close
logorovivo2

DEUS SALVE O REI!

POR OSMAR SILVA

7 de Janeiro de 2019 às 09:53

É indiscutível que todos estão animados e cheios de esperanças num futuro melhor no Brasil. Os sinais de confiança num novo momento de construção e de reconstrução de valores, são visíveis em toda parte.

 

Os rondonienses, particularmente, estão bem alegres. As pessoas percebem o preço mais em conta da gasolina, tomam conhecimento que Aneel manterá bandeira verde na energia até o final de fevereiro e escutam notícias de que a Bolsa de Valores bate recordes na valorização e venda de títulos. Não entendem muito disso, mas sabem que é coisa boa.

 

As pessoas só escutam e ouvem falar de boas intenções dos novos governos em combater a corrupção, o crime desenfreado, o desperdício de dinheiro e os privilégios dos que podem mais. E até que o desemprego está caindo. Ou seja, os empregos estão voltando. Aqui e no resto do Brasil. E sentem que o peso que carregam no cangote, pode ser aliviado.

 

É, de fato, o que todos esperam. Mas, será? Esperamos que seja!

 

Rondônia, por exemplo, quer continuar com seu virtuoso crescimento ancorado no agronegócio, com contas equilibradas, contratos respeitados e pagamentos de fornecedores e servidores em dia.

 

Mas me chamou a atenção, na manhã desta quinta-feira, 4 de janeiro, dia do aniversário de emancipação do estado, a ausência de representantes do Poder Judiciário, de membros da bancada do Congresso e da presença mais encorpada do Poder Legislativo estadual, na solenidade de nomeação e posse dos secretários do 1º e 2º escalões de governo de Rondônia.

 

O governador Marcos Rocha, que só foi receber a faixa do cargo neste ato de posse dos seus assessores, contou somente com a presença de três deputados estaduais dos 24 que compõem o plenário. Entre os três, não estava o presidente da Casa Legislativa. E só havia um congressista, dos dez que compõem a bancada de Rondônia no Congresso Nacional. Será que não foram convidados? Duvido!

 

Talvez por isso, o governador tenha se sentido encorajado para afirmar, no seu discurso, apontando para a equipe recém nomeada e empossada que “não tem nenhum indicado por deputados, políticos ou partidos”. Pareceu algo como ‘se vocês não me prestigiam, também não prestigio vocês’. Deus ajude que fique somente na impressão momentânea. Mas que dá o que pensar, isso dá.

 

O fato é que, em 40 anos em Rondônia, estou testemunhando coisas nunca antes vistas. Umas boas, outras nem tanto e algumas, preocupantes. A novo governador Rocha e sua equipe vão ter que se superarem para conquistar a confiança dos reticentes mandatários e membros dos demais poderes.

 

É uma excelente oportunidade para que todos do novo governo que acabaram de sair do anonimato, com poucas exceções, construam uma trajetória que os eleve à condição de notáveis gestores públicos e abram caminho para o futuro.

 

Deus salve o Rei!!!

MAIS COLUNAS

Osmar Silva

Osmar Ferreira da Silva, 70 anos, jornalista, bacharel em direito pela Uniron, vindo da Bahia ha 36 anos, fundador do Jornal O Parceleiro em 1979 em Ariquemes, e Gazeta de Rondônia em 1980 em Ji-Paraná, escritor ficcionista e poeta inédito. Ex-secretário de Justiça, ex-diretor do Sebrae, no governo Jerônimo Santana, ex-presidente do Iteron(Instituto de Terras de Rondônia) no governo Osvaldo Piana, ex-secretário de Administração e ex-secretário de saúde de A

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS