close

Deputado de Rondônia pede explicações oficiais de Haddad sobre irregularidades no Enem

Deputado de Rondônia pede explicações oficiais de Haddad sobre irregularidades no Enem

DA REDAÇÃO

10 de Novembro de 2010 às 14:16

Deputado de Rondônia pede explicações oficiais de Haddad sobre irregularidades no Enem

FOTO: (Divulgação)

O deputado federal Moreira Mendes (PPS-RO) apresentou, nesta quarta-feira, à Mesa Diretora da Câmara requerimento de informações ao Ministro da Educação, Fernando Haddad, sobre as irregularidades decorrentes de falhas no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). O parlamentar quer saber quais são as providências que estão sendo tomadas pelo Ministério para sanar os problemas na aplicação das provas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela organização do Enem.
"O ministro deve resposta à sociedade sobre essa sucessão de erros. Esta Casa precisa saber como tem sido feita a fiscalização, o controle de qualidade da matriz das provas, o acompanhamento do processo de impressão, contratos de gráfica, sigilo, dentre outras questões", enfatizou Moreira.
Segundo Moreira, o somatório de erros, principalmente, os cometidos pelo Inep nos dias 6 e 7 deste mês, em que a aplicação das provas em todo o país foi marcada por erros "grosseiros" nos cartões de resposta e nos cadernos de perguntas, provocou a perda total de de confiabilidade do Enem. Há indícios também de vazamento de informação.
"Os erros têm sido de toda ordem, vão desde a problemas administrativos para gerenciar a aplicação do exame, erros gráficos e de informação no cadernos de prova, até vazamento criminoso de conteúdo", criticou Moreira Mendes, na justificativa do requerimento de informações.
Ministério Público
Caso seja aplicado um novo exame, como exige o Ministério Público, os cofres públicos poderão arcar um prejuízo de cerca de R$ 300 milhões. O realizado no último final de semana custou R$ 148 milhões.
"Os prejuízos, além do financeiro, são incalculáveis. Como fica o futuro dos milhões de estudantes que se submeteram a estas provas?", indaga Moreira, ao se referir o risco de um novo exame coincidir com as provas de vestibular marcadas nas universidades de todo o país.
Fernando Haddad tem um prazo de mês para atender ao requerimento de informação. Caso contrário, como prevê a Constituição Federal, estará cometendo crime de responsabilidade.
Histórico
O Enem foi criado em 1998 para ser aplicado, voluntariamente, aos estudantes de nível médio. Foi reformulado em 2009 pelo Ministério da Educação, que para ser a porta de entrada nos processos seletivos das universidade públicas federais. "O que era para democratizar as oportunidades (Enem) virou um pesadelo para os estudantes", criticou Moreira.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS