close

Rússia ignora estreia de Salah, bate Egito e está perto das oitavas

Com saldo de oito gols a Rússia se garante para a segunda fase e o Egito já se prepara para o jogo de despedida da copa se o Uruguai não tropeçar perante os Russos

UOL

19 de Junho de 2018 às 16:05

Rússia ignora estreia de Salah, bate Egito e está perto das oitavas

Salah frustrado e festa regada a Vodka para a torcida Russa FOTO: (Divulgação)

 

A seleção anfitriã da Copa do Mundo é, neste momento, a mais próxima das oitavas de final. Nesta terça-feira (19), a Rússia bateu o Egito por 3 a 1, na estreia de Mohamed Salah e no primeiro jogo da segunda rodada, e ficou muito perto de confirmar vaga na etapa seguinte.

 

O camisa 10 do Egito até marcou de pênalti aos 27 do segundo tempo, mas esteve sozinho do lado egípcio durante toda a partida. Fatih (contra), Cheryshev e Dzyuba fizeram os três gols russos.

 

O Egito depende de um tropeço do Uruguai para manter vivo o sonho de avançar para a próxima fase. A seleção sul-americana enfrenta a Arábia Saudita nesta quarta (20), às 12 horas (de Brasília). Se os uruguaios vencerem, chegarão aos mesmos 6 pontos da Rússia na Grupo A e acabarão com as chances dos egípcios, que ainda não pontuaram.

O melhor: Cheryshev

 

Depois de sair do banco para marcar duas vezes na goleada da Rússia sobre a Arábia Saudita por 5 a 0, Cheryshev ganhou a merecida vaga de titular contra o Egito. Atuando pela esquerda, foi dele o segundo gol que liquidou as esperanças egípcias aos 13 do segundo tempo, após receber um passe muito preciso de Mário Fernandes.

 

 

Três a zero no segundo tempo. Com o psicológico visivelmente abalado com os dois primeiros gols, o Egito se atrapalhou. Três minutos depois de Cheryshev marcar o segundo, Dzyuba dominou no peito um lançamento de Kutepov, virou para o gol e tocou no cantinho de El Shenawy para selar a vitória.

 

O primeiro tempo foi bem menos objetivo. Apesar do suporte de Dzyuba como pivô no ataque russo, o que, em tese, permitiria ao time arriscar mais chutes de longa distância ou jogadas de infiltração, a seleção anfitriã abusou demais das jogadas de bola aérea.

O pior: Fathi

 

Ainda resta o jogo entre Uruguai e Arábia Saudita, mas um toque errado e absolutamente infeliz de Fathi pode cravar o fim do sonho do Egito na Copa do Mundo. Depois de um primeiro tempo de segurança defensiva, o lateral desviou a bola com um carrinho aos 2 da etapa final e marcou contra.

 

Salah esteve sozinho

Recuperado da lesão no ombro sofrida na final da Liga dos Campeões, o craque fez sua estreia em Copa do Mundo nesta terça, depois de passar o primeiro jogo do Egito no banco de reservas. É de se lamentar o fato de que esteve praticamente sozinho em campo.

 

Depois do pênalti cometido sobre Salah e apitado com ajuda do árbitro de vídeo, ele próprio acertou o canto esquerdo do goleiro aos 27 do segundo tempo e fez o gol de honra do Egito.

 

Sua presença acabou mudando a estratégia dos egípcios, que tentavam lançar a bola para a direita constantemente. Melhor seria se ele mesmo a dominasse, mas qualquer outro colega de equipe que recebesse a bola por ali logo o procurava para fazer o passe. Uma jogada viciada e previsível para a defesa russa.

 

Antes do gol, Salah levou perigo aos 41 do primeiro tempo, ao girar diante da marcação e chutar imediatamente. A bola saiu à direita da meta, mas a jogada mostrou sua grande noção de espaço, já que seria desarmado com relativa facilidade se parasse para escolher um canto.

 

Foi com ele que o Egito puxou um contra-ataque promissor aos 38. Porém, no momento em que a bola deixou seus pés, a jogada desacelerou consideravelmente. Seus colegas de equipe pareciam não ter grandes recursos além de cruzar para a pequena área e torcer pelo melhor.

 

Primeiro tempo fraco

Em tom de brincadeira, muitos usuários das redes sociais disseram que os primeiros 45 minutos serviram para matar a saudade do Campeonato Brasileiro. Os goleiros não foram testados, e muitas jogadas fracas acabaram repetidas à exaustão. Não foi um primeiro tempo digno de Copa do Mundo.

 

Agarra-agarra na área

Este tipo de lance polêmico não é novidade no futebol, mas tem sido muito recorrente na Copa de 2018, a primeira com árbitro de vídeo. As imagens mostraram que dois jogadores russos foram segurados na área ao mesmo tempo nos minutos finais da primeira etapa, mas o árbitro argentino Enrique Caceres nada apitou.

 

'Fator Ramadã' ou psicológico?

 

Nono mês do calendário islâmico, o Ramadã pede para que seus adeptos só se alimentem antes do nascer do sol e após o pôr do sol. O período se encerrou em 14 de junho, dia da estreia da Rússia contra a Arábia Saudita e véspera do jogo entre Egito e Uruguai.

 

Especialistas apontaram que o fator Ramadã pode ter tido influência negativa sobre o preparo físico dos egípcios, que perderam por 1 a 0 nos minutos finais, assim como pode ter feito com os sauditas, goleados por 5 a 0.

 

É bem verdade que o primeiro gol da vitória russa saiu em um infeliz erro de Fathi, mas foi evidente a queda de rendimento do Egito no segundo tempo contra a Rússia. Resta saber se o Ramadã foi mais decisivo que o baque emocional de um gol contra.

 

O Brasileiro Mário Fernandes celebrou

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS