 - Moradores imploram pelo fim do isolamento

EXPEDIÇÃO BR 319 - Moradores imploram pelo fim do isolamento

DA REDAÇÃO

28 de Outubro de 2015 às 07:30

EXPEDIÇÃO BR 319  - Moradores imploram pelo fim do isolamento

FOTO: (Divulgação)

As famílias que moram ao longo da BR 319, no território amazonense, vão demorar para esquecer o dia em que viram de uma só vez na estrada, uma comitiva com mais de quarenta veículos levando representantes do senado federal, deputados estaduais de Rondônia e Amazonas e do principal órgão responsável pela rodovia, o DNIT.

Mas eles queriam mais, tanto queriam que cobraram com faixas, cartazes e depoimentos o fim do isolamento entre dois tão importantes estados da Amazônia. Os parlamentares ouvidos reclamações em todos os tons, todos cobrando uma garantia para que a estrada ofereça condições de tráfego de inverno a verão.

“Quando eu cheguei aqui me disseram que essa estrada ia abrir logo. Moro há vinte ano e vejo é a situação piorando a cada ano”, lamenta o agricultor Jocélio Martins, que reside na agrovila Realidade.

Parte do que os moradores cobram está bem próximo dali. Bueiros em concreto e vigas de madeira que seriam usados na construção de pontes, que foram “esquecidos” ás margens da rodovia, depois que o IBAMA embargou a obra de recuperação do trecho alegando danos ambientais.

Foi essa restrição aliás que motivou a viagem dos expedicionários. A senador amazonense Vanessa Graziotin (PC do B) se encarregou de produzir um robusto relatório para entrega-lo á justiça e mostrar que não existe nenhuma transgressão ambiental na rodovia.

“Qualquer leigo vindo aqui vai constatar que a reabertura da estrada não agride em nada o meio ambiente. As obras consistiam apenas na limpeza das laterais e recuperação de pontes danificadas, nada mais”, criticou ela insatisfeita com a medida.

Pontes dificultam tráfego de ônibus

Em vários trechos da rodovia, onde carros de porte médio e pequeno conseguem transpor as subidas e descidas, os ônibus enfrentam problemas para avançar. Com as pontes danificadas e até ruídas, a passagem é improvisada em desvio laterais. Nesses pontos, os ônibus acabam “enganchando” e só com ajudar de um trator saem do local, como aconteceu três vezes com que o transportava a comitiva.

Encontro de clamor

Na altura do km 375, a expedição foi interceptada por um manifesto pacífico de moradores da cidade de Manicoré, localizada a 86 km do eixo da BR. Sabedores de que as autoridades passariam por lá, eles aguardaram por mais de dez horas para cobrarem empenho e união política para a retomada das obras e conclusão da pavimentação.

O prefeito da cidade, vereadores, empresários e religiosos estiveram no encontro. No local, o vice governador de Rondônia Daniel Pereira (PSB), disse que a presença maciça de deputados e da bancada federal era uma mostra do comprometimento de Rondônia pelo fim do isolamento.

400 km no “deserto”

Do trecho onde inicia o embargo da rodovia até o ponto onde ele termina, são mais 400 km onde não se encontra ás margens da 319 nenhum sinal da presença de moradores na área. Como se fosse combinado, naquele longo trecho não existem casas nem plantações, fato que chamou a atenção da comitiva. O “deserto” termina ás margens do rio igarapé-açú, onde funciona a primeira balsa que faz a travessia de carros na rodovia.

Comício e chegada a chegada a Manaus

Na cidade de Careiro do Castanho, ponto onde a 319 já está totalmente asfaltada, a recepção á caravana foi mais calorosa. Os moradores celebraram a passagem do grupo com uma carreata que terminou com um mino comício na praça principal. Lá, as autoridades amazonenses pela primeira vez chamaram para si a responsabilidade e reforçaram o compromisso da luta em favor da rodovia.

Apesar da rodovia do maior trecho da rodovia está concentrado dentro do estado do Amazonas, foram as autoridades rondonienses quem puxaram o movimento pró BR, mas segundo o presidente da Comissão de Transportes da ALE, deputado Só Na Bença (PMDB), a bandeira não distingue estados, mas une a classe política em favor da rodovia.

Depois de 14 horas na estrada, a expedição chegou a Manaus por volta das 21 horas de terça-feira (27). Nesta quarta-feira, na Assembleia Legislativa de Rondônia, todos participam de uma audiência pública onde a pauta única será a tão sonhada BR 319.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS