close
logorovivo2

Sem novos desabrigados Defesa Civil reforça trabalho nos alojamentos

Sem novos desabrigados Defesa Civil reforça trabalho nos alojamentos

DA REDAÇÃO

17 de Abril de 2014 às 08:34

Sem novos desabrigados Defesa Civil reforça trabalho nos alojamentos

FOTO: (Divulgação)

O movimento de recuo do rio Madeira, cuja cota esteve ontem na média de 18,76 metros, manteve a Defesa Civil Estadual concentrada no atendimento às famílias que estão em alojamentos improvisados e no Abrigo Único, em Porto Velho. A distribuição de água potável, cestas básicas e kits de limpeza é feita por militares do Exército, Corpo de Bombeiros e Base Aérea com maior intensidade às famílias dos distritos localizados na região do Baixo Madeira, como São Carlos, Nazaré e Calama.
Além de Porto Velho, o município mais impactado pela enchente recorde na Bacia do Madeira, continuam sofrendo os efeitos da inundação os municípios de Nova Mamoré, Guajará Mirim, Costa Marques, Ji-Paraná, Cacoal, Pimenta Bueno, Jaru e Candeias.
12 - atuação da defesa civil
Em Porto Velho, 3.758 famílias precisaram deixar suas moradias por conta da enchente. Destas, 1.646 foram alojadas pela Defesa Civil.
Em todo o Estado, o segundo município com maior número de famílias afetadas é Guajará Mirim, com 903 impactadas, seguido de Pimenta Bueno, com 880.
Monitoramento
A Defesa Civil Estadual também trabalha com informações da CPRM – Serviço Geológico do Brasil, que prevê que o nível do rio Madeira, em Porto Velho, permanecerá, provavelmente, em recessão com pequena variação.
A CPRM acompanha a evolução da cheia do Rio Madeira por meio de permanente medição de vazão com equipamentos de tecnologia avançada, que incluem medidores acústicos.
 
 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS