close
logorovivo2

RESPOSTA: Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

Portanto amigos leitores, tudo que publicamos na coluna publicada no dia 07 deste mês, foi a pura verdade

ZÉKATRACA

16 de Março de 2019 às 10:32

RESPOSTA: Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

FOTO: (Assessoria)

Conforme prometido, vamos nos reportar ao pedido de Direito de Resposta solicitado pelo presidente da escola de samba Os Diplomata engenheiro civil Jair Monteiro de Souza, publicado na edição do dia 14, conforme solicitação nesta coluna.

 

**********

 

Aliás, no caso do Diário da Amazônia ou de qualquer outro órgão de imprensa, o termo correto é EDITOR e não Presidente como o engenheiro escreve se reportando ao nosso Chefe Editor. Vamos lá.


 

**********

 

Escreve o engenheiro presidente - “...Por tanto, senhor Presidente, o aludido colunista não participou da discussão e nem conhecia o assunto tema da discussão, entretanto, de maneira irresponsável, manifestou-se erroneamente em sua coluna com o simples propósito de criar factoides e gerar animosidade na relação entre pessoas; em tempo, o meu protesto foi acompanhado por outra agremiação”.


 

*********

 

Como publiquei no final da coluna do dia 14: Quem elaborou o Regulamento dos dois Concurso fui eu. Até porque, o evento foi criado por mim com o aval da direção do Diário da Amazônia em 2014 e mais uma vez realizado neste ano de 2019. Apenas que este ano, também realizamos o Concurso Melhor Interprete de Samba de Enredo junto com o Melhor Samba de Enredo.

 

*********

 

Por uma questão de parceria enviamos a minuta do Regulamento a direção da FESEC que marcou reunião para o dia 28 de fevereiro, na qual compareceram apenas, o presidente Reghinaldo Makumbinha, Eu e o diretor Oscar Dias Knightz. Apenas dois itens foram corrigidos.


 

*********

 

Eu havia colocado que cada Samba de Enredo seria cantado 5 (cinco vezes) e por sugestão da direção da FESEC ficou em apenas 3 (tres vezes).

 

*********

 

O outro quesito corrigido foi o da ORDEM de Apresentação dos Sambas que ficou acordado, que seria pela ordem do sorteio que havia acontecido já ha algum tempo, que seria obedecido caso acontecesse os desfiles das escolas de samba.

 

*********

 

Nada mais foi alterado no Regulamento. Creio que a direção da FESEC passou às filiadas os ajustes feitos. Aí vem o senhor presidente da escola de smba Os Diplomatas dizer, que: “...o aludido colunista não participou da discussão e nem conhecia o assunto tema da discussão”. Conhecia sim, de ponta cabeça, senhor presidente da vermelho e branco.

 

*********

 

E mais, no Regulamento não constava nenhum artigo, item ou paragrafo que impedisse a escola de samba, promover durante ou depois do canto do samba concorrente, show de sua BATERIA e nem impedia que os interpretes cantassem o Samba Exaltação de sua agremiação.

 

*********

 

Portanto, o protesto das escolas Diplomatas e Acadêmicos do Armário Grande não tinha nenhum embasamento o que nos levou a chamar a atenção dos representantes das aludidas escolas, para que parassem com aquilo, ou seja, com o protesto feito aos “berros”, principalmente pelo senhor engenheiro civil presidente da vermelho e branco.

 

*********

 

Portanto amigos leitores, tudo que publicamos na coluna publicada no dia 07 deste mês, foi a pura verdade, se alguém está tentando criar factoides e gerar animosidade na relação entre as pessoas; Esse alguém não é este colunista.

 

*********

 

Isto posto, vamos ao que interessa: Depois de tanta barbárie, por este Brasil e mundo afora, tá na hora de sentarmos para refletir o que podemos fazer, para que as coisas ruins parem de acontecer. Não precisamos estar em Suzano ou na Nova Zelândia para nos sentirmos desprotegidos ou a merce de marginais. Nossa Porto Velho é uma das cidades mais violentas desse Brasil e o pior, é que essa violência não dar sinais de diminuir.

 

*********

 

Já não podemos reunir familiares e amigos na frente de nossas casas para bater papo, por que podemos ser surpreendidos com uma arma em nossa cara.

 

 

Programa Coração Sertanejo

Comera um ano de sucesso
 

Sábado passado dia 9, os apresentadores Claudiomar Rocca, Kataniza Lourenço e Jozimar Nunes reuniram amigos e admiradores no espaço de show do Tieta, para festejar o 1º aniversário do programa “Coração Sertanejo” que vai ao ar de segunda a sexta feira pela rádio Cultura FM !07,9 no horário das 5 às 9 horas da manhã.

 

 

Os apresentadores pautam em tocar música sertaneja de raiz e no caso do Claudiomar Rocca e a Kataniza Lourenço com uma boa dose de humor. “Ambos são humoristas natos, Claudiomar se destaca como exímio imitador e a Kataniza empresta sua voz a vários personagens por ela criados. “O Jozimar é o homem do comercial”, explica Claudiomar. O Coração Sertanejo hoje, é considerado o programa de maior audiência do horário, no rádio rondoniense. É como se diz na gíria radialista “Ecoa pelos quatro cantos da cidade”.

 

A festa de aniversário reuniu muita gente no Piscinão do Tieta que curtiram o show da dupla ANDRÉ & ANDREILSON e banda, que colocou os peões e peoas dançando até quase o amanhecer do domingo. “Graças aos nosso patrocinadores e diretores da Cultura FM 107,9 estamos comemorando Um Ano de sucesso”, agradeceu Claudiomar. “Sou ouvinte assídua do programa Coração Sertanejo e quero parabenizar seus apresentadores por esse primeiro ano de sucesso”, disse a senhora Ana Rodrigues moradora do bairro Caladinho.

 

Pra quem não sabe, o Claudiomar Rocca também é muito conhecido e admirado no mundo do samba uma vez, que é um dos melhores interpretes da samba de enredo das escolas de samba de Porto Velho. A coluna Lenha na Fogueira aproveita para parabenizar os apresentadores do Coração Sertanejo.

 

 

 

MÚSICA

 

Bandas de Porto Velho já podem

se inscrever no Boto Rock Festival
 

Está aberto o período de credenciamento de bandas locais para participação no ‘Boto Rock Festival 2019’. O período de inscrição vai até o dia 25 deste mês. O evento musical é uma realização da Prefeitura de Porto Velho, através da Fundação Municipal de Cultural (Funcultural), e será realizado nos dias 24 e 25 de maio.

 

Segundo o presidente da Funcultural, Ocampo Fernandes, a proposta visa fomentar a cultura através da inclusão do rock no calendário de eventos da capital. “Há um público significativo entre os munícipes, sendo que, desde a década de 1980, surgem locais específicos para encontro dos amantes desse estilo nem Porto Velho”, destacou Ocampo.

 

Segundo o edital do ‘Boto Rock Festival 2019’, só será possível a participação de músicos que residam em Porto Velho, como incentivador para o surgimento de bandas originarias. Serão selecionados 24 bandas com mais de um (01) ano de atuação no segmento rock e 12 bandas iniciantes, com menos de um (01) ano. Essas bandas vão receber R$ 500 e R$ 400 de ajuda de custo, respectivamente.

 

 

Palcos

 

O evento ‘Boto Rock Festival’ terá dois palcos principais, o ‘Palco Boto Rosa’ e o ‘Palco Boto Tucuxi’, para apresentações das denominadas Bandas Autorais. O terceiro palco, o ‘Palco Sunset’, será reservado para as denominadas Bandas Iniciantes;

 

 

Homenagem

 

 

Este ano, o ‘Boto Rock Festival’ homenageará o saudoso roqueiro ‘Heavy Ney’, fundador das primeiras e mais comentadas festas de rock, na antiga ‘Oficina do Rock’. ‘Heavy Ney’ (in memoriam) é considerado, entre os vários músicos, o ‘roqueiro’ mais conhecido da capital.

 

O padrinho do ‘Boto Rock Festival 2019’ é o roqueiro e compositor Leo Ladeia, que apresentou por mais de 10 anos o programa ‘Lendas do Rock’, na rádio Parecis, de forma que difundiu a cultura do ‘Rock and Roll’ em Porto Velho.

 

 

1ª Edição

 

Em 2018 foi a primeira edição do ‘Boto Rock Festival’. Na oportunidade, foram selecionadas 38 bandas, as quais apresentaram diversas músicas autorais, sendo que, destas, muitas foram levadas ao público pela primeira vez.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS