close
logorovivo2

GOVERNO DE ROCHA OU A ROCHA

POR OSMAR SILVA

27 de Dezembro de 2018 às 16:59

Não, não é um secretariado de notáveis na política ou na administração pública. Os nomes até agora apresentados à sociedade rondoniense pelo governador eleito Marcos Rocha, compõem um elenco de pessoas íntegras, até onde se sabe neste primeiro momento. E isso é bom. Afinal ele nunca negou, ao contrário, enfatizou até enfadonhamente, que este será ‘um governo diferente’. Tudo indica que sim. Resta saber se, além de diferente, será eficiente.

 

O fato é que, tentando marcar território próprio, Rocha evitou buscar entre os nomes que habitualmente ocupam cargos no primeiro escalão de qualquer governo, em uma espécie de ‘rodizio’, pessoas para os gabinetes do Palácio Rio Madeira. E vem evitando ainda, indicações de políticos. Optou por cidadãos e cidadãs do pequeno grupo de seu partido, do seu restrito relacionamento e até de alguns conhecidos de última hora.

 

Estou convicto que o coronel carioca, ainda ‘novo’ no estado, só agora, ao enfrentar a dura tarefa de preencher todos os cargos que compõe a direção executiva no primeiro e segundo escalão, está realmente se dando conta do tamanho que é o governo de um estado da federação brasileira. Mesmo que se trate de um novo e pequeno, como o nosso, com menos de 2 milhões de habitantes. Menor que município de Manaus, que tem 2 milhões e 130 mil moradores.

 

Lógico que hoje, Rondônia tem nomes consagrados pela eficiência de gestão ou amparados em currículos técnicos e profissionais, em todas as áreas. Gente honrada apta a ocupar e dar conta de qualquer cargo ou função. A questão é: eu os conheço? É de confiança? Quem é que está indicando? E qual é o interesse da indicação? É de qual partido?

 

Talvez, e quero crer que sim, aí tenha residido a razão do ‘mistério’ e silêncio que cercou a montagem da lista com os primeiros vinte nomes. Seria constrangedor essa busca de forma pública e aberta com fez o presidente eleito Jair Bolsonaro. Há tanto tempo na Câmara Federal, ele conhecia e conhece todo mundo. Diferente do nosso governador eleito que não era político, é novo em Rondônia e não tinha militância partidária. Sua roda de amigos está circunscrita aos camaradas do quartel, aos irmãos da igreja e algumas exceções.

 

Mas o desafio continua. O governo é grande. Ainda tem muitas cadeiras importantes para ocupar. Não acredito que ocupem todas elas nos próximos seis dias. Vai sobrar muita coisa para após o dia 1º de janeiro.

 

Mas é um alento e uma esperança observar que, entre os novos nomes já indicados e os que virão, estejam pessoas com oportunidade de se revelar e crescer no cenário político e administrativo do estado, por ações e obras aplaudidas pelo público.

 

É esse o sentimento de todos nesse momento.  Espera-se que seja assim. Caso contrário, o barco do governador Rocha baterá direto contra a rocha num impacto destruidor. Em cem dias já saberemos para que lado a nave vai.    

 

OsmarSilva – jornalista – Presidente da Associação da Imprensa de Rondônia-AIRON – Diretor e editor do noticiastudoaqui.com – sr.osmarsilva@gmail.com – WhatsApp 99265.0362      

MAIS COLUNAS

Osmar Silva

Osmar Ferreira da Silva, 70 anos, jornalista, bacharel em direito pela Uniron, vindo da Bahia ha 36 anos, fundador do Jornal O Parceleiro em 1979 em Ariquemes, e Gazeta de Rondônia em 1980 em Ji-Paraná, escritor ficcionista e poeta inédito. Ex-secretário de Justiça, ex-diretor do Sebrae, no governo Jerônimo Santana, ex-presidente do Iteron(Instituto de Terras de Rondônia) no governo Osvaldo Piana, ex-secretário de Administração e ex-secretário de saúde de A

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS