close

OAB terá comissão para acompanhar projeto das hidrelétricas do Madeira

OAB terá comissão para acompanhar projeto das hidrelétricas do Madeira

DA REDAÇÃO

27 de Março de 2008 às 16:51

OAB terá comissão para acompanhar projeto das hidrelétricas do Madeira

FOTO: (Divulgação)

As usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Girau, no rio Madeira, são obras da maior importância para o desenvolvimento de Rondônia, em particular, e da região Norte como um todo deve merecer a atenção de toda a sociedade através de suas instituições representativas. A partir desse entendimento, o presidente da Seccional Rondônia da Ordem dos Advogados do Brasil, advogado Hélio Vieira, vai constituir nos próximos dias uma comissão para acompanhar o assunto. A intenção da OAB, segundo explica Hélio Vieira, é acompanhar e participar de todos os debates que envolvam a questão da construção das duas hidrelétricas que, num primeiro momento vai dar uma importante contribuição ao desenvolvimento do estado com a geração de emprego e, numa etapa posterior, através da geração de impostos. A construção do parque hidrelétrico do Madeira colocará Rondônia no patamar de outros estados mais desenvolvidos. Para isso, adianta o presidente da OAB, é importante que a sociedade saiba de tudo que está acontecendo em relação aos primeiros passos desse projeto. “É exatamente dessa forma que a comissão da OAB pretende se portar em relação ao projeto: ser os olhos da sociedade”, explica Hélio Vieira, justificando a necessidade de a Ordem acompanhar os detalhes do projeto. Para melhor acompanhamento do trabalho e facilitar o encaminhamento de eventuais relatórios ou documentos produzidos pelos advogados que vão compor a comissão, Hélio Vieira pretende convidar para a tarefa, além daqueles que manifestarem interesse pelo assunto, os três conselheiros federais e alguns ex-presidentes da OAB. O presidente da OAB adianta, no entanto, que a comissão designada vai trabalhar da forma como a Ordem atua em tudo que faz: com transparência e honestidade de propósito. “Se houver alguma variável que venha prejudicar a população, a OAB será a primeira a vir a público denunciar”, afirma Vieira, acrescentando que os problemas devem ser debatidos e solucionados, mas de forma alguma utilizado como pretexto para impedir que a obras se concretize.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS