close
logorovivo2

PAINEL POLÍTICO – Jesualdo vai trabalhar com orçamento apertado em Ji-Paraná – Por Alan Alex

PAINEL POLÍTICO – Jesualdo vai trabalhar com orçamento apertado em Ji-Paraná – Por Alan Alex

DA REDAÇÃO

18 de Outubro de 2012 às 19:01

PAINEL POLÍTICO – Jesualdo vai trabalhar com orçamento apertado em Ji-Paraná – Por Alan Alex

FOTO: (Divulgação)

Transição
 
Tão logo foi declarado eleito prefeito de Ji-Paraná, a segunda maior cidade do Estado, Jesualdo Pires deu início aos trabalhos com sua equipe. Reuniu-se com o atual prefeito José Bianco e colocou seus técnicos para conversar com os atuais assessores da prefeitura. Jesualdo quer uma transição tranquila e ao contrário de muitos eleitos, já sabe exatamente o que fazer quando assumir o cargo, em 1º de janeiro de 2013.
 
Prioridades
 
Jesualdo vai receber um município que sofre com enchentes anuais e isso gera um grave problema social e econômico. A geografia acidentada da cidade também não é de grande ajuda, além de ruas estreitas e dezenas de outros problemas estruturais. Jesualdo e sua equipe também terão um orçamento apertado, estimado em R$ 140 milhões para 2013. Com uma população de pouco mais de 118 mil habitantes a “Capital da BR” já foi administrada por Jair Ramires (esse mesmo, o da grama), Acir Gurgacz (que abandonou a cidade 1 ano e meio após ter sido eleito) e por último José Bianco, que conseguiu empurrar seu ex-secretário José Batista para gerenciar a saúde do Estado e terminou preso na Operação Termópilas.
 
Gastos
 
Um orçamento de R$ 140 milhões representa pouco mais de R$ 1,1 milhão por mês. Entre setembro de 2010 e agosto de 2011 o município gastou mais de R$ 63 milhões apenas com pessoal, e o limite prudencial determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal era de pouco mais de R$ 68 milhões. Entre janeiro e agosto de 2011 o município gastou mais de R$ 125 milhões em despesas gerais, entre pessoal, pagamentos de dívidas e repasses para Legislativo entre outros. Com isso, percebe-se que Jesualdo Pires não vai ter muito dinheiro para investir em infra-estrutura, a não ser que obtenha recursos externos.
 
Como se vê
 
A cidade, cujo PIB total é de R$ 1.354.955,00 e o “Per capita” de R$ 12.239,10, parece ter acertado no próximo prefeito dessa vez. Jesualdo é comprometido com Ji-Paraná e a prova disso foi a expressiva votação obtida na última eleição, quando teve 73,12% dos votos válidos, o que lhe imputa uma enorme responsabilidade. Mas ele vinha se preparando para isso há muito tempo e certamente não deverá decepcionar seus eleitores.
 
Na berlinda
 
O Ministério Público Eleitoral representou Edvilson Negreiros, que foi eleito vereador no último pleito, mas chegou a ser preso durante a campanha por suposta compra de votos. De acordo com o MPE, Negreiros prometeu doar brindes a alunos do curso de Engenharia Florestal da FARO e ainda teria emprestado uma chácara para a realização de confraternização daquele curso. Tudo isso, com a intenção de obter votos dos acadêmicos participantes e de outros que pudessem aderir.
 
E mais
 
 
Em reunião com os acadêmicos, no dia 25 de agosto de 2012, o então candidato a vereador e seu pai, José Edilson (Ceará Miséria), prometeram doar uma motocicleta e duas TVs de LCD para serem sorteadas em rifa e com isso auferir recursos para festividades de formatura e também ceder uma chácara para as festividades dos acadêmicos e seus familiares, inclusive com garantia de transporte.
 
Araponga
 
 
Ainda segundo o MPE, a intenção com as promessas era a obtenção dos votos dos acadêmicos. Edwilson Negreiros pediu a formação de uma comissão para uma nova reunião, na qual o então candidato a vereador e seu pai, José Edilson, pretendiam ter quantidade maior de alunos para serem aliciados a votar com a promessa de receberem vantagens. Tais promessas feitas pelo vereador eleito com a intenção de obter os votos dos acadêmicos foram gravadas por agente da Polícia Federal, com prévia autorização da Justiça.
 
A intenção
 
Do Ministério Público Eleitoral é evitar a diplomação de Negreiros e o prazo para isso esgota em 19 de dezembro deste ano.
 
Apoio
 
O PP de Ivo Cassol vai apoiar o PV de Lindomar Garçon neste segundo turno das eleições em Porto Velho. O anúncio oficial deverá estar nas páginas dos sites e jornais desta sexta-feira. Uma reunião no PP, realizada na noite desta quinta-feira está selando o apoio.
 
Que não é
 
Nenhuma surpresa. Em 2008 Lindomar Garçon era o candidato de Cassol em Porto Velho e o então governador deu todo o apoio. Naquela eleição eles perderam para Roberto Sobrinho que foi reeleito.
 
Só olhando
 
O presidente da Assembleia Legislativa Hermínio Coelho lamentou nesta quinta-feira a ausência de órgãos representativos do governo para a audiência pública que discute a pesca na bacia hidrográfica dos rios Guaporé e Mamoré, que foi realizada em Pimenteiras. E Hermínio está certíssimo em ficar aborrecido com a falta de representantes do governo nessa discussão. O tema é sério e mexe com a vida de centenas de famílias que sobrevivem da pesca na região.
 
As relações
 
Entre o Executivo e o Legislativo estão azedas a bastante tempo, mas isso não é motivo para o governo não enviar representantes para uma questão tão séria quanto essa. Era uma boa oportunidade para o novo Chefe da Casa Civil dar o ar da graça e mostrar a que veio.
 
Polêmica
 
A presidente Dilma Roussef sancionou o Novo Código Florestal, mas canetou nove vetos, o que deixou a bancada ruralista irritada. Para Moreira Mendes, por exemplo, a presidente “desrespeitou o Congresso com essa atitude”. E ele foi mais além, “o veto de um assunto já discutido por três vezes no Congresso Nacional significa um desrespeito aos parlamentares, foi um deboche do Executivo em não respeitar o Congresso. Talvez a presidente esteja querendo fazer do Brasil uma Venezuela, mas aqui é diferente temos instituições sólidas e está ai o STF dando resposta a isso, por exemplo”.
 
Já o Padre Ton
 
Considerou os vetos significam a defesa da pequena propriedade e do meio ambiente. “Acho que ao resgatar, com o veto, o equilíbrio entre o tamanho da propriedade e faixa de recomposição estabelecida na proposta original, que atendia imóveis rurais de até quatro módulos fiscais, a Presidenta reconhece que é preciso olhar diferenciado para a pequena propriedade”. O deputado federal petista ainda defendeu os demais vetos presidenciais, argumentando que cada um deles teve um motivo plausível. Pelo sim, pelo não, a confusão está armada e certamente o Novo Código Florestal deverá ser debatido no STF.
 
Vamos torcer
 
Para que os ilustres ministros não façam com o Novo Código o mesmo que fizeram com o julgamento da Raposa Serra do Sol, que pela demora causou uma série de transtornos tanto aos índios quanto aos arrozeiros.
 
Fale conosco
 
Contatos com a coluna podem ser feitos pelos telefones (69) 3225-9979 / 9209-0887, ou ainda pelo e-mail alan.alex@gmail.com. No Facebook/painel.politico, no Twitter/painelpolitico ou ainda no www.painelpolitico.com. Caso queira entregar denúncias ou documentos, favor encaminhar para Avenida Abunã, 1345, Olaria, Porto Velho – RO aos cuidados de Alan Alex.
 
Hábito de pular o café da manhã faz o cérebro buscar gordura
 
O cérebro fica ávido por alimentos calóricos quando se começa o dia em jejum, segundo uma nova pesquisa. Exames de imagem com 21 pessoas com peso normal mostraram que o hábito de pular o café da manhã fez com que elas comessem mais na hora do almoço. Os pesquisadores do Imperial College London ficaram curiosos sobre o que acontecia no cérebro para alterar o tipo de comida escolhido, então mostraram a estas pessoas fotos de alimentos calóricos enquanto elas eram colocadas no aparelho de ressonância magnética. Em alguns dias, os voluntários não tomaram café da manhã antes do exame e, em outros, foram alimentados com uma refeição de 730 calorias no início do dia, uma hora e meia antes do exame. Os resultados, apresentados na conferência Neurociência 2012, mostraram que o cérebro mudava a resposta às fotos de alimentos calóricos — mas não às dos alimentos magros — quando o café da manhã tinha sido pulado. A parte do cérebro envolvida no apelo à comida, o córtex orbitofrontal, ficava mais ativa quando o estômago estava vazio, segundo a pesquisa. Quando o almoço era oferecido no fim dos exames, os voluntários comiam 20% mais calorias se tivessem começado o dia em jejum. os nutricionistas ouvidos acreditam que o café da manhã esteja relacionado à estabilização dos níveis de açúcar, que nos mantém “na linha”.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS