close
logorovivo2

Prefeitura cadastra e encaminha para empregos haitianos atendidos pelo Governo do Estado

Prefeitura cadastra e encaminha para empregos haitianos atendidos pelo Governo do Estado

DA REDAÇÃO

12 de Março de 2011 às 13:06

Prefeitura cadastra e encaminha para empregos haitianos atendidos pelo Governo do Estado

FOTO: (Divulgação)

A Prefeitura de Porto Velho, através da secretaria municipal de Desenvolvimento Socioeconômico e Turismo (Semdestur) está com uma equipe da Divisão de Atendimento ao Trabalhador (DAT) no Ginásio Cláudio Coutinho cadastrando os haitianos que estão sob os cuidados do Governo Estadual. O DAT está atendendo através do Sine Municipal que fez os cadastros dos profissionais para o encaminhamento ao mercado de trabalho. “O Sine Municipal está junto com o Sine Estadual para incluir estes profissionais nas diversas vagas que estão disponibilizadas na capital hoje. Estamos recebendo aqui empresários dos ramos de hotelaria e restaurante que responderam aos nossos convites de avaliar esta possibilidade de empregar alguns haitianos em suas empresas. No final do dia vamos atender os empresários da construção civil que também ficaram de incluir no quadro de empregados estes profissionais”, explicou Ivete Campos, chefe da divisão de qualificação do Sine Municipal.

Uma empresária do ramo de hotelaria contratou seis haitianos para trabalhar no hotel e no restaurante, e pretende aumentar o número de contratados. O contato com estes trabalhadores foi feito através do Sine Municipal que cruzou os dados com o Sine Estadual. “É importante destacar que o nosso foco é de apoio à ação do Governo de Rondônia, estamos buscando empresas que tenham como oferecer junto com o emprego, também o alojamento e o alimento”, destacou Ivete.

Além da Semdestur, a prefeitura também está colaborando com o governo através da secretaria municipal de Assistência Social (Semas), que disponibilizou uma servidora municipal como intérprete. Os haitianos falam francês, espanhol e crioulo e a intérprete, Maria do Carmo, diretora do CRAS/Cotinha, explicou que, “estou ajudando tanto aos servidores da prefeitura quanto do governo. Alguns falam uma mistura do espanhol com o francês e com o dialeto deles, mas estamos conseguindo nos entender”, apontou Maria do Carmo.

 

A maioria dos haitianos trabalha como mecânico, ajudante de pedreiro, eletricista e ainda tem professores, economistas, bioquímico entre outros.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS