close

Sentido da avenida Calama muda nesse sábado (25); moradores e empresários mobilizam comunidade para impedir mudança

Sentido da avenida Calama muda nesse sábado (25); moradores e empresários mobilizam comunidade para impedir mudança

DA REDAÇÃO

22 de Outubro de 2008 às 07:46

Sentido da avenida Calama muda nesse sábado (25); moradores e empresários mobilizam comunidade para impedir mudança

FOTO: (Divulgação)

A partir de sábado (25) a avenida Calama será via de mão única, sentido bairro/centro, entre as ruas Silas Shockness e a avenida Rio Madeira, conforme determinação da Secretaria Municipal de Trânsito (SEMTRAN), informou a secretária titular Fernanda Moreira a reportagem do Rondoniaovivo.com. Porém essa medida que deverá beneficiar o tráfego aos arredores do Shopping Porto Velho, segundo uma comissão de moradores e empresários daquele setor, foi tomada a revelia da comunidade, podendo ocasionar prejuízos.
Segundo a secretária a mudança será feita para que consiga mais fluidez de trânsito no perímetro determinado. O semáforo do cruzamento da avenida Rio Madeira com a Calama, que antes era de quatro tempos, vai ser de três, já a avenida Guaporé, que tem mão dupla, permanece.
Sobre a mobilização de moradores e empresários que se queixaram da falta de comunicação por parte da Prefeitura do projeto de mudança, Fernanda Moreira disse que já havia conversado com os comerciantes, falando da mudança e que após a inauguração do Shopping serão abertas novas ruas para facilitar o acesso, sem que com isso ocorra qualquer prejuízo naquela área.
O ônibus de linha que antes passava pela Calama mudará o itinerário, tomando a avenida Pinheiro Machado para completar sua rota. A partir dessa quarta-feira (22) a Prefeitura, através da SEMTRAN, fará a entrega de material de divulgação sobre as mudança que ocorrerá na avenida Calama. O material será divulgado no interior de ônibus, nas ruas, nos comércios e até para a imprensa.
MINISTÉRIO PÚBLICO
Uma denúncia foi protocolada na segunda-feira (20) por uma comissão de moradores e empresários da avenida Calama no Ministério Público do Estado, solicitando o embargo do projeto de mão única na via pública, pois para os moradores e comerciantes este projeto deve ser adiado para que possa haver um diálogo com a população através de audiência pública com a apresentação técnica e justificável para tal decisão. Em vista disso desde a manhã de terça-feira (21) os comerciantes da avenida Calama realizam protesto com faixas preta na fachada dos comércios, simbolizando o descontentamento com o posicionamento da SEMTRAN.
Segundo um morador da região, João Bosco da Silva, o Ministério Público do Estado intimou a representante da Secretaria para prestar mais esclarecimentos sobre esse projeto e detalhes técnicos sobre a mudança do sentido da avenida Calama.
 
No entanto, em contato com a Assessoria de Comunicação do MPE, o Rondoniaovivo.com foi informado que na verdade não houve intimação, mas o promotor Átila Augusto da Silva Sales, da Promotoria de Meio Ambiente, enviou um ofício de comunicação para a SEMTRAN solicitando as informações técnicas sobre o projeto.
 
EVENTO
 
João Bosco disse que desde terça-feira (22) os moradores e empresários realizam um evento para orientar à todos sobre as conseqüências da mudança do sentido da Calama, denominado de “seminário informativo”, a ação tem início às 19h30 em um colégio particular próximo ao Conjunto 22 de Dezembro.
 
De acordo ainda com o morador o seminário serve para informar a comunidade sobre os impactos de econômicos para os empresários e comerciantes e de transporte para os moradores da zona Leste. Durante o período que antecede a mudança do sentido da avenida Calama, haverá mobilizações e manifestações em todo aquele trecho, motivado por moradores e empresários que não se conformam com a mudança.
 
PERCURSOS
 
A equipe de reportagem do Rondoniaovivo.com percorreu as avenidas Pinheiro Machado, no sentido centro/bairro e a Calama, sentido bairro/centro, para saber se o trajeto proposto pela Secretaria Municipal de Trânsito, na mudança dos sentidos das avenidas será compensatória para a comunidade da zona Leste, que integra bairros como Aponiã, 04 de Janeiro, Guajará e Flodoaldo Pontes Pinto, e se a trafegabilidade das duas vias – principalmente da Pinheiro Machado - possibilita acesso viável para a comunidade.
 
No percurso iniciado – sentido centro/bairro - pela avenida Pinheiro Machado, a partir da Gov. Jorge Teixeira (BR 319) foi observado o primeiro obstáculo, o acostamento central da Jorge Teixeira, após sobrepor o acostamento através do retorno, segue-se em frente e depois de duas quadras ocorre uma parada no trajeto no cruzamento com a avenida Buenos Aires – onde se encontra a Maternidade Municipal -, pois é necessário fazer um desvio, pois a avenida é interrompida, entra-se então na avenida José Vieira Caúla e segue até a rua Chile, no bairro Embratel, entretanto, é impossível seguir entre as ruas Buenos Aires, Venezuela e Nicarágua devido o número de casas que se encontram dispostas no local onde deveria prosseguir a avenida Pinheiro Machado.
 
A partir da retomada na rua Chile entra novamente na Pinheiro Machado prosseguindo até depois da avenida Mamoré, totalizando 5 quilômetros de asfalto e 800 metros de rua encascalhada, o seu término é no bairro Teixeirão.
 
No retorno – sentido bairro/centro – seguindo pela avenida Calama, tendo como ponto de partida a avenida Mamoré, a grande dificuldade para os condutores de veículos são os ônibus, pois a avenida é muito estreita e as calçadas ficam muito perto da via. Nesse percurso foi registrado 4 quilômetros e 400 metros.
 
Nos dois trajetos, a dificuldade de acessibilidade se encontra na avenida Pinheiro Machado, que ainda não possui uma via satisfatória para acesso ao perímetro que comporta os moradores da avenida Calama – e que até sexta-feira (24) poderão utilizar essa via como mão dupla.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS