close
logorovivo2

DIA DA CULTURA: Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

A notícia que mais agradou a comunidade artística produtora de Rondônia, foi a anunciada pelo superintendente Rodnei Paes

ZÉKATRACA

6 de Novembro de 2018 às 15:22

DIA DA CULTURA: Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

FOTO: (Divulgação)

O Dia Nacional da Cultura foi comemorado nesta segunda-feira (5), no auditório do CPA com a premiação dos contemplados pelos editais de Musica Autoral; Literatura e Fotografia Danna Merril. A turma depois de algum tempo conseguiu meter a mão na “bufunfa” dos editais. Parabéns.

 

*********

 

Porém, a notícia que mais agradou a comunidade artística produtora de Rondônia, foi a anunciada pelo superintendente Rodnei Paes e confirmada pelo presidente da Funcer Fabiano Barros de que, até o final deste mês, será publicado no Diário Oficial, Decreto isentado os artistas produtores do estado de Rondônia de pagamento de qualquer taxa pela utilização do Palácio das Artes.

 

*********

 

Até a publicação do Edital, o artista local que quiser utilizar os teatros, têm que pagar no mínimo R$ 4,5 MIL. Foi realmente o melhor presente pelo Dia Nacional da Cultura. Parabéns a todos os artistas em especial ao Rodnei e o Fabiano pela conquista.

 

********

 

A partir da publicação do Decreto isentando o pagamento de taxa pela utilização dos teatros, vamos ver se nossos grupos de teatro, têm capacidade para não deixar os espaços Fechados por muito tempo. Também não é para colocar qualquer porcaria em cartaz.

 

*********

 

Bonita mesma, foi a comemoração dos 60 anos da escola de samba Os Diplomatas, que aconteceu sábado passado, na praça São José no bairro do Mocambo.

 

********

 

Jair Monteiro e toda sua equipe, capricharam na ornamentação e na produção do show que culminou com a apresentação do samba de enredo da escola para o carnaval de 2019.

 

********

 

O Hino que vai tentar levar a escola mais antiga da Amazônia (fora o Pará), de volta ao Grupo Especial da Fesec é de autoria do Trio de Ouro – Bainha, Oscar e Zé Baixinho. O refrão levantou a galera.

 

*********

 

Apenas devemos alertar o presidente da Escola Os Diplomatas, que não insista em divulgar, que a escola “Esta de volta ao seu berço”. Sabe por que Jair? A Diplomatas jamais foi do Mocambo. Até o ano passado nem mesmo havia ensaiado no bairro.

 

********

 

A Diplomatas nasceu no bairro Santa Bárbara e seus primeiros ensaios aconteceram em frente a Casa do presidente Tário de Almeida Café a rua Barão do Rio Branco. Ensaiou até na Baixa da União na casa da Aldenora, mas, jamais foi do Mocambo.

 

*********

 

É só dar uma observada na letra do samba do Trio de Ouro que fala de alguns locais, aonde a escola ensaiou nesses seus 60 anos de fundação: CIBEC e Danúbio Azul.

 

********

 

Porém concordamos que a escola tenha fechado parceria com o bloco carnavalesco Até Que a Noite Vire Dia (este sim genuinamente do Mocambo) e passe a ensaiar na Praça São José. Foi uma grande sacada da atual diretoria.

 

********

 

Quem ficou preocupado após ouvir o samba da Diplomatas para o próximo carnaval, embora tenha sido um dos fundadores da escola foi o CABELEIRA.

 

*********

 

Acontece que hoje, ele é o presidente da escola de samba Acadêmicos do Armário Grande e pelo visto, sentiu que o samba do Bainha e Cia. vai levantar o público durante o desfile do próximo ano o que quer dizer, que o Armário (que foi garfado este ano) pode permanecer no Grupo de Acesso.

 

********

 

Não sei se os dois mestres Paulinho Santana e Silfarney estão brigados, ou foi gozação. Acontece que em determinado momento da festa em comemoração aos 60 anos da Diplomatas, Paulinho parou a Bateria para homenagear, segundo ele, a pessoa, o MESTRE que o ensinou os segredos de uma Bateria de Escola de Samba “Meu Mestre/Professor Admilson Knightz – Negão” e entregou a camisa de comemoração dos 60 anos da escola. Lá do outro lado, Silfarney, se não fosse seguro pelo Mamedes, teria pulado o Muro do Cemitério dos Inocentes, procurando uma COVA pra enfiar Paulinho Dentro!

 

********

 

Chegou Diplomatas do Samba chegou e o povo na rua sambou...

 

 

Governo libera teatro

para grupos de Rondônia

 

Em solenidade no Salão Nobre Rosilda Shoknnes, 11º andar do Palácio Rio Madeira – CPA, na manhã de segunda feira, 05, o Superintendente da Sejucel Rodnei Paes na ocasião representando o governador Daniel Pereira, anunciou, que em comemoração ao Dia Nacional da Cultura, o governador o autorizou a comunicar aos artistas, produtores culturais, grupos de arte cênicas e música, que até o final deste mês de novembro, o governo assinará Decreto autorizando a FUNCER a não mais cobrar qualquer taxa, dos artistas locais pelo uso dos Teatros Rondônia e Guaporé. “Hoje a cobrança de taxas altas tem impedido o uso do teatro, que acaba ficando fechado”, lamentou Rodnei A decisão foi confirmada pelo Presidente da FUNCER Fabiano Barros.

 

O anúncio aconteceu durante a premiação dos classificados pelos Editais de Música Rondônia Autoral; Prêmio Literatura Rondoniense e Prêmio Fotografia – Danna Marril. Ao todo foram distribuídos R$ 260 mil entre as três categorias.

 

Foram premiados 19 produtores culturais, cujos projetos receberam entre R$ 10 mil e R$ 20 mil do Fundo Estadual de Desenvolvimento à Cultura (Fedec).

 

Na categoria Fotografia, foram contemplados com cheques no valor de R$ 10 mil, cada, para organização de exposição, Regina Morão, Washington Kuipers de Moraes, Carlos César Neves da Silva, Elisabete Christofoletti, Nilson Santos e Igor Fotopoulos, enquanto Patrícia Marchi e Andreia Machado receberam R$ 20 mil para atuarem com capacitação e formação de fotógrafos profissionais.

 

Como parte do Prêmio de Literatura Rondoniense, receberam R$ 10 mil cada, por iniciação literária, Marfiza Calixto França e Monique Santos Pereira; Gustavo Gurgel do Amaral (publicação acadêmica), José Gadelha da Silva Júnior e Simone Gonçalves Norberto, ambos por literatura acadêmica; e Rubens Vaz Cavalcante (reedição de livro).

 

Marfiza Calixto França, Cristiano Izidio da Silva, Izabela Lima, Anderson Silva e Rogério Madeira foram os contemplados com o Prêmio Música Rondônia Autoral.

 


 

CITAÇÕES


 

O incentivo à cultura, concedido pelo governo rondoniense por meio de editais, foi citado pelos participantes como a forma mais democrática para o repasse de recursos públicos com vistas à disseminação de fatos históricos através de livros, fotografias, músicas e outras expressões culturais. “Esta premiação representa o resultado do esforço e empenho de cada um de nós”, disse José Gadelha, completando que o acesso a toda forma de conhecimento só é possível quando alguém decide socializar, abrindo o caminho.

 

Já a cantora Marfiza relatou que esteve fora do estado nos últimos anos e ficou surpresa ao retornar e tomar conhecimento dos editais, destacados por ela como de grande importância para a cultura estadual.

 

Para pró-reitora de Cultura, Extensão e Assuntos Estudantis da Universidade Federal de Rondônia (Unir), professora Marcele Pereira, assim como para o superintendente Rodnei Paes, o compromisso para continuação das políticas culturais deve ser firmado pelos próximos gestores estaduais com vistas à perpetuação da história e costumes da população local. “O dinheiro da premiação é importante. Mas, mais importante ainda para o produtor cultural é o reconhecimento, e isso tem feito o governo de Rondônia, tanto por Confúcio Moura quanto por Daniel Pereira que fizeram gestão junto às secretarias de Finanças e de Planejamento para garantir os recursos desta e de outras premiações já realizadas, de forma transparente e bem justificadas”, observou Rodnei Paes, lembrando que a produção literária será levada às bibliotecas para subsidiar trabalhos de pesquisas.

 

Quando conhecemos a história através de relatos, da literatura e da música, é que entendemos melhor a formação de um estado e de seu povo”, afirmou o superintendente, citando que ouvir o Hino Céus de Rondônia hoje é diferente de quando chegou ao estado, pois agora entende melhor o que expressa a letra de Joaquim Araújo Lima, com música de José de Mello e Silva.

 

 

Fonte

 

Redação – Diário da Amazônia (Zekatraca)

Governo de Rondônia via Secom

Texto: Veronilda Lima

Fotos: Frank Nery

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS