close

Agência Idaron faz controle da raiva animal

Nesta segunda-feira (6), todos os fazendeiros e sitiantes, moradores na região que abrange da Linha C-50 a C-75 do Travessão B 40 da BR-421, serão notificados a vacinar seus animais contra raiva animal, pela equipe técnica da Agência de Defesa Sanitária A

DA REDAÇÃO

7 de Abril de 2015 às 05:00

Agência Idaron faz controle da raiva animal

FOTO: (Divulgação)

Nesta segunda-feira (6), todos os fazendeiros e sitiantes, moradores na região que abrange da Linha C-50 a C-75 do Travessão B 40 da BR-421, serão notificados a vacinar seus animais contra raiva animal, pela equipe técnica da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) de Ariquemes.

A medida foi tomada após ser constatado na quarta-feira (1), a morte de um cavalo por raiva animal em uma propriedade do Travessão B-40, da Linha C-65 da BR-421, zona rural de Ariquemes.

Diante do ocorrido, a equipe técnica da Idaron, fez o mapeamento da região e está monitorando aproximadamente 300 propriedades, em um raio de 12 quilômetros do local do registro da morte do animal.

Os proprietários de terra da região que abrange da Linha C-50 a C-75 serão obrigados a vacinar todos os animais contra a raiva animal, sob pena de multa. Além dos bovinos, cavalos, burros, jumentos, mulas e carneiros devem passar pelo mesmo procedimento.

O veterinário da Idaron, Murilo Freitas explica que os animais que receberem a vacina contra a raiva pela primeira vez ou tiverem sido vacinados há mais de um ano, deverão receber uma dose de reforço após 30 dias da primeira aplicação.

No monitoramento às propriedades, as equipes de técnicos da Agência estarão em busca de novos animais doentes, animais espoliados por morcegos hematófagos (morcegos que se alimentam de sangue) principal transmissor da raiva na zona rural, e ainda abrigos onde possam existir esses morcegos.

Segundo o veterinário da Idaron, Murilo Freitas, o último caso de raiva detectado em Ariquemes, foi há cinco anos em um bovino. Ele explica que o bloqueio num raio de 12 quilômetros é fundamental, pois objetiva controlar a doença através de vacinação em massa dos animais susceptíveis e controle populacional do morcego transmissor.

Caso sejam encontrados outros animais infectados pelo vírus da raiva, novo bloqueio será estabelecido, compreendendo uma nova área perifocal de mais 12 quilômetros de raio a partir da propriedade onde for diagnosticado o animal doente.

“A raiva animal, é uma zoonose, por conta disso, é um problema de saúde pública, porque o ser humano pode ser contaminado e vir à morte”, afirma Murilo Freitas.  Segundo ele, os moradores desta região serão orientados a procurar uma unidade saúde caso tenham tido contato com animais suspeitos de estarem acometidos pela raiva. “As pessoas que de alguma forma estiveram perto ou manusearam animais suspeitos, devem se dirigir a uma unidade de saúde”, avisa.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS