close
logorovivo2

POLÊMICA: 'Eu devia ter matado ele', diz mulher que acusa Neymar de estupro

TV mostra conversa entre a suposta vítima e um advogado

MEIA HORA

4 de Junho de 2019 às 11:28

POLÊMICA: 'Eu devia ter matado ele', diz mulher que acusa Neymar de estupro

FOTO: (Divulgação)

A mulher que acusa Neymar de estupro na cidade de Paris, na França, no último mês de maio, ainda não falou com a imprensa. Mas já existem algumas declarações que ela deu aos advogados quando decidiu dar queixa do jogador à polícia.



Em uma troca de mensagens revelada pelo "Jornal Nacional", da TV Globo, a mulher diz ao advogado José Edgard da Cunha Bueno Filho que foi vítima de estupro e deixa claro que queria divulgar o suposto crime, afirmando que foi espancada e estuprada por Neymar .

"Por que a gente não joga logo na mídia pra acabar com a carreira desse pipoqueiro logo de vez? Ele me espancou e me estuprou", disse a suposta vítima. O advogado responde: "Calma. Isso logo depois de apresentarmos a denúncia".



Mas logo a mulher demonstra impaciência e não quer esperar. "Tô com raiva Zé. Eu devia ter matado ele quando tive a chance".



A conversa mostra que o advogado prefere evitar uma briga na Justiça fazendo um acordo. "Não vai ficar impune. Mas você tem que saber que uma briga dessa demora. Por isso tentei o acordo".



José Edgard explicou, ainda em entrevista ao JN, por qual motivo foi contra continuar no caso. "Eu fui contra qualquer medida bombástica. E até que chegou num momento, de forma mais dura, ela ter acusado a minha ética profissional a respeito do que eu estaria fazendo", finalizou.

 

O escritório de advocacia Fernandes e Abreu Advogados, que defendia a mulher que fez a denúncia contra Neymar , disse que ela apresentou versões diferentes do caso e por isso rescindiu o contrato com a suposta vítima. Primeiro ela informou que havia feito sexo de forma consensual, mas registrou um Boletim de Ocorrência relatando estupro.
 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS