close

Idaron atua para conter focos de raiva em Machadinho D’Oeste

Idaron atua para conter focos de raiva em Machadinho D’Oeste

DA REDAÇÃO

29 de Abril de 2008 às 14:38

Idaron atua para conter focos de raiva em Machadinho D’Oeste

FOTO: (Divulgação)

Técnicos da Agência Idaron, regional Ariquemes, divulgaram informações sobre a raiva herbívora no mês de março. A importância da notificação de animais suspeitos nas Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal - ULSAV foi muito bem destacada nas divulgações, já que somente com o diagnóstico laboratorial é possível descartar ou confirmar a doença. Por este motivo, houve aumento considerável de busca de informações e notificações por parte dos produtores. O exame de cérebros de dois eqüinos em propriedades a 55 km de distância da área urbana de Machadinho D’Oeste confirmou a presença da raiva nos dois casos. Diante da constatação da doença, os técnicos da ULSAV de Machadinho, com apoio da Regional de Ariquemes, realizaram a notificação de todas as propriedades (242) num raio de 12 km. Trata-se de área com muitas propriedades pequenas nos projetos de assentamento Lajes e Tabajara. Todos os produtores dentro desta área deverão vacinar seus animais e comunicar à Unidade Local de Sanidade Animal e Vegetal (ULSAV). A Agência Idaron recomenda vacinar anualmente todos os animais das propriedades, acima de três meses de idade. Quando o animal for vacinado pela primeira vez deverá receber a dose de reforço após 30 dias. A dose correta é de dois ml por animal. Caça ao vampiro Durante as atividades de notificação está sendo realizada a captura de morcegos hematófagos, já que essa operação somente pode ser efetuada por técnicos treinados. Esta é uma das formas de controle mais eficientes contra a raiva. Em Rondônia existem mais de trezentas espécies de morcegos. Somente uma, o Desmodus rotundus, representa risco aos animais. Portanto, “os técnicos da Idaron, precisam ser informados, de locais que possam estar abrigando esses morcegos, como bueiros, casas abandonadas, cavernas, poços desativados, para que possam ser capturados e identificados se a espécie é benéfica ao meio ambiente, ou maléfica a sanidade animal e principalmente à saúde humana”, informou Sidiney de Angelo, técnico em agropecuária e chefe da ULSAV-Machadinho. O técnico informou ainda que um morcego hematófago capturado recebe aplicação da pasta vampiricida e quando retorna a sua colônia, pode levar à morte no mínimo mais vinte morcegos, pois os animais têm por hábito lamberem-se mutuamente, formando aglomerações muito densas. Uma outra ação, esta de caráter educativo, serão as palestras a serem ministradas na Escola Pólo, da Associação Boa Esperança, na RO-133, bem como entrevistas e participações em programas das rádios locais. Saiba mais sobre a doença A raiva é uma doença causada por um vírus que ataca todos os animais mamíferos (bovinos, búfalos, eqüinos, muares, ovinos, caprinos, suínos, cães, gatos e animais silvestres), podendo ser transmitida ao homem (zoonose). A única forma de evitar a raiva é a prevenção feita através da vacina e controle do maior transmissor, o morcego hematófago (Desmodus rotundus), também conhecido como morcego vampiro, que se alimenta do sangue dos animais. *VEJA TAMBÉM: * Revisão e reimpressão de apostilas sem ônus para o Estado * Chefe de gabinete da prefeitura reconhece erro no “modus operandis”da Semas

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS