close
logorovivo2

Notícias da Região Norte - Acre, Amazonas e Roraima

Notícias da Região Norte - Acre, Amazonas e Roraima

DA REDAÇÃO

5 de Novembro de 2008 às 08:03

Notícias da Região Norte - Acre, Amazonas e Roraima

FOTO: (Divulgação)

ACRE

Polícia Federal prende vereador com 25,7 quilos de cocaína

O vereador Francimar da Costa Morais, o Mazinho Morais (44), do Partido Socialista Brasileiro (PSB), eleito recentemente pelo município de Brasiléia por meio de uma campanha financiada por traficantes que atuam na fronteira Brasil-Bolívia, foi preso na manhã de ontem por agentes da Polícia Federal.

Com o político, os federais apreenderam 25,7 quilos de pasta de cocaína no porta-malas de um Siena zero-quilômetro, comprado recentemente pelo vereador. Mazinho Morais vinha sendo monitorado pela PF e foi preso minutos depois de receber o carregamento de um boliviano que também foi preso.

Levado para a sede da Polícia Federal, o vereador foi autuado em flagrante por tráfico internacional de droga e, ontem mesmo, foi transferido para a unidade de recuperação social Francisco D’Oliveira Conde, capital. O carro usado para transportar a droga também foi apreendido.

INVESTIGAÇÕES E PRISÃO
A campanha milionária de Mazinho Morais e seu bom relacionamento com narcotraficantes brasileiros e bolivianos fizeram com que agentes da Polícia Federal passassem a investigá-lo e, desde o final da semana passada, a monitorá-lo.

Às 5h30 de ontem, seguindo a pista de um informante, a polícia soube que Mazinho Morais receberia um carregamento de drogas em um certo horário. Policiais federais se deslocaram para o bairro da Samaúma, em Brasiléia. Depois de colocar a cocaína empacotada no porta-malas do seu automóvel, o vereador, quando saía, foi abordado pelos policiais federais. Pegado de surpresa, Mazinho não teve como escapar da prisão.

 

AMAZONAS

TCU vai fiscalizar aplicação de recursos em município do Amazonas

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados encaminhou ao Tribunal de Contas da União (TCU) pedido de auditoria na aplicação de recursos federais repassados ao município de Maués (AM), em 2002 e 2004, por meio de convênios com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa). O resultado da auditoria deverá ser enviado à comissão.

Os recursos, no valor total de R$ 6,4 milhões, se destinavam a obras de esgotamento sanitário que não foram concluídas, segundo denúncia do Conselho de Cidadãos de Maués (Concima).

O pedido de investigação foi feito pelo deputado Praciano (PT-AM), por meio de proposta de fiscalização e controle aprovada na última sexta-feira de outubro, dia 29.

RORAIMA

Prefeitura alerta para a eliminação de criadouros do mosquito da dengue

Os agentes de combate à dengue da Prefeitura de Boa Vista estão intensificando as orientações aos moradores para eliminar qualquer depósito que possa se transformar em um criadouro do mosquito Aedes aegipty, transmissor da doença. De acordo com o Departamento de Endemias, o número de criadouros aumentou principalmente dentro das residências, devido ao acúmulo maior de lixo doméstico.

O responsável pelo trabalho, Olavo Carneiro, destacou que a população não pode descuidar. “No caso da dengue, é preciso manter uma vigilância constante, para evitar um novo surto da doença”, afirmou.
O Coordenador disse ainda que grande parte dos criadouros encontrados pelos agentes de endemias, está incluída no grupo do lixo doméstico. Segundo Olavo, esse material pode ser facilmente descartado, inclusive pela coleta de lixo domiciliar.
“O lixo é o maior vilão no combate à dengue. Por isso, a Prefeitura mantém um sistema de coleta de lixo domiciliar que também auxilia no controle da doença. Fazer a destinação correta do lixo é evitar a proliferação da dengue”, disse.
Olavo destacou que atualmente, a maior preocupação da Prefeitura é manter a cidade livre do dengue 4, tipo da doença presente em países visinhos. “Estamos alertas para evitar a presença do dengue tipo 4. Nossa preocupação é maior por conta da área de fronteira, o que aumenta as chances de manifestação desse vetor em nosso Estado”, explicou.
Para colaborar com o combate à dengue é necessário eliminar ou proteger todo e qualquer recipiente que possa acumular água parada. Os respiradouros de fossas devem ser vedados e os recipientes coletores de água das geladeiras também precisam ser limpos.
Aos primeiros sintomas da doença, o paciente deve procurar imediatamente a unidade de saúde mais próxima de sua casa. A notificação dos sintomas permite que a equipe de endemias faça o bloqueio do mosquito, aplicando o inseticida na região onde foi identificado o caso suspeito da doença.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS