close

ESPAÇO ABERTO: Transporte Escolar: nada é tão ruim que não possa ficar pior

Confira a coluna de Cícero Moura

RONDONIAOVIVO - CÍCERO MOURA

13 de Agosto de 2019 às 08:21

ESPAÇO ABERTO: Transporte Escolar: nada é tão ruim que não possa ficar pior

FOTO: (Divulgação)

INCRÍVEL

 

 

A empresa Performance que ganhou a licitação para o transporte fluvial, protocolou na Secretaria Estadual de Educação (Seduc) pedido de prorrogação de prazo para apresentação de embarcações e início da prestação de serviço. A empresa alega que não tem como cumprir o prazo na data estipulada pois precisa comprar embarcações. Se eu não tivesse guardadinho aqui comigo uma cópia do protocolo desse pedido absurdo eu diria que era mais uma piada de mau gosto sobre o assunto transporte escolar. 

 

INCRÍVEL 02


Como uma empresa de transporte participa e ganha licitação para fazer transporte se não tem a matéria prima para o serviço oferecido? É praticamente impossível de acreditar que, mais uma vez, foi feito contrato com uma empresa que precisa primeiro receber, comprar os veículos para somente depois executar o trabalho proposto. 

 

INCRÍVEL 03


O transporte fluvial foi assumido pela Seduc após a prefeitura admitir incompetência para gerir o serviço. No entanto, ainda não tive uma resposta oficial da Secretaria Estadual de Educação sobre o que será feito em relação a essa mais nova “surpresa” relacionada ao assunto. Se o tal pedido da Performance for atendido e cumprido, aulas para alunos ribeirinhos somente em 14 de outubro, pois dia 12 é feriado e cai em um sábado.

 

FAKE NEWS DESDE A ESCOLA

 

 

Os deputados estaduais Jair Montes e Marcelo Cruz estão nos Estados Unidos representando Rondônia em uma Conferência Mundial voltada aos legisladores estaduais. São mais de 250 participantes que representam cerca de 80 países. Entre os temas apresentados estão cidadania digital, educação e Fake News. Enquanto no Brasil há uma preocupação em relação ao Fake News na política nos EUA o foco é discutir o tema nas escolas e tentar formar gerações cientes do quanto isso pode prejudicar uma nação.

 

O QUE ESTÁ SENDO FEITO?


O  Tribunal de Contas (TCE-RO), estabeleceu prazo para que gestores públicos do Estado informem sobre as medidas adotadas quanto à execução das ações contidas no Plano de Gestão Ambiental de Prevenção e Combate às Queimadas e Incêndios Florestais ou outros similares. A Decisão tem o objetivo de avaliar a política ambiental das áreas protegidas no bioma amazônico.

 

QUEIMADAS AUMENTARAM

 

 

Com relação estritamente às queimadas, dados da Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), em comparação com o mês de julho de 2018, apontam que houve aumento de 8% de incidência de focos de calor em Rondônia, originado das queimadas. Isso, segundo o TCE, mostra a necessidade de uma atuação mais firme por parte dos órgãos ambientais do Estado, a fim de evitar danos irreparáveis ao patrimônio ambiental. 

 

3º MAIOR PRODUTOR

 

 

De acordo com dados da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), de 2015 a 2019 Rondônia produziu cerca de sete mil toneladas de cacau, um número que chama a atenção, em comparação aos anos anteriores. A expectativa é que até o final do ano, a produção se aproxime de dez mil toneladas.


O estado continua ocupando a terceira posição no ranking de estados que mais se destacam na produção de cacau do país, perdendo apenas para  Bahia e  Pará. Rondônia abastece os mercados dos Estados Unidos, Alemanha e Itália. Os municípios de Ouro Preto do Oeste, Jaru, Nova União, Buritis, Ariquemes, entre outros, se destacam com grandes produções, o que alavanca a economia, através da movimentação em média de R$ 70 milhões anualmente.

 

CAIXA PRETA DO ECAD

 

Determinado a acabar com “cartórios” que privilegiam interesses particulares, o governo Bolsonaro deve abrir também a “caixa preta” do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad). Apesar da pose de agência reguladora, o Ecad é privado e em 2018 faturou mais de R$100 milhões a título de comissão de 10% sobre R$1,1 bilhão arrecadados. O Ecad informou que os quase R$100 milhões faturados em 2018 são gastos em “despesas operacionais e administrativas”.

 

COLINA DE DINHEIRO

 

O Ecad diz distribuir 85% da arrecadação (R$971 milhões em 2018) por “direitos autorais”. Do total, 5% são das “associações”. Quem quer que ouça música em alto volume fica sujeito às altas taxas de “direitos autorais” cobradas pelo Ecad sem direito a contestações.

 

QUEM PAGA?

 

O que é pago por restaurantes, bares e etc. seria destinado a músicos “e demais artistas” filiados às associações que administram o Ecad. Emissoras de rádio e TV são obrigadas a pagar 2,5 % do próprio faturamento bruto mensal ao Ecad, indústria de fazer dinheiro.

 

MUITOS APOIADORES

 

O Senado avalia transformar em projeto uma proposta popular, apoiada por mais de 20 mil internautas, que proíbe a concessão de pensão, aposentadoria ou plano de saúde a quem exerceu um mandato eletivo.

 

FIM DOS RADARES MÓVEIS

 

O governo Bolsonaro avisou que a partir da semana que vem a PRF vai acabar com os radares móveis nas rodovias federais.

 

O presidente fez o anúncio em Pelotas, na manhã de ontem.

 

Bolsonaro explicou como isto será feito:

 

- A Polícia Rodoviária Federal será instruída a não usar mais os aparelhos.

 

A PRF é subordinada ao ministério da Justiça, cujo titular é Sérgio Moro.

 

EXTRATO DO CARTÃO CORPORATIVO


O presidente Jair Bolsonaro convidou jornalistas para o acompanharem até a Caixa, nesta terça-feira (13) a tarde, para retirar um extrato e mostrar os gastos do seu cartão corporativo, relativamente ao primeiro semestre. "Espero que façam comparações e divulguem tudo", disse o presidente. Bolsonaro fez o convite durante coletiva que concedeu neste domingo.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS