close
logorovivo2

NOVIDADES: Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

A política cultural é séria nesta coluna

ZÉKATRACA

12 de Setembro de 2018 às 17:04

NOVIDADES: Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

FOTO: (Divulgação)

Conheça os eixos do IV Festival Unir Arte e Cultura e inscreva-se já! Contribua com o fortalecimento da Arte e Cultura no Estado de Rondônia. Faça parte desta ação que visa estar em contato com a sociedade e movimentar a produção acadêmica ampliando o alcance da Universidade.

 

*********

 

O Festival acontecerá em todos os campi da Unir e em várias partes da cidade de Porto Velho! A partir do dia 05 de novembro. Inscreva seu grupo, coletivo, oficina, banda...

 

*********

 

Por falar em eixo! To me sentido fora do prumo, com as decisões dos magistrados do TER. Minha preocupação vem de decisões, tomadas pelos Ministros (nem sei se o tratamento é esse mesmo) em casos como o do nosso candidato a governador de Rondônia Acir Gurgacz.

 

*********

 

Minha concepção, é que matéria relativa a impugnação de candidatura seja lá de quem for, só deve ser divulgada, após esgotarem todas as instancias de julgamento.

 

*********

 

Olha só, o Tribunal divulgou que Acir está fora do pleito e até postou que ele teria que retirar sua “propaganda” dos meios de comunicação.

 

*********

 

Acontece que o candidato Acir Gurgacz ainda pode recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral – TSE e segundo seus assessores, tem muita possibilidade de ter sua candidatura homologada.

 

**********

 

O problema é que, em virtude da divulgação da decisão do TER, muitos eleitores ficam na dúvida se continuam apoiando o candidato da coligação Juntos Por Um Novo Tempo.

 

**********

 

Em suma, o TER pode até não concordar com isso, mas, o dano já está feito.

 

***********

 

Acir considera que a decisão do TRE-RO não levou em consideração os recursos que ele apresentou no processo que responde no Supremo Tribunal Federal (STF) por desvio de finalidade num empréstimo feito pela empresa Eucatur de Manaus.

 

***********

 

“Em primeiro lugar, sou inocente – pois era apenas avalista de um empréstimo que foi quitado e liquidado pela empresa, com parecer de conformidade do banco. É bom lembrar que não havia dinheiro público envolvido. Confio na Justiça e creio que a decisão da primeira turma será revista no pleno do STF. Por outro lado, ao protocolar os recursos – os embargos infringentes e declaratórios, o processo fica em suspenso e estou com meus direitos políticos plenos – incluindo a elegibilidade, portanto, a decisão do TRE-RO deve ser revisada pelo TSE”, explica Acir.

 

**********

 

É por isso que sou de acordo, que a divulgação de resultados de julgamentos de primeira instancia, não sejam divulgados. Vai que o STF acate o recurso do candidato Acir e confirme o registro da candidatura. Com certeza a coligação vai ter que ralar um bocado para recuperar o dano causado, por uma noticia sobre um fato que ainda pode ser apreciado por uma instancia superior.

 

************

 

Não deveria, mas, não posso deixar de comentar: plagiando o colunista Carlão Esperança. O efeito Manada em se tratando de candidatos ao Senado Federal, já começou em Rondônia e, mais uma vez, quem está levando a melhor é a candidata Fátima Cleide.

 

**********

 

Não tem Vidal que dê jeito, os votos que até ontem eram do senador Raupp estão migrando feito folhas caindo no outono, para a Fátima Cleide.

 

*********

 

Não sei se os leitores estão lembrados, mas, o “Zé Babalorixão” publicou a alguns meses nessa coluna, que os dois candidatos ao senado pelo MDB se não caminhassem juntos, um ficaria de fora.

 

**********

 

Depois do TAPA na CARA o barco começou a fazer água e agora está quase a deriva.

 

**********

 

O efeito mandada também está beneficiando minha amiga e candidata a deputada estadual Luciana Oliveira a filha do poeta está danada e acho que vai chegar lá.

 

*********

 

A política cultural é séria nesta coluna. Amanhã é o aniversário dos nosso Diário da Amazônia.

 

 

 

DECISÃO

 

Aos 96 anos, Bibi Ferreira decide

se aposentar da vida artística

 

Rio - Bibi Ferreira anunciou na ultima segunda-feira 10, sua aposentadoria. São 77 anos de palcos, e, por conta da idade, 96 anos, feitos em junho, a atriz e cantora, por vontade própria, não vai se apresentar mais. Não há tristeza por parar, diz seu empresário, Nilson Raman. Há lucidez, serenidade, gratidão, sensação de missão de vida cumprida. "Não tem história triste. Bibi não tem doença alguma, sua idade é que está muito avançada", ele explicou.

 

Em texto compartilhado no perfil oficial de Bibi no Facebook, Raman reproduziu suas palavras de despedida: "Nunca pensei em parar, essa palavra nunca fez parte do meu vocabulário, mas entender a vida é ser inteligente. Fui muito feliz com minha carreira. Eu me orgulho muito de tudo que fiz. Obrigada a todos que de alguma forma estiveram comigo, a todos que me assistiram, a todos que me acompanharam por anos e anos. Muito obrigada! Bibi".

 

Raman escreveu um relato emocionante, em que conta: "Bibi está bem, em casa, mas decidiu que não terá mais possibilidade de se apresentar, como sempre gostou de fazer e manter em sua vida profissional. Por recomendação médica, na idade em que está, Bibi deve ter uma vida o mais tranquila possível, e com uma rotina em seus horários de dormir e de se alimentar. Sempre foi uma mulher muito forte. Até dezembro do ano passado ela ainda estava no palco, estreando novo espetáculo."

 

 

Com vigor invejável mesmo depois dos 90 anos, Bibi foi internada três vezes só este ano, em decorrência de infecções oportunistas e a necessidade de realização de exames. Agora, lhe falta energia para apresentações ao vivo, de acordo com Raman.

 

"Por sua decisão e vontade, prefere ter uma vida mais reclusa, com a família e seus amigos mais íntimos, não estando mais disponível para entrevistas, mesmo por e-mail, como vínhamos fazendo recentemente. Bibi tem consciência que já deu o que tinha de melhor. Agora vai descansar, dentro dos limites e condições que a idade lhe permite", diz o texto no Facebook.

 

Em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo" pouco depois de publicá-lo, Raman contou que está sempre na casa de Bibi, no Flamengo, no Rio, e que ela costuma indagar se as pessoas ainda perguntam como está. Foi Bibi que se deu conta de que não teria condições de estrear o show idealizado para que homenageasse Dorival Caymmi por ocasião dos dez anos de sua morte, nos moldes dos espetáculos com repertório de Frank Sinatra, Edith Piaf e Amália Rodrigues que lotaram teatros País afora. Quem assumiu seu lugar foi Danilo Caymmi, caçula de Dorival - ideia de Bibi. Deu-se o ponto de partida para a aposentadoria.

 

"Estava tudo pronto para fazer o show com Bibi. Para animá-la, eu ficava falando disso. Mas aí ela falou: ‘Meu filho, a gente tem que ser inteligente, eu não vou conseguir fazer esse show, não tenho mais força’. Disse: ‘Estou a quatro anos dos 100’. É muito consciente", contou Raman. "Esse texto (do Facebook) está comigo há uns dois meses. Vou sempre à casa dela, fui ontem, irei amanhã. Vai a equipe que está há muito tempo junto viajando, camareira, maquiadora. A gente sempre leva violão, ela curte. É tudo bem tranquilo."

 

Em novembro, será lançado o CD com o registro do show de Sinatra, gravado no estúdio da Biscoito Fino em outubro do ano passado. Ano que vem, sai a terceira edição de sua fotobiografia, atualizada - a edição anterior, de 2001, foi no escopo dos 60 anos de carreira, e de lá para cá, Bibi não parou de trabalhar. Outro lançamento para 2019 será o CD e DVD do show retrospectivo Por Toda a Minha Vida.

 

No Facebook, Raman relatou que Bibi pediu que ele destacasse no anúncio da aposentadoria o amor que ela sempre nutriu pela profissão e pelo público, e também pela família e pelos muitos amigos. Ela queria também registrar um agradecimento aos companheiros de tantos anos de palco.

 

Filha de artistas, Bibi nasceu no Rio em 1922, e sua vida profissional se iniciou, a seu ver, em 1941, apesar de ela ter estreado nos palcos aos 24 dias de nascida, substituindo uma boneca que seria usada em cena. Além de atriz e cantora, Bibi é reconhecida como uma das grandes diretoras de teatro do País, e teve passagens pela TV, como atriz de teleteatro e também como apresentadora.

 

 

Palco Giratório apresenta

Seis espetáculos hoje

 

A programação desta quarta feira 12, do Palco Giratório, começa às 10 horas, na Lona do Palhaço Biribinha armada no Parque da Cidade, com o espetáculo “Boxe da Palhaçada” do grupo convidado Compalhaçada do Amazonas. No mesmo horário na Unir Campus acontece o Pensamento giratório com a Cia Teatral Turma do Biribinha (AL) com mediação do professor Adailton Alves Teixeira.

 

Depois do almoço a programação volta a acontecer na Lona do Biribinha no Parque da Cidade a partir das 16 horas com os espetáculos:

 

A Princesa Cafuxa no Reino da Palhaçaria

 

O reino da palhaçaria só existe porque ainda há alegria no mundo. Todos no reino são muito felizes pela capacidade de ver a vida com bom humor, poder rir das coisas mais simples, e soltar as mais altas gargalhadas. Porém, muitos estão preocupados, pois o Rei Cafusco e a Rainha Cafuxona já estão velhinhos e a princesa Cafuxa precisa governar esse mundo de tantas alegrias.

 

 

 

Tem Areia no Maiô

 

As 19 horas no Sesc Esplanada será a apresentação do espetáculo “Tem Areia no Maiô”, primeiro espetáculo do grupo As Marias da Graça criado em 1992, conta a história de quatro palhaças que resolvem ir à praia num belo domingo de sol. A trupe embarca num calhambeque rumo à Copacabana e a aventura começa com um pneu furado. Chegando à praia, elas fazem um strip-tease desfilando seus maiôs graciosos e divertidos, e enfrentam desastradamente os perigos do mar, das chuvas de verão e, claro, com muita areia no maiô. Além disso, contam piadas e jogam frescobol, dançando coreografias ao som de Roberto Carlos, Elza Soares e Rita Pavone, entre outros. 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS