close
logorovivo2

LUTO DUPLO: O Futebol perde dois personagens históricos: Coutinho e Eurico Miranda

Duas mortes registradas de ontem para hoje, com a passagem do eterno dirigente Cruzmaltino Eurico Miranda e Coutinho, o parceiro de Pepe, Malgalvio e Pelé.

DA REDAÇÃO / GLOBO / UOL

12 de Março de 2019 às 13:03

LUTO DUPLO: O Futebol perde dois personagens históricos: Coutinho e Eurico Miranda

Oatacante Coutinho e o dirigente Eurico Miranda são história do futebol FOTO: (Divulgação, IG, UOL, GLOBO)

 

Semana triste para os amantes de futebol. Um dos maiores atacantes do Santos, que fez história ao lado de Pelé, Pepe e Mengalvio foi escalado para o time celestial. Coutinho faleceu na segunda-feira. 

 

Não tão amado, mas idolatrado pela polêmica e amor ao seu time o Vasco, Eurico Miranda após três casos de câncer não resistiu a batalha conta o último e bastante debilitado, faleceu no dia de hoje.

 

COUTINHO

 

O ex-atacante Coutinho, destaque do time do Santos na década de 60, morreu na noite da segunda-feira (11) aos 75 anos de idade. Na madrugada de terça-feira (12), a assessoria de imprensa do Santos informou que Coutinho morreu após sofrer um infarto no miocárdio em decorrência de diabetes e hipertensão arterial.

 

Ele estava em casa e faleceu na hora, por volta das 19h30. "A pequena área perdeu um professor" O Santos abriu o Salão de Mármore da Vila Belmiro para o velório. O enterro do ídolo santista será às 18h de hoje no cemitério Memorial.

 

 

Pepe, ex-colega de Santos de Coutinho, disse que o ex-companheiro vinha enfrentando problemas, que, no entanto, não tiraram a sua alegria. "Ele estava com problemas, mas fora isso continuava sendo aquele moço alegre. É um cara feliz, que viveu uma vida feliz até onde deu", declarou.

 

Coutinho chegou a ser internado no fim de janeiro com pneumonia. No hospital, foi diagnosticado um quadro de pneumonia. O ex-jogador também apresentou problemas com a diabetes e com a pressão, mas sem gravidade. Após uma semana e meia de internação, inclusive com passagem pela Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Coutinho retornou para casa no dia 28 de janeiro.

 

HISTÓRIA

 

Natural de Piracicaba, Antonio Wilson Honório, mais conhecido como Coutinho, foi o mais jovem jogador a atuar nos profissionais do Santos com apenas 14 anos, 11 meses e 6 dias. Durante suas passagens pelo Santos, entre 1958 e 1968 e depois em 1970, Coutinho atuou em 451 partidas oficiais e 16 não oficiais

 

Ele marcou 368 gols oficiais e 4 não oficiais, conquistou cinco vezes o Campeonato Brasileiro (1961, 1962, 1963, 1964 e 1965), duas vezes a Libertadores (1962 e 1963), duas vezes o Mundial (1962 e 1963) e seis vezes o Paulistão (1960, 1961, 1962, 1964, 1965 e 1967), entre outros títulos. Foi ainda campeão da Copa do Mundo de 1962 com o Brasil. Nos últimos anos da carreira como jogador, passou também por Vitória, Portuguesa e Bangu, entre outras equipes. Em 1973, aposentou-se dos gramados jogando pelo Saad, de São Caetano do Sul (SP).

 

Pelé, Pepe e Coutinho no lendário time do Santos dos anos 60

 

Pela seleção brasileira, o atacante foi inscrito na Copa do Mundo 1962 com a camisa 9, mas não pôde entrar em campo depois de uma contusão na preparação para o Mundial. Pelo Brasil, foram 15 jogos e seis gols de 1960 a 1965.

 

 

EURICO MIRANDA

 

O mais icônico dirigente do Vasco saiu de cena nesta terça-feira. Aos 74 anos, Eurico Miranda morreu em um hospital na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, vítima de câncer no cérebro.

 

Atualmente, ele estava no cargo de presidente do Conselho de Beneméritos do clube. Ele deixa quatro filhos. Nos últimos meses, Eurico não fez aparições públicas. Seu estado de saúde se agravou, inclusive com dificuldade para se alimentar.

 

A família montou uma UTI em casa, com home care, com enfermeiras se revezando para cuidar da saúde do dirigente. Visitas, inclusive das pessoas mais próximas, eram controladas pela família. De ambulância, ele foi levado ao hospital na manhã desta terça. Lá não resistiu e morreu no início da tarde.

 

Em novembro, numa reunião do Conselho Deliberativo, já bastante debilitado, precisou de ajuda para se levantar e puxar o grito de Casaca, uma tradição do Vasco à qual se habituou a liderar. Eurico Miranda puxou o Casaca no fim da reunião do Conselho Deliberativo.

 

No mesmo evento, Eurico anunciou que diminuiria a frequência de suas visitas ao Vasco e se limitaria a reuniões do Conselho de Beneméritos e do Conselho Deliberativo. Ele havia dispensado seguranças e motoristas.

 

Eurico quando ocupou uma cadeira na Câmara Federal em Brasília de:

'Deputado do Vasco e não Deputado do Povo!' 

 

Eurico se encontrava em estado debilitado desde o início de 2018. Mesmo assim, foi figura presente em jogos do Vasco em São Januário - chegou até mesmo a ir aos treinos do elenco no CT do Almirante, em Vargem Pequena. Antes da atual doença, o dirigente conseguiu superar um câncer na bexiga e outro no pulmão. Nos últimos meses, andava de cadeira de rodas. Recentemente, passou a se tratar em casa, com idas frequentes ao médico.

 

HISTÓRIA

 

Eurico foi presidente do Vasco em dois períodos: de 2003 a 2008, e de 2015 a 2017. Também foi vice-presidente de futebol do clube entre 1990 e 2002, tendo participado do período de maiores conquistas do clube, como o Campeonato Brasileiro de 1997, a Copa Libertadores de 1998, a Copa João Havelange de 2000 e a Copa Mercosul de 2000.

 

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS