close
logorovivo2

PAINEL POLÍTICO – ALAN ALEX - Batista ia pedir exoneração, mas Valter não deixou. Ouça

PAINEL POLÍTICO – ALAN ALEX - Batista ia pedir exoneração, mas Valter não deixou. Ouça

DA REDAÇÃO

7 de Fevereiro de 2012 às 17:09

PAINEL POLÍTICO – ALAN ALEX - Batista ia pedir exoneração, mas Valter não deixou. Ouça

FOTO: (Divulgação)

 Achaque
Um empresário que foi indiciado na Operação Termópilas ficou com um crédito de 30% nos cofres do governo. Ele não recebeu por que o governador vetou seu pagamento seguindo uma orientação, não determinação, do Ministério Público. Mas ele ainda não recebeu por que, segundo ele próprio informou, não quer dispor de um “agrado” para um emissário que anda cobrando quase que diariamente. De acordo com o empresário, esse “correria” afirmou que tem como liberar o pagamento, desde que ele concorde em repassar parte dessa grana, o que ele não quer fazer.
Cara dura
Mas ele ficou indignado mesmo foi com a audácia do emissário, em lhe procurar após a Operação Termópilas. Para o empresário, esse assunto estava mais do que encerrado. Ele só quer receber seus créditos para poder quitar alguns débitos remanescentes, mas já falou que não vai dar “dinheiro para filha da p*ta nenhum”.
Enquanto isso
Continua um monte de gente ainda questionando se Batista fez ou não a tal delação premiada. A resposta é não, não fez. Batista foi denunciado em quatro ações penais até o momento e pode ser que esse número aumente. E ele vai continuar preso. Só a título de esclarecimento, para cada ação penal, cabem 81 dias de prisão provisória. Ou seja, se são quatro até agora, ele pode ficar preso, em tese, por 324 dias.  Se ele falar, pode ser que saia, do contrário, a coisa pode espichar, e muito.
Pressão total
Batista não costuma agüentar pressão se não estiver levando vantagem. Para se ter uma idéia, em setembro do ano passado, por volta das 18 horas, Batista estava na ante-sala do Palácio do Governo pronto para pedir exoneração do cargo. Ele então recebe um telefonema de Valter Araújo perguntando se estava “tudo bem”. Batista informa a Valter que estava no palácio para pedir demissão, porque “a pressão estava grande”.
Na fazenda
Valter então pede a Batista que vá a sua fazenda “antes de fazer essa besteira”. Batista diz “mas eu já tô aqui (na ante-sala do governador)” e Valter diz, “diz que vai sair uai, vem aqui” e Batista, após essa conversa com o então presidente da Assembleia, desiste de entregar o cargo. Os motivos? Talvez a gente venha saber no dia que ele resolver fazer a tal delação premiada.

Conversa

Ouça a íntegra da conversa entre Valter Araújo e Batista: 

 Competência

A ACO 1848 que tramita no Supremo Tribunal Federal do Ministério Público Federal contra o Ministério Público estadual de Rondônia trata-se de um conflito de competência. Uma investigação contra uma seguradora em Rondônia gerou esse conflito. O MPE encontrou vestígios de crimes contra o sistema financeiro nacional e tentou passar a investigação para o MPF, que por sua vez discordou desse entendimento. Uma vez gerado o conflito, a questão deve ser definida pelo Supremo, conforme orientação do ministro Cézar Peluso. As informações foram repassadas pelo próprio Ministério Público Estadual, que como parte teve acesso a inicial que se encontra na secretaria judiciária do STF.
Outra
Segundo informações repassadas pelo procurador-geral de Justiça de Rondônia, Héverton Aguiar, ele não esteve no escritório do advogado Orestes Muniz na véspera da Operação Termópilas. De acordo com o procurador, ele esteve uma única vez no local para visitar um advogado que atua naquele escritório e que foi seu aluno. E isso não aconteceu na véspera da operação.
Três meses
Esse é o tempo em que falta no Hospital de Base o medicamento Manitol, usado como laxante para o preparo de dois exames importantes, a colonoscopia e o retosigmodoscopia. O remédio é essencial para fazer ambos os exames.
Na grade
Mário André, diretor do jornal O Estadão, preso na Operação Termópilas, que havia sido transferido para a unidade de queimados do Hospital de Base só ficou lá até o dia 24 de dezembro. Nesta data ele foi encaminhado de volta ao Pandinha, onde permanece. As informações são da direção do HB.
Condenado
O latrocida e estuprador Jânio Martins da Silva, responsável pela morte da empresária Neide Barros em setembro do ano passado, foi condenado a 22 anos de prisão em regime fechado. Jânio disse que depois de violentar e matar a empresaria,foi para casa no bairro e saiu com a esposa para fazer compras com os cartões de crédito da vítima. A condenação de Janio saiu na manhã desta terça-feira (7) no 1º Vara Criminal da capital, expedida juiz Carlos Augusto Teles de Negreiros, que ficou impressionado com a frieza do assassino de 22 anos.
Longa espera
Aprovados no concurso para os cargos de agente penitenciário e sócio-educador aguardam ansiosos que o governo os convoque. O concurso foi realizado em 2010, já fizeram academia e até hoje não foram chamados. De acordo com informações repassadas pelos próprios aprovados, a demora se deve aos recursos daqueles que entraram na justiça. São 573 aprovados que precisam aguardar o julgamento de 60 mandados de segurança.
Para complicar
No dia 2 de fevereiro faleceu em Ji-Paraná Marcelo Adriano, agente penitenciário aprovado no concurso da turma “F”. Ele havia feito o concurso para Vilhena e aguardava ser convocado. Ele fazia bico em uma tornearia e como não havia sido convocado, não conseguiu deixar pensão para esposa e dois filhos pequenos, o que lhe seria garantido caso já estivesse trabalhando no governo. Claro que a culpa de sua morte não tem nada a ver com a demora, mas uma pensão para a família, por menor que fosse, ajudaria, e muito.
Na gráfica
E a quinta edição da revista PAINEL POLÍTICO chega às bancas na sexta-feira, 10. Como reportagem de capa, os quase seis anos da Operação Dominó, que indiciou 23 dos 24 deputados estaduais que compunham a Assembleia Legislativa em 2006, além de empresários e autoridades do Judiciário e Tribunal de Contas. De lá para cá, apenas uma pessoa cumpre pena, o irmão do ex-deputado Carlão de Oliveira, Moisés Oliveira. A revista trás ainda reportagem sobre a saúde em Rondônia, uma entrevista com a modelo Erijane Lima e uma matéria mostrando o drama das mães adolescentes.
15% dos diabéticos podem perder o pé
Cerca de 15% dos diabéticos correm o risco de sofrer do pé diabético, infecção ou destruição dos tecidos das extremidades inferiores ocasionada pelos danos que a doença causa no sistema nervoso e vascular. Isso é o que disse o especialista Javier Aragón, durante o II Congresso Nacional de Feridas, que ocorre em Madri. O transtorno, responsável por 70% das amputações de pé na Europa, é consequência do descuido ao longo dos anos, o que acaba danificando os nervos e comprometendo a irrigação sanguínea ao ponto de provocar perda da sensibilidade nas extremidades inferiores. O médico assinalou que basta um golpe, uma pedra no sapato ou qualquer arranhão para ocasionar no diabético uma ferida difícil de perceber pela falta de sensibilidade. A falta de tratamento leva à colonização de bactérias, destruindo o tecido. Os especialistas recomendam um bom controle do diabetes, da pressão sanguínea e dos níveis de colesterol. A pessoa também deve parar de fumar e caminhar pelo menos uma hora por dia para favorecer a circulação. Além disso, devem usar calçados adequados e tomar rigorosas medidas de higiene.
Fale conosco
Para entrar em contato com a coluna você pode enviar um email para alan.alex@gmail.com – nos encontrar no Facebook.com/painel.politico, no Twitter @painelpolitico e ainda pelo endereço www.painelpolitico.com. Também pelos telefones (69) 9248-8911 e (69) 3219-3474.
 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS