close
logorovivo2

Exposição de fotografias raras conta a história da Estrada de Ferro Madeira Mamoré

Exposição de fotografias raras conta a história da Estrada de Ferro Madeira Mamoré

DA REDAÇÃO

17 de Fevereiro de 2012 às 08:27

Exposição de fotografias raras conta a história da Estrada de Ferro Madeira Mamoré

FOTO: (Divulgação)


Quem passar pelo Complexo da Madeira Mamoré, esta semana poderá conhecer ainda mais sobre a história da Cidade de Porto Velho e do Estado. Isso devido a uma parceria da Prefeitura, através da Fundação Cultural Iaripuna, com a secretaria estadual de Cultura, que expõem 32 fotografias raras que mostram os momentos difíceis e conquistas dos desbravadores brasileiros e de todo o mundo que participaram na grande empreitada da construção da ferrovia que ligaria Porto Velho à Guajará Mirim escoando materiais, principalmente, a borracha para o resto do país e exterior.

Berenice Simões, vice-presidente, da Iaripuna explica que esta ação é uma continuação do trabalho iniciado referente aos 100 anos da Madeira Mamoré. E que a exposição segue em todo o estado, depois retorna para Porto Velho. “Quando ela voltar serão feitas uma série de palestras em escolas e faculdades. Quero também destacar a ousadia do prefeito Roberto Sobrinho em solicitar do estado a grande responsabilidade em administrar este local, que é do município”, disse. 

Lívia Passos, 30 anos, é de São Paulo, e está em Porto Velho visitando parentes. “Ao ver as fotografias sinto- me como se tivesse nascido aqui. Porque tudo isso faz parte da nossa história, a do Brasil. E quanto mais eu sei, mais tenho vontade de saber. Estou encantada”, comenta.

José Nazareno King, 53, é filho e neto de ferroviários. “Me emociona ver essas fotos, meu pai foi maquinista  por 34 anos aqui, e me contou muitas histórias  da vila da Candelária e do Bairro Triângulo”, conta.

Os responsáveis pela exposição e pelo levantamento das melhores fotografias são Anísio Gorayeb e Luiz Brito, eles contam que essas mesmas fotos serão doadas para o acervo de Porto Velho. ”Temos a necessidade de mostrar a nossa história, buscar fatos que possam complementar o conhecimento do surgimento e desenvolvimento deste lugar”, conta Luiz Brito, Já Anísio explica que existem muitas fotografias da EFMM em museus em São Paulo e em tantas outras cidades espalhadas pelo mundo. “Trouxemos apenas algumas, porém o acervo tem mais de cem”, disse.

Centenário

Basílio Leandro de Oliveira, superintendente de Turismo do Estado, disse que estão sendo convidados os 52 embaixadores dos países envolvidos na construção do monumento para participarem das comemorações do Centenário. “Já nos confirmaram o embaixador dos Estados Unidos da América, Inglaterra e Bélgica, que estarão até o mês de dezembro em datas distintas nos visitando e conhecendo mais da história que seus países ajudaram, de certa forma, a construir. Também estaremos buscando parcerias”, conta.

Mundial

Um marco nos 100 anos da Estrada de Ferro Madeira Mamoré é a sua candidatura ao tombamento como Patrimônio Cultural Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Classificação dada a monumentos, grupos de edifícios ou sítios que tenham um excepcional e universal valor histórico.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS