close

Dentista deve pagar 54 mil de fiança por dirigir embriagado

Um odontólogo, de 33 anos, teve que pagar uma fiança no valor de 75 salários mínimos, algo em torno de 54 mil reais, dois dias após ter sido preso em flagrante pela Polícia Militar por embriaguez na direção e direção perigosa.

DA REDAÇÃO

2 de Março de 2015 às 08:50

Dentista deve pagar 54 mil de fiança por dirigir embriagado

FOTO: (Divulgação)

Um odontólogo, de 33 anos, teve que pagar uma fiança no valor de 75 salários mínimos, algo em torno de 54 mil reais, dois dias após ter sido preso em flagrante pela Polícia Militar por embriaguez na direção e direção perigosa. A prisão teria ocorrido por volta das 20h30 do dia 10 de janeiro deste ano, na esquina das ruas Santos Dumont com João Paulo I, em Ouro Preto do Oeste.

O suspeito, segundo a polícia, teria sido inicialmente detido ao ser flagrado conduzindo seu veículo realizando direção perigosa. No momento da abordagem, foi constatado que o mesmo estava visivelmente embriagado e, após ter se negado a realizar o teste do bafômetro, foi conduzido ao hospital municipal onde realizou um exame clínico de embriaguez e alteração da capacidade psicomotora.

Consta ainda no boletim policial que o motorista, a todo momento, se apresentou nervoso e com palavras insinuava que os militares não saberiam que carro era o dele e que eles não estavam prendendo fusca ou Escort. Disse também que os policiais não sabiam ler o nome de seu veículo. Falou ainda que possuía dinheiro para pagar uma fiança e não seria por causa de dois salários mínimos que iria ficar preso.

Já na unidade de saúde, os PMs relataram que o odontólogo ameaçou um dos policiais falando que iria matá-lo e que possuía duas armas, sendo elas uma espingarda calibre 12 e uma pistola .40. O suspeito teve que ser algemado até ser apresentado ao comissário de plantão da Delegacia de Polícia Civil. Na ocorrência, cita que sua esposa informou que o suspeito já teria passagem pela polícia por embriaguez na direção.

O delegado que realizou o flagrante, Ícaro Alex, informou que provavelmente o magistrado que estipulou o valor da fiança teria se atentado ao teor do boletim de ocorrência, onde consta que o suspeito havia tentado humilhar os policiais na questão financeira e que teria dito que não seria por causa de dois salários mínimos que ele iria ficar preso.

Ícaro explicou que, caso o suspeito seja inocentado, poderá ter de volta parte do valor da fiança, tendo apenas que arcar com as custas processuais. E que a fiança é um meio de garantir a liberdade do acusado, e também garantir que o suspeito se apresente a todo.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS