close
logorovivo2

NEGÓCIOS DE FAMÍLIA – Empresa que vende grama para a Prefeitura de Porto Velho é de cunhado do filho de Jair Ramires

NEGÓCIOS DE FAMÍLIA – Empresa que vende grama para a Prefeitura de Porto Velho é de cunhado do filho de Jair Ramires

DA REDAÇÃO

19 de Fevereiro de 2009 às 13:17

NEGÓCIOS DE FAMÍLIA – Empresa que vende grama para a Prefeitura de Porto Velho é de cunhado do filho de Jair Ramires

FOTO: (Divulgação)

Uma grande coincidência foi detectada pelo Rondoniaovivo na compra de grama por parte do município de Porto Velho. Os irmãos e sócios da empresa ACR Comércio e Construções que venceu uma suposta licitação de três milhões de reais para fornecer grama para a administração de Roberto Sobrinho, empresários do ramo de publicidade  Marcelo Amaral Alves do Vale e Alexandre José de Amaral Alves do Vale, são cunhados de Ricardo Ramires, que vem a ser filho de Jair Ramires, secretário municipal de Serviços Básicos (a secretaria que é responsável pelos canteiros da cidade).
Ricardo Ramires é casado com Lara Amaral Alves do Vale, filha caçula da família Amaral, irmã de Marcelo e Alexandre, ganhadores do contrato milionário de fornecimento de grama para a capital.
Curiosamente Jair Ramires quando era vereador, logo no início do primeiro mandato de Roberto Sobrinho, era um dos mais ferrenhos críticos da administração petista. Chamava o prefeito de “irresponsável” e que o mesmo “não tinha compromisso com a população”. Pouco tempo depois, Jair Ramires assumiu a secretaria de serviços públicos e as críticas cessaram.
A secretaria municipal de Serviços Básicos – SEMUSB, vem trocando a grama em alguns canteiros da cidade sem a menor necessidade, uma vez que grama, depois de plantada, necessita apenas de água. Mesmo assim, os moradores da Capital deparam-se rotineiramente com servidores do município fazendo o trabalho de "renovação". A rotatória da avenida Jorge Teixeira com a Costa e Silva já teve diversas vezes seus jardins removidos e trocados.
Assinado no sábado
No dia 03 de janeiro deste ano, a secretaria de Jair Ramires assinou a ordem de fornecimento 002/2009 no valor de R$ 100.009,35 (cem mil e nove reais e trinta e cinco centavos) para o fornecimento de 10.583 metros cúbicos de grama do tipo Esmeralda. Tal qual a Câmara Municipal de Porto Velho, logo após os inícios dos trabalhos do ano fiscal de 2009, os gestores correram para revalidar contratos. No caso da Semusb a situação é ainda pior.
Dia 3 de Janeiro foi um sábado, reconhecidamente dia em que não há expediente na administração municipal. Outra situação que causa estranheza foi o fato da empresa Porto Junior, fornecedora de cascalho para a Semusb ter sido contemplada com uma ordem de serviço no mesmo dia, esta com o numero 001/2009. Será que a compra de grama e cascalho ensejariam tanta rapidez e estariam colocando o bom andamento das obras na capital em cheque?
Superfaturada
Vale ressaltar que a grama Esmeralda é atualmente a mais vendida do Brasil e existem centenas de empresas que produzem  esse ornamento. O metro quadrado da grama custa, com frete incluso, até R$ 2,30. A grama da empresa ACR Construções está sendo vendida a R$ 9,45 o metro quadrado, sem o plantio (que é feito pelos servidores do município).
Antecedentes
Jair Ramires responde atualmente a oito processos no Tribunal de Contas da União. Todas as pastas asssumidas por Ramires tiveram problemas com prestação de contas, má gestão de recursos públicos, superfaturamento e irregularidades nas aplicações. E são as mais diversas, até mesmo dinheiro do Ministério do Desenvolvimento Social, que deveria ter sido utilizado no combate a fome e a pobreza aparecem irregulares. Ramires também foi condenado pelo TCU por superfaturar a compra de leite empó para crianças desnutridas.
Se Roberto Sobrinho e o próprio Partido dos Trabalhadores tivessem o mínimo de compromisso com a população da Capital, jamais teriam nomeado Ramires para um cargo público. Em países desenvolvidos, Ramires teria se recolhido da vida pública e estaria plantando grama em algum sítio, escondido, envergonhado. Mas, em Porto Velho, ele ocupa uma das mais importantes secretarias municipais.
Outro contrato
Na última quarta-feira (18), o governador Ivo Cassol concedeu entrevista a uma rádio da Capital onde criticou um contrato entre a  secretaria de Jair Ramires e a empresa Porto Júnior Construções Ltda. O contrato em questão é para compra de cascalho. O governador destacou que em Rondônia existem jazidas de cascalho em abundância e o Estado, por exemplo, nunca comprou um metro de cascalho sequer, “não existe necessidade, temos desse material em qualquer lugar”.
Curiosamente, na mesma data em que a prefeitura assinou a ordem de fornecimento para a compra de grama, também foi assinada, na secretaria de Ramires, a Ordem de Fornecimento 001/2009, com a empresa Porto Júnior Construções LTDA, no valor de R$ 89.550 (oitenta e nove mil, quinhentos e cinquenta reais)para a compra de 15 mil metros cúbicos de cascalho ( o metro saindo ao custo de pouco mais de 5 reais).
Câmara de Vereadores

Para variar, a Câmara de Vereadores não se manifestou sobre a nomeação de Ramires para o cargo de secretário do município. A própria Câmara Municipal tem em seus “esqueletos no armário”,principalmente no que diz respeito a contratos suspeitos. O Legislativo municipal deveria montar uma comissão para apurar os contratos entre a prefeitura e as empresas que prestam serviços ou produtos para a secretaria de Jair Ramires e pedir o imediato afastamento do secretário até que as investigações fossem concluídas.

SAIBA MAIS

Prefeitura pode ter gasto até três milhões de reais de grama em 2008, neste ano já foi mais de 100 mil

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS