close
logorovivo2

PROPOSTAS: Candidatos ao Governo de RO participam de debate em TV

Estiveram no encontro seis concorrentes ao cargo de governador do Estado

ASSESSORIA

3 de Outubro de 2018 às 00:00

PROPOSTAS: Candidatos ao Governo de RO participam de debate em TV

FOTO: (Divulgação)

Os candidatos ao governo de Rondônia realizaram, na noite de terça-feira(02), na TV Rondônia, o terceiro debate televisivo na campanha eleitoral. Os adversários no pleito, o candidato Pimenta de Rondônia (PSOL) e o senador Acir Gurgacz (PDT) iniciaram o programa com troca de farpas.


Enquanto Maurão de Carvalho (MDB) e Expedito Junior (PSDB) se enfrentavam em questionamentos sobre as finanças do estado, os demais candidatos aproveitaram o debate e se apresentaram como terceira via na disputa pelo governo.
 

Vinicius Miguel (REDE) confrontou as administrações de PSDB e MDB em Rondônia. Pimenta de Rondônia criticou o atual governo e se colocou como representante da população carente. Coronel Marcos Rocha evitou confrontos diretos com adversários e tentou colocar sua candidatura como terceira força nas eleições.
 

Já no primeiro bloco, com perguntas e respostas entre os candidatos. Pimenta de Rondônia deu início ao debate com questionamento direto ao candidato Maurão de Carvalho (MDB) sobre a atual situação da educação e citou os professores, afirmando que a categoria e o sistema está abandonado.

Vinicius Miguel disse que dará atenção à correção da distorção Idade/Série no ensino fundamental, nas escolas.  Ampliação da oferta e da qualidade da educação básica, a fim de elevar o IDEB e aumentar a escolaridade dos jovens. Expansão do ensino em tempo integral, incluindo de caráter técnico e tecnológico. Fortalecimento das ações voltadas à melhoria da qualidade do ensino médio, através de melhorias metodológicas, formação continuada de profissionais da educação e o monitoramento permanente das metas escolares. Foco na concessão de licenças para qualificação, em investimento em programas de qualificação da equipe técnica e docente na escola, gestão democrática do ensino e aceleração da concessão de aposentadorias.

 

Na sequência de questionamentos, os candidatos Marcos Rocha (PSL), Vinicius Miguel (REDE) e Acir Gurgacz (PDT) apontaram que PT e PSDB e MDB dividirão holofotes e trocarão acusações na tentativa de se manter à frente na disputa e que o eleitor deve analisar melhor o futuro do estado. “São pessoas de bem, mas infelizmente não entregaram bons resultados em suas administrações”, afirmou Vinicius.

 


Segundo bloco



No segundo bloco do debate, os candidatos responderam perguntas de diversos temas sorteadas pelo mediador Wilson Kirsch.



Pimenta de Rondônia aproveitou questionamento sobre como os eleitores poderiam acreditar em promessas de campanha para atacar Expedito e Acir e a gestão deles como senadores por Rondônia.



De acordo com Pimenta, quatro anos não são suficientes para ‘consertar o estrago’ no estado. Ele afirmou que a crise é estrutural e que tentará formar força juntamente com o próximo Governo Federal, já que, para ele, o atual é ‘ilegítimo’.
Vinicius Miguel aproveitou sua fala para dizer sobre o que pretende fazer pela segurança.

 

Segundo ele, o governo buscará parcerias e convênios com a União para melhor aparelhamento da Segurança. Criar cargos e a realização de concurso público, liberando parcialmente a força policial atualmente alocada em funções burocráticas para a atividade fim de policiamento.

 

Ele defendeu também a criação de uma carreira de Analista de Polícia Judiciária e melhor dotação orçamentária para a Perícia Técnica. Dentre outras providências a criação de unidades específicas para investigação de crimes com autoria conhecida e unidades com autoria desconhecida.  Fortalecimento das unidades de prevenção (patrulhas rurais) e de repressão (Polícia Judiciária) especializadas em conflitos agrários. Expor os problemas entre a polarização e que a disputa entre os governos Estadual e Federal se reflete nas tratativas e no atraso de obras como a BR-381 e o metrô de Belo Horizonte.

 

Terceiro bloco
 

Na terceira parte do programa, os candidatos responderam mais perguntas um dos outros. Entre as indagações, estavam propostas para diminuir a diferença entre os índices de desenvolvimento em Rondônia, melhorar infraestrutura no sistema de saúde estadual.
 

O candidato Expedito Junior procurou confrontar dados do governo estadual criticando as gestões anteriores. “Vamos pegar um estado quebrado que não fez nada de saneamento básico. Isso não tem a ver com competência ou incompetência, mas com a herança maldita que nos será deixada.”
 

Maurão de Carvalho teve a palavra e reafirmou compromisso com o que diz aos telespectadores. “Precisamos investir pesado nessa área, e vamos fazer isso. Não vamos fugir dessa responsabilidade. Tem que enfrentar isso com responsabilidade e transparência. Vamos colocar o estado no trilho”, apontou.

 

Vinicius Miguel, Coronel Marcos Rocha e Acir Gurgacz relembraram a situação precária em que se encontra o estado com a crise que se instalou na saúde e pediram confiança aos eleitores para trabalharem de forma participativa em todas as regiões de Rondônia em busca de melhorar a saúde.

 

Quarto Bloco
 

No quarto bloco foi repetida a dinâmica da parte inicial, com os candidatos formulando perguntas, respondendo e debatendo uns com os outros. Assim como anteriormente, a ordem dos questionamentos foi definida previamente em sorteio realizado com os representantes de cada campanha.
 

Acir foi questionado pelo candidato Pimenta de Rondônia sobre o pedido de prisão determinado pela justiça e de seu envolvimento do processo que ocasionou a suspensão de sua candidatura pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O pedetista voltou a afirmar que tudo não passou de um contratempo e que sua inocência será provada.



Pimenta de Rondônia usou sua tréplica para apontar que os três candidatos que lideram a pesquisa têm envolvimento com suspeitas de corrupção e que os eleitores saberão escolher nas urnas. Sobre Maurão de Carvalho, o candidato do PSOL afirmou que o candidato do MDB responde a vários processos na justiça e que se ele não tomar cuidado vai acabar em um dos presídios que estão em péssimas condições
 

Entre as perguntas e respostas, Coronel Marcos Rocha e Vinicius Miguel tomaram lideranças nos discursos. O segundo foi mais incisivo e chegou a atacar as administrações anteriores, questionando episódios de corrupção, processos judiciais dos adversários. Já o Coronel Marcos Rocha tentou ser mais neutro, aproveitando a disputa para se colocar como a terceira via entre os candidatos que respondem processos ou são investigados.

 

Quinto bloco - considerações finais
 

O primeiro a fazer suas considerações finais, Acir Gurgacz pediu que os eleitores esqueçam o que chamou de ‘armação política’ e a polarização apresentada. O candidato do PDT disse que vai ouvir os anseios de todos os rondonienses e se emocionou ao relembrar sua história de vida. “Vou devolver a esperança, o desejo de lutar e sua dignidade”.
 

Pela diversidade, Pimenta de Rondônia reafirmou a felicidade por apresentar suas propostas. O candidato do PT ressaltou que é o único sem acusações e afirmou ser ficha limpa. “Nós acreditamos que é possível mudar. Vamos construir isso juntos.”
 

O Coronel Marcos Rocha afirmou ser ficha limpa e solidário “às pessoas que estão sofrendo com esse governo de hoje”. O candidato do PSL voltou a pedir que os eleitores perguntem quem é o verdadeiro candidato de Bolsonaro no estado (sou disse ele). “Vamos trabalhar firme para colocar Rondônia de novo nos trilhos. Vamos reconstruir Rondônia”.

 

Maurão de Carvalho destacou sua experiência como deputado e presidente da Assembleia Legislativa. Ele se disse preparado para assumir como governador e afirmou que combaterá privilégios no estado. “Não sou líder de gabinete, nem de palácio. Vou governar Rondônia em todas as regiões, para todos.”
 

Expedito Junior afirmou que assume a responsabilidade por seu governo e pediu sequência no cargo e a manutenção de uma administração participativa. “Não tem sido fácil, mas me preparei para assumir essa responsabilidade. Tenho muito orgulho em dizer isso. Peço que o povo me dê a chance de mostrar que podemos fazer um estado melhor”, disse.
 

Por fim, Vinicius Miguel pediu serenidade e reflexão aos eleitores no momento de eleger um novo governo. O candidato da REDE afirmou que “a situação é muito difícil”. O professor universitário disse querer colocar a experiência pública para resolver os problemas na administração do estado. “É possível salvar Rondônia, restaurar nossa dignidade, nosso respeito e a admiração que sempre tivemos nacionalmente”.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS