close

Roraima - Queimada ameaça subestação da Eletronorte

Roraima - Queimada ameaça subestação da Eletronorte

DA REDAÇÃO

26 de Janeiro de 2008 às 08:50

 Roraima  - Queimada ameaça subestação da Eletronorte

FOTO: (Divulgação)

Um incêndio na área de lavrado no Monte Cristo nesta quinta-feira (25) por pouco não causou uma tragédia na subestação da Eletronorte. As labaredas ficaram próximas de atingir atingiram as bases de algumas torres de energia e quase chegam ao almoxarifado e à subestação. As torres que conduzem à energia vinda da Venezuela, que abastece 95% do Estado de Roraima, correm um grande risco de serem atingidas pelo fogo, que vem ocorrendo diariamente na região. *A causa do incêndio não foi detectada pelo Corpo de Bombeiros, que conseguiu conter as chamas por volta das 15h00min. O trabalho havia iniciado às 11h00min na região do Monte Cristo. Segundo um dos militares, não foi possível contabilizar o número de focos contidos pela unidade do Corpo de Bombeiros. O fogo atingiu as duas vias às margens da BR-174, sentido Pacaraima. *O supervisor de Operações da Eletronorte, Antônio Nazareno, informou que todos os anos ocorrem queimadas em volta da subestação. Para ele, o descontrole das queimadas realizadas em fazendas e sítios acaba atingindo a área em volta da Eletronorte. “O vento leva o fogo, que se espalha e pode atingir qualquer localidade”, disse. Para evitar maiores acidentes, tanto na subestação da Eletronorte quanto nos 206 quilômetros de linhas de transmissão, o Linhão de Guri possui um sistema de monitoramento contra queimadas, que permite que se detectem de forma rápida os focos de incêndio, através de um convênio com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). *“Existe um mapeamento geodésico, com GPS, de todas as 448 torres que compõem o sistema no lado brasileiro. As coordenadas foram cadastradas no site do Inpe e permitem o monitoramento diário das torres. Até quarta-feira (24) não havia nenhum foco de incêndio nas proximidades do linhão. Mas ontem surgiu um foco próximo que logo se espalhou e ficou próximo à estação, quase atingindo o almoxarifado”, disse. *No caso de uma queimada que coloque em risco o sistema, a equipe de eletricistas de linha identifica de forma online a torre próxima ao foco, sua localização e locais de acessos, permitindo debelar rapidamente o incêndio ou acionar o Corpo de Bombeiros. *Um trabalho de aceiro em volta da subestação é realizado constantemente para evitar a aproximação do mato. “Os danos do fogo podem ser maiores, devido ao risco de uma explosão por causa das faíscas. Essa atitude irresponsável de pessoas que queimam o lavrado pode comprometer e prejudicar o abastecimento de energia. Essa queimada que iniciou ontem quase de transforma numa tragédia”, disse. *Antônio Nazareno explicou que o fogo pode ocasionar o desligamento da rede de transmissão. “Dependendo da intensidade, o fogo pode danificar a base das torres e destruir o cabo alma dos condutores da linha de transmissão, que é de alumínio, e ocasionar a perda da continuidade do fornecimento. É necessário que a população que utiliza a BR-174 se conscientize sobre os perigos das baganas de cigarros”, concluiu. *CAMPANHA – Além do monitoramento via satélite, a Eletronorte desenvolve anualmente a campanha educativa contra as queimadas. A empresa possui uma Brigada de Emergência contra incêndio composta de 15 funcionários que receberam treinamento de 40 horas/aula, ministrado pelo Corpo de Bombeiros e Cefet. Outra providência foi a criação de um telefone gratuito para receber denúncias, o Disque-Queimadas 0800-2808586. *VEJA TAMBÉM: * Roraima - Eucatur é condenada a pagar indenização * Roraima - Rapaz é morto com 15 facadas e pedrada

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS