close
logorovivo2

Amazonas - Limpeza Urbana aproveita vazante para limpar palafitas da Zona Sul

Amazonas - Limpeza Urbana aproveita vazante para limpar palafitas da Zona Sul

DA REDAÇÃO

27 de Setembro de 2007 às 08:08

Amazonas - Limpeza Urbana aproveita vazante para limpar palafitas da Zona Sul

FOTO: (Divulgação)

MANAUS - Desde segunda-feira (25/9), a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) está realizando uma mega-operação de retirada do lixo parado embaixo das palafitas da Zona Sul. A operação de limpeza vem acontecendo nos becos Normando e Cachoeira, no bairro de São Raimundo, e becos do Carneiro, Primeiro de Maio e São José, no bairro da Glória. *O gerente de Limpeza da Semulsp, José Rebouças, explica que é preciso aproveitar a vazante do rio para atender a comunidade e tornar menos pesado o trabalho dos garis. "O momento exato é este. A vazante facilita o trabalho dos nossos funcionários e é muito importante esta limpeza para esta população carente". *A responsabilidade pelo lixo sob as palafitas não é só dos moradores. Rebouças diz que ali está o lixo de toda a cidade, que é jogado pelas janelas dos veículos ou é mal acondicionado em sacos ou mesmo atirado nos terrenos baldios e pelas ruas, levado pelas chuvas para os bueiros e daí para os cursos d'água, ou descartado diretamente dentro dos igarapés em trechos anteriores à Zona Sul. *O vice-presidente da Associação dos Moradores do São Raimundo, Antônio Vieira Neto, estima que 400 famílias vivem nos becos Normando, Sul América e Cachoeira e estão sendo beneficiadas pelas ações da limpeza pública no local. *"O São Raimundo não pode reclamar de limpeza. É uma área privilegiada. Vamos fazer justiça com a atual administração. O Gari Comunitário melhorou 90%. Não digo cem por cento porque há pessoas que não contribuem. Mas vale ressaltar que 90% do lixo vêm do Igarapé do Mestre Chico e do Mindu e fica todo nessa calha do rio Negro, entre São Raimundo e Glória", avaliou Vieira Neto. *Uma equipe de 280 trabalhadores, entre garis, motoristas e operadores de máquinas, comanda o frenético movimento das pás, rastilhos, carrinhos de mão, caçambas e pás carregadeiras. São trabalhadores ligados à Semulsp e as duas concessionárias de coleta de lixo, Enterpa e Tumpex. *Em meio ao vai e vem dos garis, crianças olham admiradas o trabalho. Duas delas, com quatro e cinco anos, se uniam hoje (26/9) para subir uma escada com uma cadeira de ferro jogada fora mas que elas acham que podem aproveitar. *As crianças são a esperança dos garis em uma nova geração de cidadãos, mais conscientes com a importância de colocar o lixo acessível ao carro coletor. *"A gente limpa e eles vêm jogando lixo atrás. O lixo não diminuiu", lamenta Maria de Lourdes Carvalho, 54, que há 10 anos é gari e pode fazer uma comparação em relação à limpeza feita em fevereiro deste ano. Maria de Lourdes diz que as pessoas não cuidam direito do lixo. "Elas deveriam colocar no saco e jogar no carro coletor". *Segundo o gerente de Limpeza, o carro coletor passa nas ruas que cercam as palafitas à noite e uma vez durante o dia para retirar o lixo recolhido pelo gari comunitário. "Não há porque jogar lixo no chão e nas águas", disse Rebouças. Ele calcula que cerca de 300 a 500 toneladas de lixo vão ser retiradas pela mega-operação de limpeza que prossegue pelo Bariri e Matinha até sábado (30). *Informações sobre as ações de limpeza de igarapés podem ser obtidas pelo Disque-Limpeza através do fone 3625-2424 que funciona em sistema de plantão 24 horas.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS