close
logorovivo2

OAB Rondônia vê retrocesso na extinção do diploma de jornalista

OAB Rondônia vê retrocesso na extinção do diploma de jornalista

DA REDAÇÃO

22 de Junho de 2009 às 13:45

OAB Rondônia vê retrocesso na extinção do diploma de jornalista

FOTO: (Divulgação)

O fim da exigência do diploma de nível superior para o exercício da profissão de jornalista é um golpe contra a organização dos trabalhadores desse setor e um retrocesso na qualidade da informação. A opinião é do presidente da Seccional Rondônia da Ordem dos Advogados do Brasil, Hélio Vieira, ao avaliar a decisão do Supremo Tribunal Federal de extinguir o diploma universitário para os profissionais de jornalismo. “Entendo que foi uma decisão em marcha à ré, num momento em que a sociedade brasileira se esforça para aumentar o número de profissionais com diploma universitário”, observa o presidente da OAB Rondônia.

 

 

Hélio Vieira participou, nas últimas quinta e sexta-feira, do Colégio de Presidentes de Seccionais da OAB em Maceió (AL), aonde o assunto chegou a ser debatido. De acordo com o presidente da OAB Rondônia é importante que a categoria faça uma mobilização nacional e reflita sobre a necessidade de reagir contra a decisão do Supremo. Ele acredita que a OAB poderá ser uma aliada da Federação Nacional dos Jornalistas para estudar medidas a serem adotadas.

 

A Seccional da OAB de Sergipe, segundo Hélio Vieira, manifestou, durante o Colégio de Presidentes, disposição de manter entendimento com a bancada federal daquele Estado para estudar a proposição de uma Emenda Constitucional estabelecendo na Carta Magna no País a obrigatoriedade do diploma de nível superior para o exercício da profissão de jornalista. “Penso que pode nascer aí uma parceria da Ordem com os jornalistas buscando rever essa decisão do STF que, no meu ponto de vista, é nociva ao exercício da profissão, visto que deixa em aberto a possibilidade de ampliar o número de profissionais sem compromisso social com a informação”, disse.

 

De acordo com o advogado, princípios como o da conduta ética e a técnica jornalística foram relevados pelo Supremo ao apreciar a questão do diploma de jornalismo. E o mais grave, segundo Hélio Vieira, é que o Supremo já emitiu sinais de que pretende rever a exigência do diploma para outras categorias profissionais. “No meu entendimento, é preferível ter um profissional com diploma universitário, mesmo que exista na profissão alguns que não têm o diploma, como acontece atualmente, a promover essa abertura indiscriminada para que pessoas descompromissadas com o bom jornalismo tomem de assalto os postos de trabalho”, argumenta o presidente da OAB Rondônia.

 

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS