close

Frigorífico fechado desde julho de 2009 ainda acarreta prejuízos ao município

Frigorífico fechado desde julho de 2009 ainda trás prejuízos ao município

DA REDAÇÃO

10 de Fevereiro de 2010 às 14:41

Frigorífico fechado desde julho de 2009 ainda acarreta prejuízos ao município

FOTO: (Divulgação)

Um impasse que rola na Justiça desde o ano passado tem trazido prejuízo econômico para o município de Ariquemes. Após passar por diversas administrações diferentes e ter seu parque industrial comprado por um grupo goiano, o primeiro frigorífico ariquemense está em um imbróglio judicial longe de ser resolvido.
 
Para esclarecer, o Frigorífico Rio Jamary Ltda., foi constituído no ano de 1992, logo iniciando suas atividades de abate e contratando cerca de 300 funcionários. Em seguida, no ano de 1993, foi constituído o Frigorífico Fernandes S/A, momento em que o Frigorífico Rio Jamary encerrou suas atividades, vindo a se tornar apenas acionista do Frigorífico Fernandes. Este, por sua vez, passou por sérias dificuldades financeiras, tendo encerrado suas atividades em 2002, vindo a demitir todos os funcionários que lá trabalhavam e fechar as portas.
 
Em seguida, a planta frigorífica de Ariquemes passou a ser arrendada. Primeiro foi a empresa Franco Fabril Alimentos, que durou até julho de 2005. A partir daí, foi arrendado ao Grupo Margen S/A, que em julho de 2007 comprou o parque industrial dos antigos sócios. No entanto, o Grupo Margen entrou em pedido de recuperação judicial - antiga concordata ? em janeiro de 2009, processo que tramita na cidade de Rio Verde/GO, onde está situada a matriz do Grupo.
 
Em junho de 2009, o Grupo Margen demitiu todos os funcionários e encerrou as atividades do frigorífico de Ariquemes. Segundo informações, não honrando na época compromissos com fornecedores, pecuaristas e funcionários, que não teriam recebido nem os direitos trabalhistas.
 
Em conversa com o vereador de Ariquemes, Tibério Rocha da Silva Neto, um dos representantes da sociedade no município, ele disse que o encerramento das atividades do frigorífico trouxe grandes prejuízos a Ariquemes ?O fechamento do frigorífico foi muito prejudicial à nossa cidade, uma vez que não possui muitas indústrias e com ele fechado, foram muitos empregos que deixaram de existir, além de ser uma opção a menos para o produtor rural vender o seu gado?, declarou o edil.  
 
O encerramento das atividades do frigorífico, que possuía capacidade para abater até 500 cabeças de gado/dia e deixou de gerar cerca de 300 empregos diretos, vem causando muitos transtornos aos produtores rurais da região, influenciando negativamente na economia do município, e o mais grave, pode estar servindo para enganar a Justiça, numa manobra jurídica de um grupo econômico.
 
A nossa reportagem apurou que, apesar do Frigorífico Rio Jamary encontrar-se entre as empresas em recuperação judicial, deve ser destacado que deixou de exercer suas atividades desde a constituição do Frigorífico Fernandes S/A no remoto ano de 1993. Além disso, foi verificado que, apesar de também ter encerrado suas atividades desde 2002, o Frigorífico Fernandes não foi arrolado pelo Grupo Margen como uma das empresas em recuperação judicial.
 
Também foi apurado que o Rio Jamary e o Grupo Margen vêm tentando obstar no Superior Tribunal de Justiça (STJ) prosseguimento de uma ação de execução promovida pelo Banco da Amazônia em seu desfavor, que tramita na comarca de Ariquemes, alegando que os frigoríficos estão em plena atividade e empregando cerca de 300 funcionários na planta daquela cidade, o que não corresponde com a realidade, uma vez que em visita ao local, verificamos que está tudo parado.
 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS