close
logorovivo2

Sexta-feira de atentados deixa o mundo em estado de alerta

Sexta-feira de atentados deixa o mundo em estado de alerta

DA REDAÇÃO

26 de Junho de 2015 às 14:33

Sexta-feira de atentados deixa o mundo em estado de alerta

FOTO: (Divulgação)

Nesta sexta-feira (26), três ataques terroristas organizados por radicais islâmicos abalaram diferentes regiões do mundo. As autoridades da França, Kuwait e Tunísia ainda estão

investigando os atos ocorridos em seus territórios.

Um homem foi encontrado decapitado em frente a uma fábrica de produtos químicos na cidade de Saint-Quentin-Fallavier, localizada próxima ao município de Lyon, em um atentado no qual pelo menos uma pessoa morreu e duas outras ficaram feridas.

Junto à cabeça decepada, que continha inscritos em árabe, os autores do ataque depositaram uma bandeira do Estado Islâmico. Segundo informações da imprensa francesa, o francês identificado como Yassin Sahli, de 35 anos, tentou explodir diversos botijões de gás dentro da fábrica, o que conseguiu em parte, ao bater com seu veículo contra os recipientes. O agressor sobreviveu à detonação e foi preso.

No Kwait, país localizado na Ásia Ocidental, 25 pessoas morreram depois que uma bomba explodiu em uma mesquita islâmica xiita (corrente islâmica dominante no Irã e Iraque) na capital do país, deixando pelo menos 25 mortos e diversos feridos.

O grupo terrorista Estado Islâmico, que domina um território amplo em regiões do Iraque e da Síria, onde declarou um califado há quase um ano, assumiu a autoria do atentado no Kuwait.  De acordo com um comunicado divulgado na internet, o grupo afirmou que o ato foi cometido por um suicida que usava um cinto carregado de explosivos. No entanto, a autenticidade da mensagem ainda não foi confirmada pelas autoridades.

Já a Tunísia foi abalada por dois atos de terrorismo que resultaram na morte de 37 pessoas. Terroristas armados abriram fogo contra turistas hospedados em dois hotéis na cidade de Susa, no nordeste do país. O município é um tradicional pólo de turismo na região.

Segundo informações da Reuters, um dos atiradores, que carregava um fuzil Kalashnikov, foi morto após trocar tiros com a polícia. Testemunhas que estavam em um dos hotéis atacados explicaram à Efe que "dois ou três homens entraram com fuzis no hotel e abriram fogo contra as pessoas que estavam em sua passagem".

Os três ataques aconteceram praticamente ao mesmo tempo em diferentes países de diferentes continentes: Europa, África e Ásia, respectivamente. Além disso, pelo menos dois das três nações atacadas já haviam passado por situações semelhantes recentemente.

Em janeiro, extremistas islâmicos invadiram a redação do jornal satírico Charlie Hebdo, que costuma publicar charges do profeta muçulmano Maomé, e causaram um massacre. Já na Tunísia, um grupo de turistas estrangeiros foi assassinado por jihadistas na capital Túnis em março, em um dos piores ataques da última década no país.

Uma das possíveis motivações para os ataques terroristas simultâneos é a proximidade do aniversário de um ano da declaração pelo Estado Islâmico do califado em regiões do Iraque e da Síria.

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS