close
logorovivo2

Notícias da Região Norte - Acre e Amazonas

Notícias da Região Norte - Acre e Amazonas

DA REDAÇÃO

30 de Outubro de 2008 às 07:58

Notícias da Região Norte - Acre e Amazonas

FOTO: (Divulgação)

 

ACRE

PF prende advogado suspeito de tráfico de drogas

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã de ontem, a Operação Data Vênia, cujo objetivo era desarticular uma organização criminosa que enviava drogas do Acre para outros Estados. Dos oito mandatos de prisão preventiva, foram cumpridos seis: cinco em Rio Branco e um em Epitaciolândia. Foram realizados também seis mandatos de busca e apreensão.

A ação foi um desmembramento da Operação Terra do Sol, realizada no primeiro semestre de 2007, pelas PF do Acre e do Rio Grande do Norte. Foi identificada com a líder do grupo, Janine Bismark Rufino. Segundo a PF, ela era a fornecedora dos entorpecentes. No Acre, as investigações duraram dez meses. E, entre os possíveis membros da quadrilha, está o advogado Armyton Lee Linhares de Carvalho, companheiro de Janine.

O advogado atuava como negociador no pagamento de entorpecentes e também era sócio da líder da quadrilha. Armyton Lee, por ser advogado, tinha acesso aos processos em trâmite do Judiciário ou até mesmo em fase policial. Ele mantinha os membros da quadrilha sempre informados sobre as ações sobre da Justiça. Além de defender os criminosos que fossem presos, instruindo-os a dificultar o trabalho da polícia e do judiciário na elucidação dos crimes.

No cumprimento dos mandados de apreensão, foi encontrado, aproximadamente, um quilo de cocaína, uma arma 380, além dos veículos utilizados pelos acusados. Os presos ficarão custodiados no sistema prisional do Estado, e alguns serão indiciados por tráfico internacional de droga; e outros, por associação criminosa.

Explicações do delegado
Em entrevista concedida no final da manhã de ontem, o coordenador da operação, delgado Mário Fanton, explicou que “a droga era negociada no Acre, depois era enviada a outros Estados da Federação. A droga para os Estados de Belém, Goiás, Distrito Federal e por aí afora”.

“O advogado fazia o papel de articulação. Ele se beneficiava da condição de advogado para obter informações da Justiça ou até da polícia, por meio do acesso que ele tem aos autos dos processos para poder, às vezes, orientar melhor a defesa de algum cliente, dificultando, assim, o trabalho de investigação da polícia ou até mesmo de apuração dos fatos”, relatou o delegado.

O advogado Jair de Medeiros disse que vai entrar com pedido de revogamento da prisão do de Armyton Lee.


Presos durante a operação
Carlos José Moisés Onofre, Joel Ourt Leal, Sebastião Chagas Lopes, Gilvan Jácome Ferreira, Wellington Allan da Silva. A acusada de liderar a quadrilha, Janine Bismark Rufino está foragida na Bolívia.

O nome da operação
Data Vênia é um expressão jurídica do latim que, segundo a wikipédia, é usada para introduzir uma objeção ao que foi dito por alguém. Permissão para discordar do ponto de vista de outrem. E, no caso da operação, faz uma referência ao envolvimento de um advogado no tráfico de drogas.

AMAZONAS

PF cumpre mandato de busca e apreensão em Coari, no Amazonas

Agentes da Delegacia de Defesa Institucional (Delinst) da Polícia Federal (PF) foram deslocados para o município de Coari (a 363 quilômetros de Manaus), para cumprir mandato de busca e apreensão a pedido da Delegacia da PF em Jales (SP). A delegacia comanda a Operação Coleta, deflagrada ontem (29) nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Amazonas. O objetivo é desarticular uma quadrilha acusada de crimes eleitorais, entre eles compra de votos, nas últimas eleições  municipais  na cidade de Ilha Solteira, no oeste paulista.

O delegado institucional Pablo Oliva, da Superintendência da PF do Amazonas, não divulgou detalhes da operação e nem onde os mandados foram cumpridos em Coari. Disse apenas que os agentes retornam hoje (30) a Manaus.

- A Delinst é  uma delegacia de muitas atribuições  e está nesse caso por conta da condução de presos e da delegação eleitoral, mas a condução da operação é feita pela delegacia da PF em Jales -, explicou.

O superintendente da PF, Sérgio Fontes, confirmou que a ida dos agentes ao município de Coari foi uma diligência para a Justiça Eleitoral de Jales. Ontem pela manhã foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão e seis de prisão temporária, expedidos pela Justiça Eleitoral de Ilha Solteira, nos municípios de Castilho e Ilha Solteira (SP); Coari (AM) e Três Lagoas (MS).

Investigações

As investigações  da PF começaram em setembro quando o Ministério Público Estadual de São Paulo recebeu denúncia de compra de votos por candidatos  de Ilha Solteira. O crime eleitoral era feito através da distribuição de cestas  básicas,  transporte aéreo, pagamento de contas e outros favores envolvendo eleitores de outros estados que  residem e votam na cidade de Ilha Solteira.

A PF constatou que os envolvidos ainda forneciam atestados médicos falsos para que pessoas com residência em outros municípios permanecessem por mais tempo em Ilha Solteira. Com isso garantiam que o eleitor e seus familiares preferissem permanecer  naquele município. Entre os presos, está o  vice-prefeito eleito da cidade de Ilha Solteira, Emanuel Zinezi (DEM).

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS