close
logorovivo2

Desentendimento entre vereadores em programa de rádio chega à tribuna da Câmara

Ao fazer uso do seu direito de resposta o atual presidente da Câmara de Vereadores, o vereador Fábio Garcia (PDT) se desentendeu com o apresentador do programa.

DA REDAÇÃO

17 de Outubro de 2014 às 10:12

Desentendimento entre vereadores em programa de rádio chega à tribuna da Câmara

FOTO: (Divulgação)

Ao fazer uso do seu direito de resposta o atual presidente da Câmara de Vereadores, o vereador Fábio Garcia (PDT) se desentendeu com o apresentador do programa e também vereador Jorge Lopes Câmara (PV), após o embate fora do ar, na sessão desta última quinta-feira (16) os vereadores trocaram acusações.

Durante programa Tribuna do Povo, da rádio Rondônia FM, o apresentador Jorge Câmara teria chamado de incompetente o presidente Fábio Garcia, popularmente conhecido por Netinho, fato este também repetido durante sessão. Diante das afirmações, Netinho solicitou verbalmente o direito de resposta ao apresentador, sendo lhe cedido o espaço já no final do programa de quarta-feira (15). Netinho ao dar explicações sobre gastos e aquisições adquiridas em seu mandato, o apresentador Jorge Câmara retrucava as colocações, momento que foi citada a aquisição de um veículo para a Casa de Leis, o vereador Câmara afirmou que toda vez que lhe era cedido o veículo no período da tarde o mesmo estava sem combustível, afirmando que o utilizaria para fiscalização no município e região. O presidente disse então que era simples, bastava o edil abastecer no posto, mas a resposta de Netinho irritou Jorge, que cessou a entrevista então ouviu-se um bate boca nos últimos minutos antes das 8h que encerrava o programa.

Durante pronunciamento na sessão ordinária realizada na noite desta quinta-feira, o vereador Jorge Câmara reafirmou seu compromisso como vereador, afirmando saber do seu papel de cobrar e fiscalizar, justificando assim as denúncias que faria naquele momento da atual presidência. Passou a dizer que seus votos não foram comprados ao seu eleito, dizendo claramente que o presidente não está preparado para o cargo, que há um despreparo psicológico de Netinho. Para o vereador muitas coisas estão erradas, baseando-se em dados da Controladoria da Câmara que estabelece o quantitativo de quinze assessores deveria passar para dez assessores, acumulação de função de cargo, da sessão de compras pelo presidente da Comissão Licitação da Diretoria Financeira. A realização de compras em um supermercado sem licitação, posteriormente foi feita a licitação e compra de materiais hidráulicos para construção de um banheiro, do Processo nº 55/2013, no valor aproximado de R$ 6 mil reais. Em 2013 o pagamento do almoço de deputados estaduais quando realizavam sessão itinerante no município no valor de R$ 14.900,00, para o edil foi uma falta de respeito porque os deputados se deslocaram a Guajará-Mirim com diárias. Câmara disse que havia previsão no orçamento da Câmara para ampliação, sendo construção de biblioteca e garagem, afirmando mais uma vez que o presidente não está preparado para assumir a presidência da Câmara de Vereadores. A demissão de assessores durante a campanha eleitoral foi destacado pelo edil. Jorge Câmara disse que o presidente ao usar a tribuna iria lhe acusar de não ter participado da viagem em Brasília realizada pelos vereadores, frisando que somente viajou porque foi convidado e para ele era mais importante buscar o seu deputado federal que destinará emenda para o município. “Sou aqui na Câmara do baixo clero, não faço parte de qualquer comissão”, afirmou Câmara quando citou que tirou dinheiro do bolso para abastecer o veículo da Câmara quando precisou realizar fiscalização, decidindo então não mais utilizar o carro e preferindo usar seu transporte própria para realizar sua função de vereador. Ainda discursou:“ainda, mais ainda bem, graças a Deus que a população não elegeu o vereador Netinho a deputado estadual na última eleição, seria uma vergonha, seria uma decepção. Olhem como está as condições dessa Casa, ar condicionado da época do vereador Célio Targino de Melo. Eu ouvi dizer que estão fazendo campanha contra mim no what zap, podem fazer presidente o senhor tem dinheiro para bancar o que imaginar, só que depois Vossa Excelência não vai responder ao Tribunal de Contas e devolver valores , não vai depender de favores da Câmara de Vereadores... “ desabafou o vereador Jorge Câmara.

O presidente Fábio Garcia, o Netinho,  de imediato retrucou que o vereador Jorge Câmara é o vice presidente da Comissão de Administração, Constituição, Justiça e Redação. O valor de pouco mais de R$ 6 mil reais foi cumprido com o reparo de lâmpadas salas e corredores, de reparos de pias, fechaduras de portas. Citando que os vereadores Cleber e Josué Bocão com o aumento nesta legislatura de vereadores, os mesmo não tinham gabinete sendo investido na reforma para atender os dois edis. “Ele (Jorge foi a Brasília diz aqui que foi trabalhar, mas no primeiro dia todos os vereadores que foram a Brasília foram dez estão aqui presente, no primeiro dia da reunião o vereador Jorge Câmara não compareceu a nenhuma reunião, fizemos cinco ou seis reuniões. Se ele foi pro show ou pra Goiânia não sei, não quero saber da vida dele, o importante que nós participamos das reuniões e tiramos fotos para prestar conta... Foi feita uma denúncia aqui nessa Casa de Leis, ele ficou com raiva de mim porque ela aqui. Falou até que eu não podia ter lido aqui essa denúncia, dizendo que está no Regimento Interno, aonde é que está no Regimento que eu não posso ler uma denúncia? Eu não posso colocar uma matéria para votar. Agora eu sou incompetente, eu não sei do Regimento Interno da Lei Orgânica, então o incompetente sou eu. Ele também falava mal do prefeito, todo mundo é ciente disso depois que contratou a mulher dele, ele parou de falar mal”, denunciou Netinho.

Continuou Netinho: “fui ao programa dele por que ele me chamou incompetente gente, fui perguntar porque sou incompetente? Só porque eu comprei uma caminhonete zero aqui para Câmara?... Será que sou incompetente porque as compras da Câmara, se vocês quiserem ver está tudo aqui dentro, e com 36 mil, diferente da outra legislatura se gastava mais de cento e vinte mil, não querendo criticar...” Quanto a crítica sobre assessores, Netinho disse que tem que obedecer a risca o número, citando sob a Lei de Responsabilidade Fiscal, aprovado pelos edis para diminuir o salário dos mesmo para que possa manter os assessores. Para o presidente o vereador deveria ter mais educação, pois quando ele pegou o veículo da Câmara o horário foi no período fora do expediente, não podendo assim emitir a aquisição. “Uma outra vez o vereador pegou o carro da Câmara e não dormiu aqui, ele disse que foi um assessor que acabou levando para a casa”, denunciou Netinho. No final de seu pronunciamento, Netinho foi aplaudido por simpatizantes.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS