close
logorovivo2

Governo do Estado avança negociações do caso de Corumbiara

Governo do Estado avança negociações do caso de Corumbiara

DA REDAÇÃO

21 de Março de 2008 às 10:08

Governo do Estado avança negociações do caso de Corumbiara

FOTO: (Divulgação)

O secretário-chefe da Casa Civil do Estado, Joarez Jardim, participou de mais uma rodada de negociação, na última terça-feira, no município de Colorado do Oeste, com integrantes do Comitê de Defesa das Vítimas de Santa Eliana (Codevise), que busca assegurar uma reparação por meio de indenização aos familiares de vítimas e sobreviventes do massacre de Corumbiara, ocorrido em 1995. O encontro contou com a participação de cerca de 300 pessoas. De acordo com o secretário Joarez Jardim, a reunião serviu para a consolidação de diversas propostas de melhorias para os trabalhadores rurais. “Esta reunião faz parte de uma determinação do governador Ivo Cassol, que se comprometeu a cumprir uma agenda envolvendo o caso de Corumbiara. Estivemos conversando com os lavradores para resolver o problema deles e propomos melhorar a questão de saúde e do investimento do Promec (Programa de Mecanização Agrícola) junto a eles”, afirmou. A reunião também produziu outros resultados práticos. “O deputado Luizinho se comprometeu a fazer uma emenda para colocar uma ambulância para o Assentamento de Corumbiara. O deputado Luiz Cláudio também se comprometeu a fazer uma emenda para uma ambulância em Palmares”, afirmou o secretário. Juarez Jardim afirmou ainda que a visita conjunta de membros do governo do Estado e da Assembléia Legislativa sensibilizou os parentes das vítimas e também diversos sobreviventes do massacre de Corumbiara. “Nós e os deputados nos comprometemos a buscar soluções para o caso junto ao Incra, seja em Rondônia ou até em Brasília. Houve um reconhecimento por parte deles porque em quase 13 anos, o único governador que buscou resolver o problema foi o governador Ivo Cassol”, contou. Para o secretário, a situação de diversas famílias é preocupante. “O que mais nos preocupa nessa situação é que eles entregaram um documento com mais de 90 famílias que ainda não foram assentadas pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária)”, avaliou. De acordo com Joarez Jardim, os trabalhadores rurais estão decepcionados com o governo federal. “Eles têm um documento do presidente Lula se comprometendo a resolver o problema e até hoje nada”, acrescentou. Também participaram do encontro, os deputados estaduais Luiz Cláudio, Ezequiel Neiva e Luizinho Goebel, o representante da Seaps (Secretaria de Agricultura, Produção e Desenvolvimento Econômico e Social), Manuel Serra e o engenheiro florestal da Emater-RO (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural), Sorrival de Lima. Entenda o caso No dia 14 de julho de 1995, uma parte da fazenda Santa Eliana foi ocupada por centenas de famílias, no município de Corumbiara. Na madrugada do dia 9 de agosto daquele ano, os camponeses foram surpreendidos por 194 policiais e jagunços, que executaram diversas vítimas, torturaram outras, incendiaram e destruíram o acampamento. De acordo com o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) Na ocasião, 355 pessoas foram presas e torturadas. Até hoje, ninguém foi responsabilizado pelos danos causados às famílias. Diversos trabalhadores rurais enfrentam debilidades físicas e seqüelas emocionais causados pelos maus-tratos durante a desocupação da área.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS