close
logorovivo2

Fazendeiro diz que "decisões judiciais não valem nada em RO"

Fazendeiro diz que "decisões judiciais não valem nada em RO"

DA REDAÇÃO

23 de Setembro de 2007 às 18:59

Fazendeiro diz que "decisões judiciais não valem nada em RO"

FOTO: (Divulgação)

*"Decisões judiciais não valem nada". Pelo menos essa é a conclusão a que chegou o empresário e ruralista Sebastião Conti Neto, que teve sua fazenda, a Bom Futuro, na região de União Bandeirantes, invadida durante dois anos. Feita a reintegração de posse da área, por determinação judicial e cumprida pela Polícia Militar há menos de dois meses, pouco depois os invasores retornaram ao local, tomando conta de uma área que já devastaram, queimaram, destruíram e continuam mandando, como se esse pedaço do Brasil não tivesse sob o domínio das leis. Agora, com mais um mandato de reintegração em mãos, Sebastião Conti diz que não sabe mais o que fazer. Até porque os invasores ? alguns quadrilheiros, conhecidos e que estão presos, além de outros que continuam ignorando o que a Justiça lhes determina ? já tratam a área como se fosse deles. Um deles, que retornou à Fazenda tão logo a PM cumpriu a última reintegração, levou consigo quase 200 cabeças de gado, ?utilizando a área como se fosse sua e não dando qualquer importância às determinações judiciais?, protesta Conti. *Líder da Associação dos Proprietários Rurais (APRRO) no estado, Conti é uma das muitas vítimas de invasões desenfreadas que têm ocorrido em Rondônia. A Polícia Militar já realizou mais de 72 reintegrações por ordem judiciais ? a um custo altíssimo para os cofres públicos - mas é praticamente tempo perdido. Mal saem os policiais e os invasores retornam, ?debochando da Justiça?. Conti denuncia o envolvimento de madeireiros, de autoridades, de servidores do Incra e outros órgãos oficiais, que ?realizam reuniões de intermediação com proprietários e invasores, garantem que não apóiam invasões mas, na realidade, as incentivam de todas as formas?. *O líder ruralista diz que há ainda grande incoerência nas questões legais envolvendo propriedades, como a sua, por exemplo. ?Mesmo sendo legítimo proprietário da área, estou proibido pela Justiça de realizar qualquer tipo de manejo em minha fazenda. Mas os invasores retiram madeira, destroem o meio ambiente, poluem rios, devastam na ilegalidade e continuam agindo assim há longo tempo. Quanto a mim, como proprietário, além de ser punido pelas invasões e destruição do meu patrimônio, pois meus prejuízos já passaram so 2 milhões de reais, ainda estou proibido pela Justiça de sobreviver?, protesta.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS