close

IFRO: Pesquisadores lançam livro sobre migração, educação e cultura em Rondônia

A obra tece considerações sobre o espaço de vida no estado, sobretudo em Porto Velho e Guajará-Mirim

DA REDAÇÃO

16 de Outubro de 2019 às 11:00

IFRO: Pesquisadores lançam livro sobre migração, educação e cultura em Rondônia

FOTO: (Divulgação)

O “Dossiê Rondônia – ‘O Rio que nos une’: Educação, Migração e Cultura nestas paragens”, organizado pelos pesquisadores do Instituto Federal de Rondônia (Ifro), Cledenice Blackman, Gilberto Paulino da Silva e Rosa Martins Costa Pereira, foi lançado na última sexta-feira,11, na reitoria do Instituto.

 

A obra tece considerações sobre o espaço de vida no Estado de Rondônia, sobretudo em Porto Velho e Guajará-Mirim e suas espacialidades com outras cidades, unidas pelas terras e águas amazônicas.

 

O livro apresenta 20 capítulos  produzidos por profissionais que se dedicam à educação estadual, municipal, federal, mais egressos, profissionais técnico-administrativos e docentes do IFRO e da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR), que têm como similaridade o ensino, a pesquisa e a extensão, assinam os artigos que tratam de temas ligados à Educação, Imigração e Cultura.

 

Para uma das organizadoras, Rosa Martins Costa Pereira, a intenção deste material bibliográfico “[...] é retratar parte da grande diversidade dos mundos que interagem nas lugaridades amazônicas, tratadas com microterritorialidade de valor, as quais constroem e modificam os lugares de existência dos pesquisadores”.

 

Cledenice Blackman, também organizadora da coletânea, ressalta que o objetivo da obra “[...] é promover a circulação e a popularização da produção científica de pesquisadores(as) de/e sobre Rondônia nas temáticas de educação e cultura”.

 

IFRO em pauta

 

Dentre os artigos da coletânea, três trazem como cenário o contexto institucional do IFRO. “Pintando a esperança: educação profissional com imigrantes haitianos” que tem como autores Reuria da Silva Moreira, Adelson Barboza de Souza, Miralba Uchôa de Carvalho. Rosa Martins Costa Pereira, que também assina o artigo e coordenou o Projeto do qual o capítulo é resultado, destaca a importância desta produção como elemento de compartilhamento de experiências no campo da extensão social, envolvendo saberes e competências de professores e técnicos administrativos do IFRO de diferentes áreas do conhecimento, na perspectiva interdisciplinar. “O Projeto ‘Pintando a Esperança: Curso de Pintor Profissional para Haitianos’ foi delineado após a realização de um levantamento socioeducativo em 2014 pelo Grupo de Pesquisa em Educação, Filosofia e Tecnologias (GET/IFRO) aplicado a uma comunidade haitiana na cidade de Porto Velho-RO. O levantamento teve como objetivo identificar suas principais necessidades e dificuldades para o ingresso no mercado de trabalho e, consequentemente, a inserção social. Entre as necessidades identificadas, verificou-se um interesse pela profissionalização na área de construção civil e também a demanda recorrente para o Curso de Pintor”, explica.  O texto apresenta resultados do projeto que objetivou capacitar profissionalmente um grupo de imigrantes haitianos com as ações de ensino.

 

O artigo “Língua, culinária e integração: uma experiência de mútua aprendizagem entre haitianos e brasileiros”, tem autoria de Giliane Rodrigues de Oliveira, Benito Bonfim, Rosa Martins Costa Pereira, Sandra Monteiro Gomes, Márcia de Fátima Barbosa Corrêa, Neusa Teresinha Rocha dos SantosA Professora Dra. Sandra Monteiro Gomes explica que esse estudo apresenta um recorte dos resultados do Projeto “Geograficidade Haitiana: Cultura, Representação e Direitos Humanos”, vinculado ao Programa Institucional de Pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO). “O objetivo geral do projeto foi produzir e disseminar informações sobre a cultura haitiana por meio de dados sobre culinária e educação e suas interfaces na sociedade brasileira”, diz acrescentando que a pesquisa teve duas linhas de investigação: a) Linha de Pesquisa I: Conhecer o Haiti: entrando pela cozinha e b) Linha de Pesquisa 2: Conhecer o Haiti: entrando na escola. Esse texto apresenta resultados referentes à primeira linha de pesquisa. “O acompanhamento do curso Formação Inicial e Continuada (FIC) de Língua Portuguesa e de Culinária implementado com uma comunidade haitiana foi fundamental para conhecer melhor sobre o Haiti através de sua culinária e interagir com os haitianos também apresentando a culinária brasileira”, destaca a pesquisadora.  

 

O artigo “Tablet como Ferramenta Pedagógica na Atuação Docente”, produzido pelo Professor Doutorando Dauster Souza Pereira, é fruto de uma pesquisa descritiva analítica do tipo quanti-qualitativa realizada com docentes dos cursos técnicos de 7 campi do IFRO. O professor destaca que o Programa de Modernização da Rede Federal para o uso de Tecnologias Educacionais foi implantado pelo Governo Federal no ano de 2012 e objetivava a distribuição de recursos tecnológicos aos docentes que atuavam no ensino público no Brasil. Em 2013, o IFRO foi uma das instituições que receberam os tablets e os mesmos foram repassados aos professores, conforme relação nominal disponibilizada pelo Governo Federal. Contudo essa distribuição foi realizada sem uma orientação pedagógica e diretriz de uso suficientemente delineada para que os tablets fossem aplicados para o fim a que se destinavam: melhorar os processos de ensino e aprendizagem. Diante disso, a pesquisa realizada visa analisar o uso dos tablets, pelos professores do IFRO.

 

Além destes trabalhos, o livro apresenta uma diversidade de temas que interligam educação, migração e cultura em lugaridades como Porto Velho, Guajará-Mirim e Vale do Guaporé. Dessa maneira, “nós, os organizadores e autores, fazemos um convite para navegarmos nesse rio de diversidade que é Rondônia e as espacialidades da Amazônia”, ressalta Rosa.

 

 

 

 

 

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS