close
logorovivo2

Que estado é este? – Por Anísio Gorayeb

Que estado é este? – Por Anísio Gorayeb

DA REDAÇÃO

16 de Fevereiro de 2011 às 14:22

Que estado é este? – Por Anísio Gorayeb

FOTO: (Divulgação)

A indagação acima diz respeito a minha indignação ao nível de violência a que chegou o nosso estado e em especial a capital. As manchetes dos jornais e sites nos assustam, estamos entre as cidades mais violentas do país.
As televisões locais inclusive já estão recheadas com estes programas sensacionalistas, com muitas vezes mostrando cenas muito fortes. Inclusive num péssimo horário, até parece que combinaram para que todos sejam exibidos ao meio dia. Afinal ninguém merece assistir estas cenas durante o almoço.
Pergunto às autoridades ligadas a segurança, o que está sendo feito para diminuir estes alarmantes índices. A escalada da violência aumenta a cada dia, e os números de homicídios atingem níveis alarmantes.
O cidadão de bem se vê obrigado a se proteger em residências que mais parecem uma fortaleza, enquanto os marginais estão à solta. Lembro que o próprio Secretário de Segurança do Estado, Cezar Pizano, foi vítima da violência. Imagine nós, somos cidadãos comuns desarmados...
Talvez alguém tente justificar dizendo que a violência local se deve ao progresso, o crescimento populacional, o estresse de toda grande cidade, ou ainda dirão que existem muitas outras cidades mais violentas que Porto Velho.
Devo dizer que gosto muito do progresso, afinal ele é muito bem vindo, desde que seja planejado. Fico feliz em ver que o estado no qual nasci, ainda na época do Território do Guaporé, se transformou neste pujante e promissor estado. Mas se for pra viver sem segurança, prefiro a Porto Velho do passado...
A cidade de Porto Velho teve sua pacata rotina interrompida no final dos anos 80, na época do garimpo de ouro no Rio Madeira, quando fomos “invadidos” por pessoas vindas de todos os estados e até de outros países.
Após o garimpo de ouro veio a “ressaca”. O desemprego, junto com a marginalidade, assaltos, homicídios, o aumento do consumo de bebidas alcoólicas e entorpecentes, além do grave problema social que foram as invasões.
E agora, após as usinas do Rio Madeira, ocorrerá outra “ressaca”?

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS