close

ESPAÇO ABERTO: Rondônia ignora descaso e apresenta seus projetos para a Amazônia

Confira a coluna de Cicero Moura

CÍCERO MOURA/RONDONIAOVIVO

12 de Março de 2020 às 08:52

ESPAÇO ABERTO: Rondônia ignora descaso e apresenta seus projetos para a Amazônia

FOTO: (Divulgação)

CIRCUITO FECHADO SOBRE A AMAZÔNIA


É impressionante a falta de destaque em um assunto tão importante e pertinente para quem mora na Amazônia. Um grupo restrito de jornalistas conseguiu a façanha de cobrir a passagem meteórica do general Mourão, em Porto Velho, na tarde de terça-feira (10). O vice-presidente veio falar (?) sobre o Conselho Nacional  da Amazônia.


NADA DE NOVO


Coordenado pelo próprio Mourão, o Conselho Nacional da Amazônia foi criado para definir medidas de proteção ambiental, segurança contra invasões de áreas de preservação e extração ilegal de madeira. Na realidade, o Conselho já existia desde 1995, criado pelo Decreto 1.541, de 27 de junho de 1995.

 

 

EXCLUÍDOS


O novo Conselho, na sua composição, deixou de fora os ministérios da Saúde e da Educação, bem como da Cultura, que estavam inclusos no Conselho de 1995. 


QUESTIONAMENTOS


Especialistas ambientais questionam como será possível falar de desenvolvimento sem os investimentos e ações na área da educação, a valorização de educação indígena, a interiorização do ensino. Outra ponderação é não incluir ações da saúde como fundamentais para garantir o desenvolvimento social. E não levar em consideração a riqueza cultural dos povos tradicionais e indígenas da região.


NEM OS GOVERNANTES


O novo conselho excluiu também de sua composição a participação dos governadores de cada estado. Não haverá nenhuma presença de instituições que representem a Amazônia. Estão fora as casas legislativas, os poderes executivos e judiciários, e nenhuma instituição de pesquisa e de universidades.

 

RONDÔNIA PENETRA

 

Embora o Governo Federal  tenha desdenhado dos governadores, o ilustre regedor rondoniense tomou a iniciativa para apresentar o que o Estado tem sobre essa demanda. Marcos Rocha fez uma demonstração técnica ao general Mourão onde foram salientadas as propostas para a Amazônia Rondoniense.

 

FOCO

 

Entre as demandas estão a defesa de importantes pilares que vão desde a conservação, proteção e desenvolvimento ambiental, ao ordenamento e regularização fundiária, bem como prevenção e combate aos incêndios florestais.

 

EM TEMPO


Vale ressaltar que, desta vez, o Governo de Rondônia não teve nenhum gerenciamento na postura adotada pela comunicação do Governo Federal. 


EM TEMPO 2


De Rondônia, Hamilton Mourão seguiu para o Acre onde a imprensa não pode registrar a chegada dele. Nem mesmo as equipes da Secretaria de Comunicação conseguiram se aproximar do vice-presidente. Como diz um amigo jornalista: próxima pauta. 

 

AMADO MESTRE

 

A justiça anulou o testamento do humorista Chico Anysio, morto em 2012, aos 80 anos. A decisão foi tomada porque o documento não coloca o filho dele, Lug de Paula, como um dos herdeiros. A lei brasileira impede que filhos sejam tirados da divisão de bens, sem um motivo genuinamente comprovado. 

 


MAIS VELHO
 

 

Lug de Paula é o primogênito, entre os nove filhos do comediante, e ficou conhecido por ter interpretado o personagem Seu Boneco, na Escolinha do Professor Raimundo, programa da Rede Globo que era comandado por Chico Anysio.

 

DISCUSSÃO

 

Lug, que mora em Florianópolis (SC), diz que teria ficado de fora do testamento por conta de um desentendimento que teria tido com Chico meses antes do comediante morrer.

 

CANCELAMENTO

 

O Ministério Público Federal  já acionou a Anac para que consumidores  possam cancelar sem ônus suas passagens aéreas nacionais e internacionais para destinos atingidos pelo coronavírus.

 


ABUSO


O  MPF entende que a cobrança de taxas e multas, em situações de emergência mundial em saúde, é prática abusiva e proibida pelo Código de Defesa do Consumidor. Medida mais do que sensata proposta pelo MPF. 

 

SÓ ATÉ AMANHÃ


A Secretaria Municipal de Saúde está realizando, desde 13 de fevereiro, campanha contra o sarampo que termina amanhã. O público-alvo dessa ação é a população dos 5 aos 19 anos.

 


POUCA PROCURA


Segundo Elizeth Gomes, gerente de Imunização da Semusa, a procura está abaixo do esperado. A vacina contra o sarampo também é disponibilizada na rotina, às pessoas na faixa etária dos 6 meses aos 49 anos, nas unidades de saúde, que funcionam das 8h às 18h. 


NÚMEROS 


De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, no período de 10 de fevereiro a 9 de março foram atendidas 11.283 pessoas. O público alvo ficou em 2.523 pessoas atendidas. A Semusa não informou qual seria a meta a atingir.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS